quarta-feira, 18 de junho de 2008

Amizade...


Muitas coisas se passam pela minha cabeça e pelo meu coração de gengibre neste momento... Agora sinto um misto de alívio (por ter terminado o artigo!), indignação (por ter terminado o artigo! e ele não ter ficado tão bom quanto deveria) e agradecimento... Desses milhares de sentimentos que se apossaram de mim, uma frase de uma amiga muito querida faz todo o sentido...

"Amizade não requer apenas presença de corpo; requer, principalmente, presença de espírito" (Luana Rodrigues)


E ela faz toda a diferença nesta madrugada fria, de 0 grau (não!você não leu errado! É ZERO GRAU mesmo!). Na qual eu não precisei de gelo pra que meu vinho ficasse gelado, e na qual eu não precisei de corpo pra me sentir abraçada pelo espírito que só os melhores amigos (DO MUNDO!) possuem.

Obrigada Aris. E se eu ainda não disse que te amo hoje...AMO VOCÊ!


It's all folks...

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Godfather...


É estranha esta dificuldade que tenho de não conseguir falar de coisas que gosto demais... Nas resenhas de livros e filmes que faço, estão filmes que eu gosto, que acho bons (alguns não), mas não há nenhum que faça parte de mim... Sabe-se lá porque isso acontece. Mas...hoje vou quebrar a regra! Ou não. Até porque isso aqui não será uma resenha...Está mais pra uma "história de amor"...=) Enfim.

Provavelmente todos aqueles que passarem por este blog conhecem a Trilogia Godfather. Talvez nem todos tenham assistido os três filmes. Ou assistiram há algum tempo e não se lembram. O fato é que todos saberão da existência de Don Corleone.
A primeira vez que assisti O Poderoso Chefão eu devia ter uns 10 anos. E foi logo minha segunda paixão (porque a 1° foi o São Paulo, aos 8...). Me lembro de ficar horas divagando sobre os personagens do filme, e outras tantas horas sonhando em fazer parte de uma família de mafiosos. Mais especificamente em ser mulher de um Corleone. Pois é minha gente... Enquanto a maioria das meninas nesta época sonhava em ser bailarina e casar com um dos caras do Menudo, eu queria mesmo é ser da Máfia... Ou você achou que essa minha personalidade perturbada é recente?! Quá.
Este pra mim não é apenas um filme (ou no caso três), é uma lição de vida... E é impressionante que cada vez que assisto (e já foram muitas e muitas vezes) (só depois que comprei o box em 2006 foram pelo menos umas 4) rio, choro,me emociono, fico puta, nas mesmas cenas....Como se o fato de já tê-las visto não tirasse sua magia...
Hoje resolvi ter uma overdose de Godfather, e assisti os três (não que eu não tenha trabalho a fazer...mas sabe aquela velha história de um pouco de ócio criativo, pois então...). Quase me ajoelhei na presença de Don Vito, bati palmas pra fortaleza que se tornou o Michael, e sorri em todas as vezes que o Vicenzo entrava em cena. Sem contar na morte final (ps: se você nunca viu o filme, o problema é seu! Porque eu vou falar do filme todo, inclusive do final!), em que eu me acabo de chorar, como se fosse minha família. Como seu eu estivesse perdendo minha filha, como se Mary representasse a morte de um sonho...

É incrível também que toda vez que assisto (principlamente a Parte III), me dá uma vontade enorme de ir pra Itália. Passear pelas minha origens. E me dá saudades da minha família... Aquele bando de carcamano reunido no almoço de domingo, em volta de uma travessa de macarrão...Saudades...

Ah!E eu cheguei à conclusão de que meu "tipo de beleza" é todo by Poderoso Chefão... Daria meu reino agora por um "De Niro ano 1975 sem arranhões" (e se vier com o moicano do Taxi Driver, o reino aumenta!), ou então um "Andy Garcia ano 1990 cheio de atitude"... Até um "Al Pacino ano 1975" é considerável...Enfim...Tirando o Johny Deep (qualquer ano e com qualquer arranhão!), os homens que considero os mais bonitos no mundo (e os quais eu pediria a mão em casamento, mesmo sendo avessa a esse tipo de tortura) são do Poderoso Chefão. Eu sei, eu sei...O que é que você tem a ver com isso né (especialmente se for homem)? Sorry guys... Ao menos vocês já sabem se têm chances ou não (hauahuahauha).

Uma das lições que aprendi nessa obra prima (além de que, se bobear, a gente acaba indo dormir com os peixes xD) é de que família não é aquela ligada pelo sangue, mas sim a que é ligada pelo respeito e pela confiança. Por isso que muitos de meus amigos são muito mais minha família ( e teriam a vida protegida se eu fosse mafiosa) do que muitos tios de 7° grau... Ah...Aprendi também que "aquele que depende de pessoas, depende de sombras", tudo bem que é uma frase de um dos inimigos do clã Corleone (Don Luchesi, GodFather III), mas achei uma frase sensata e real...

