terça-feira, 25 de novembro de 2008

Futebol e brasileiros...

Eu estava decidida a ir dormir e encerrar minha segunda-feira. Mas ao ler alguns fóruns de discussão e blogs, não me contive. As palavras ficaram nas pontas dos dedos loucas pra ganharem o mundo. E cá estou eu.
Há pessoas que detestam futebol. Algumas com argumentos plausíveis e bem fundamentados; outras, pela simples arte de odiar; outras ainda pelo trauma de serem sempre as últimas a serem escolhidas pros times da escola. Eu amo futebol. Mas essa não é bem a discussão que queria fazer aqui. Quem me conhece sabe que sou são paulina fervorosa. Inclusive, já escrevi posts sobre meu relacionamento com o São Paulo. Sou tão apaixonada pelo time, que, como bem reparado por um colega, já não falo mais "o São Paulo ganhou, ou o São Paulo perdeu"; mas sim "nós ganhamos ou nós perdemos". Como se fôssemos indissociáveis.
Nos últimos 3 meses, o SPFC passou alvo de chacota por parte dos adversários, a líder do Campeonato Brasileiro. Há 3 meses não perdemos uma partida. Há 3 meses os torcedores que estavam tristes e cabisbaixos, tem ao menos um motivo pra sorrir na segunda. Há 3 meses os jogadores e o Muricy buscam forças diárias pra se superar cada vez mais.
Só que, desde que o São Paulo ultrapassou o Grêmio e se estabilizou na liderança, as "teorias da conspiração" começaram. Primeiro com a matéria maldosa e parcial da Sra. Globo a respeito dos erros da arbitragem no Campeonato Brasileiro; depois com a matéria ridícula sobre as previsões de tarólogos e pais de santo sobre o final do campeonato [Sim! Botaram deus na roda!]. E advinhem quem sempre sai perdendo nessa visão míope?! Pois é exatamente aquele que todos acreditam estar sendo beneficiado.
Sim!!! O São Paulo é sempre beneficiado! Beneficiado pelo ótimo técnico, beneficiado pela melhor estrutura de clubes do país, beneficiado pela força e garra dos jogadores, beneficiado pela torcida. Olhando por esse ângulo, sim, o São Paulo é o mais beneficiado dentre todos os outros times do campeonato. Quanto ao "favorecimento" da arbitragem, as pessoas que disseram que não houve falta no 1° gol do São Paulo contra o Vasco, são as mesmas que disseram que no jogo contra o Figueira, o Borges estava impedido no último gol. Ou seja, pessoas que ou não entendem de futebol, ou não tem argumentos, ou gostam mesmo é de cornetar.
E o que me irrita profundamente, é você ver que todo o trabalho feito pelo São Paulo [de oferecer estrutura, de fazer um bom planejamento] é esquecido e distorcido pela falta de argumentos e pela apelação. O São Paulo pode não ter o time mais brilhante do país, mas assim como um empresa, sabe como administrar as peças que tem. Só que a maioria dos outros perdedores [ops! torcedores] não entende que é esse diferencial que faz com que estejamos no topo do Brasileirão 08 [e fez com que ganhássemos os 2 campeonatos anteriores]. Não! Para eles, somos os bambis que só estão onde estão, porque gastamos muito dinheiro comprando a arbitragem. Para eles, devemos morrer e sermos expulsos do campeonato do ano que vem [ou, como sugestão de um róseo, "o São Paulo deveria começar com -15". Quá!].
O único problema é que brasileiros não são assim apenas quando se trata de futebol. Em nosso país, não se reconhece as boas qualidades que o próximo possui; mas se procura encontrar, mesmo que em falácias, motivos para não reconhecer que essas qualidades são frutos de esforço e trabalho. Essas são as mesmas pessoas que acham justo criar cotas para mascarar nosso pífio sistema educacional; são as mesmas que defendem as bolsas-auxilio, pra disfarçar a incompetência de nossos governantes; as mesmas que afirmam não terem conseguido um emprego melhor pois foram desfavorecidos pelo sistema. São as pessoa que, ao invés de lavar a sujeira, passam um paninho com Veja na consciência e sentem-se limpos.
E a esse tipo de pessoa, minha única resposta e atitude é o silêncio. É claro que a galhofa faz parte do bom futebol. Claro que se pode [e deve!] zoar os adversários. Senão, qual seria a graça da Segunda Divisão? No entanto, deve-se entender que galhofa não quer dizer falta de discernimento.
Ao contrário de alguns torcedores, ainda não nos considero campeões. Estou inquieta esperando o jogo de domingo, para então poder gritar, a plenos pulmões, "é campeão!" [Hexacampeão, aliás!]. Mas não quero gritar nos ouvidos alheios. Até porque essa será uma conquista nossa, e não dos adversários. Será uma conquista de trabalho e suor, e não de disfarces e declarações maldosas.
E acredito que é assim que os brasileiros deveriam se sentir ao conseguir um emprego, uma vaga na universidade, ou o suado salário no fim do mês: como uma conquista de seu próprio suor e trabalho, e não como resultado do (des)favorecimento de outrem...

Enfim... Desabafo feito. Ao som de Adoniran Barbosa e Demônios da Garoa.


Um comentário:

  1. Em primeiro lugar, eu queria agradecer muito muito você por ter me escolhido como sua presenteada. Nossa, eu realmente não esperava, fiquei lisonjeada.Muito muito obrigada.

    Agora, sobre seu texto, fiquei impressionada com seus argumentos, no fim quase me tornei uma são paulina. Mas na verdade eu sou daquelas que gostam de odiar por arte sabe?
    hahahaha. até gosto de assistir, já fui em estádio, mas é tão legal falar mal, coisa de mulherzinha mesmo.

    hahaha
    beijos e obrigada de novo : )

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...