segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Escolha mudar!

Hoje ficou pronto o contrato do meu apartamento novo. E, se tudo correr bem, quinta-feira estarei de "mala e cuia" em um novo chão. Não nego que hoje me bateu um medo, e com ele algumas neuras [tão comuns à minha mente perturbada]. Mas vou, de peito aberto, assumir minha escolha. Também não nego que já começo a sentir saudades de tudo aqui...
Lembro-me, de mais de um ano atrás, eu e Thon fazendo planos pra nossa mudança pra cá. Lembro-me de nossas risadas, de nossos sonhos, de nossos medos. Lembro-me de nossa primeira noite no desconhecido sem luz. E de nosso primeiro mês nas ruas frias de Curitiba. Lembro-me da chegada de Cacau. Lembro-me de sentir quase que a mesma coisa que sinto agora; uma mistura de alegria e tristeza tão intensa, que não se sabe onde começa uma e a outra termina. Ou talvez elas só existam juntas, sem começos ou fins...
Fizemos nossa escolha naquele junho, e estou fazendo a minha neste dezembro. Como se a vontade tomasse conta e fizesse tudo por si...
Escolhi mudar. E dessa vez não foi apenas a disposição dos móveis do quarto [que eu mudo a cada 15 dias]. Mudar o teto. Os hábitos. Os sons. As saudades. Não vou dizer que mudar seja uma escolha fácil, mas muitas vezes é a escolha que pode nos fazer mais feliz. E é por isso que batalhamos todos esses dias de meudeus...Para sermos felizes, primeiro conosco mesmos, pra poder depois, com o sorriso aberto, ser feliz ao lado de quem nos faz bem. Embora esse "ao lado" tenha significado "distante" no meu cotidiano presente. Mas distante de corpo, e não de alma. Alma essa que, assim como ficou em grande parte em Campo Grande, também vai ficar um pedaço aqui, nesse lugar no qual [ao lado daqueles que me deram força pra continuar] eu redescobri a mim mesma.
Não sei se essa "eu" que tenho descoberto é a melhor de mim. Me sinto desconhecida. Me sinto despedaçada. Me sinto uma folha de papel em branco...
E você, se quiser, escolha mudar! Mude essa cara triste por um sorriso largo de saber que a vida é um caminho sem fim de aprendizados. Mude essa vontade de não sair de seu quarto por um passeio pelas ruas cheias de desconhecidos que mudam a cada piscar de olhos. Mude aquilo que não lhe faz bem. Porque, embora sempre tenhamos pedaços de nossas almas guardados [nem tão de difícil acesso quanto Lord Voldemort], é com o pedaço que nos sobra que devemos conviver e aprender todos os dias...

[Esse post ficou meio saudoso... Mas logo começam os posts das novas aventuras em terras desconhecidas].

Playlist: Telegrama - Zeca Baleiro

Um comentário:

  1. Você vai mudar de quarto, de casa, de bairro!
    Ainda bem que o principal vai continuar o mesmo, né!?
    o mesmo sorriso bobo de uma menininha de vinte e poucos! ^^
    Medos virão, mas eu sei que superados serão!
    =)

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...