Enfim...Se você nunca assistiu ao Poderoso Chefão, faça-me o favor de assistir assim que possível! Afinal de contas, The Godfather sempre saber retribuir um favor...=) Capisce?!


sábado, 14 de junho de 2008

Uma semana e tanto...


Essa semana foi um misto de tristeza+cansaço+alívio+alegria... Cansaço pelos milhões de livros do mestrado que tive que ler... Alívio pelo fim da matéria matadora de segunda-feira, que quase me enlouqueceu... E tristeza...bom, tristeza de saudades...de solidão...de perguntas sem resposta...

Não...Eu não tenho essas crises de "meudeushjédiadosnamoradoseeunãotenhoum!"...Porque se eu tivesse essas bobeiras, todos os anos seria a mesma lenga lenga...Afinal de contas, nunca tenho namorados em datas comerciais...E em datas não comerciais também...=) Mas isso é assunto pra outro post...

Tenho estado bastante cansada...e me faz muita falta sair com os amigos, sentar num buteco e falar amenidades... Me faz falta rir com meus amigos...Rir com meus pais...Abraçar a Gigi...Muita coisa anda me fazendo falta...Às vezes sinto falta de mim mesma...Chego a entrar em estado de "tristezamodeon", e não querer olhar o mundo ao meu redor...

Mas a vida é uma montanha russa eterna...Numa hora você está prestes a cair no choro, querendo desesperadamente um abraço, e na outra está sorrindo. Só sinto muita falta de ter abraços quando preciso, e alguém pra sorrir comigo...Mas enfim...

A semana também foi de alegrias...Alegria de ver Mr. Harrison Ford em plena forma no papel do querido Indiana Jones (sim!eu fui assistir o filme no cinema! E foi ótimo!). Alegria de ver meu São Paulo ganhar de 4x2 do Flamengo em pleno Maracanã. Alegria de falar ao telefone com meus pais. Alegria de aprender a usar o tal skype e ficar falando besteira full time com meus amigos de longe. Alegria de começar um novo projeto.Alegria de estar viva, e saber que não importa o tamanho da tristeza e nem o quê ou quem a causa, mas sempre haverá alegria o suficiente vinda de algum lugar de dentro de você que o fará ver que, apesar de tudo, e às vezes quase todos, a vida é bonita...

E agora eu preciso deixar todos esses sentimentos (sejam eles bons ou ruins) na tela, e voltar pros estudos. Porque não importa o quanto eu esteja alegre ou triste, o mestrado não me deixa sozinha...

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Mestres...


No último mês, não tive tempo pra pensar em mim... Passei, no mínimo 12 horas por dia com os olhos grudados nos livros. E as outras horas (em que poderia estar descansando, cozinhando, essas coisas que a gente faz de vez em quando) pensando na quantidade de livros que ainda restam ser lidos. Desde meu último ano do Ensino Médio ( bolsista de escola particular e pré-vestibulanda) que não estudava tanto, a ponto de achar que nunca mais iria fazer outra coisa da vida...Mas estou feliz....
O Mestrado é um mundo totalmente novo...Especialmente pra mim, formada em Letras e Mestranda em Tecnologia (todos os dias dou graças aos deuses pelos meus genes nerds...). Tenho que ler milhares de caras que nunca ouvi falar, e além de ter que entendê-los (o que eu acho é que nem os próprios se entediam...), tenho também que ter opinião crítica sobre tudo!Fazer Mestrado é como se aventurar em terras desconhecidas, lugares escondidos dentro de você mesma. Como um labirinto no qual se vai encontrando peças esquecidas. A cada dia que passa me sinto só mais uma tentando entender o que os outros descobriram antes de mim. Mas estou feliz...
Estou feliz porque faço parte de uma parcela ínfima diante da imensidão de analfabetos do mundo. Feliz porque posso estudar História em Quadrinhos (que é meu objeto de estudo), e me divertir com isso. Feliz porque minha orientadora é uma pessoa incrível, que emana luz cada vez que sorri. E mais feliz por ser motivo de orgulho pros meus pais, que sempre fizeram "dastripasocoração" (como diria minha mãe) pra me dar a melhor educação do mundo. Às vezes, eu só queria que eles soubessem que a melhor educação que recebi na vida, não foi nos bancos de qualquer escola...mas sim dentro de casa, cada vez que meus velhos sorriem e demonstram seu amor. E se, daqui a um ano e meio, eu vier a ser chamada de mestra, passo meu título para eles, Dona Maria e Seu Gilberto; porque eles sim são meus verdadeiros mestres...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...