sábado, 22 de março de 2008

Planeta Terror (Robert Rodriguez)




Trash! Essa talvez seja a palavra que melhor define o filme "Planeta Terror", com direção e roteiro assinados por Robert Rodriguez. Mas não é um trash de "filmemalfeitoprachocarocinema", ah não! É um trash plasticamente bonito (se isso é possível? Claro que é! Vide Cães de Aluguel). Talvez eu seja um pouco suspeita pra falar de um filme com "os dedos" do Tarantino, mas o filme é realmente muito bom!


O roteiro foi muito bem escrito, com uma linha de (des)continuidade na medida certa. Com falas sarcásticas e irônicas jorrando da boca de todos os personagens, assim como o sangue. Não é nem um pouco "politicamente correto", mas que se dane! Já existem milhares de filmes "pénosacopoliticamentecorretos" por aí.


A produção do filme é impecável, feita pela dupla Rodriguez+Tarantino. Os efeitos de edição são ótimos, fazendo com que o filme pareça um rolo de filme antigo, como as velhas sessões de cinema noir nas saudaosas Grindhouses americanas. E a trilha sonora, criada pelo próprio Robert Rodriguez , é muito boa.


O casal de anti heróis da trama é ótimo! Cherry ( Rose McGowan ) é agressivamente bela. E El Wray ( Freddy Rodríguez ) é uma delícia! Ele transpira o velho charme insubordinado dos bons maus mocinhos. (Sorry meninos! Mas eu sou mulher, e não posso deixar de tecer esse tipo de comentário).


Confesso que tive vontade de vomitar umas três vezes, porque o filme tem umas cenas REALMENTE nojentas! Maaaas, são ossos do ofício. Não se pode ver um filme de morte+sangue+destruição em massa sem correr o risco de ficar um pouco enojado com umas duas ou três cenas de vísceras em decomposição.


Planeta Terror não é um filme filosófico, que tem a intenção de questionar os conceitos humanos. E é ótimo que não seja, porque do contrário, seria tão chato como uma produção hollywoodiana sobre guerras (vide Pearl Harbor e toda aquela encheção de saco humanista). Se você quiser, pode até pensar que é uma demonstração do que pode acontecer com a humanidade depois do combo poder+armas químicas, mas, por essa ótica, o filme não tem graça.Tampouco pela ótica do "rebeldesquerendochocaroparaísodamoralidade edosbonscostumes", porque é clichê demais!


A melhor ótica é a do entretenimento sem pudor, no qual um litro de sangue derramado não significa a morte humana, mas a morte da convencioinal crença de que a vida é um conto de fadas colorido. No caso de Planeta Terror, a vida é toda colorida de vermelho, que para Kielowski representa a fraternidade, e para Robert Rodriguez é só a diversão de transpassar o rotineiro preto e branco do cinema.




Informações técnicas gentilmente "cedidas" por www.adorocinema.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...