domingo, 8 de fevereiro de 2009

O vírus da adultescência

Há uns 4 meses, troquei meu box [referência: Sex and the City 6°t.] de jovem para adulta. Não que antes disso eu já não sentisse o vírus da adultescência se aproximando [afinal de contas, o aluguel e demais "supérfluos" já não eram pagos por papai há um bom tempo], mas o complexo de Peter Pan dava uma amenizada nesse bicho de 7 faturas que é a vida adulta.
No início do ano, num episódio fatídico entre agendas e eu [no qual deixei uma agenda da Capricho órfã na loja], notei o primeiro sintoma: o bom senso. Enquanto aquelas agendas coloridíssimas, cheirosas e fofas tentavam me abraçar na prateleira, eu exerci o meu auto-controle [descoberta recente, aliás] e comprei uma de papel reciclado [nem tanto pela onda eco, eu admito; mas porque acho a cor das folhas linda!].
Eis que ontem, o segundo sintoma me acometeu: as prioridades de sobrevivência. Borboleteando pela net, encontrei a sexta temporada de Gilmore Girls pela bagatela de 60 contos. Meus olhos brilharam, e dei pulos da cadeira [tenho até a quinta, e sou apaixonada por G.G.]. Mas, já que depois do sol sempre vem a tempestade [não sei na sua, mas na minha terra, sol ardido é sinônimo de chuva], lembrei que tenho vááárias prestações do fogão e da geladeira pra pagar, e, com uma baita dor no coraçãodegengibre, fechei a tela das garotas.
E então hoje, pra sacramentar o vírus, sinto o terceiro e mais avassalador dos sintomas: o discernimento. Estava toda animada pra ir ao show do Bando do Velho Jack [quem me conhece sabe que sou doentíssima pelos caras; tenho todos os cds; já trabalhei com eles; sei o set list de cor; enfim, fã pracacete!] com um putaamigo meu. Só que a criatura de outro planeta que vos fala não tem carta de motorista [assunto vergonhoso pra outro post], e precisou pedir carona pra mamãe. Só que a dona mãe não estava passando muito bem [na verdade, 'tava mal mesmo], e não ia dar pra ela dirigir quase 12 km pra me levar pro boteco. Se eu tivesse 20 anos, além de ter ficado putíssima, teria saído, tresloucada, 11 da noite, sozinha, e pego um ônibus. Mas não, no alto dos meus mais de um quarto de século, fiquei preocupada com a dona mãe, e decidi ficar em casa, calmamente, como uma brisa de outono.
Agora, enquanto fumo meu Marlboro e tomo minha cerveja [dignamente surrupiada de meu pai], descubro que uma das diferenças mais importantes entre o boxjovem e o boxadulto é a capacidade de discernimento. Hoje eu sei que não vou morrer, tampouco o mundo vai acabar, se eu não for ao boteco. Mas há 6 anos isso jamais me passaria pela cabeça!
De uma vez por todas o senhor vírus da adultescência me pegou de jeito. Ele pode até tirar umas férias, quando resolvo comer brigadeiro e assistir desenho o dia todo. Mas vai estar sempre aqui, incubado em minhas células, já que não tem mais como fazer um x no boxjovem [ao menos não sem mentir].
Mas quer saber?! Não estou triste não. Ser adulto não é ser velho. E fico feliz de ter adultecido [e não envelhecido] na hora certa. E de ainda poder me sentir uma criança quando me vejo nos olhos de meus pais.

12 comentários:

  1. Com certeza, com o passar dos anos, você percebe que não morreu só porque não foi naquele show perfeito! :D Acho que você para pra pensar mais nas coisas, ver se você realmente precisa fazer aquilo. ;*

    ResponderExcluir
  2. Oi querida, passei para agradecer a visitina no meu blog e o recado carinhosíssimo. Posso dizer o mesmo do seu blog, apaixonei. Agora virei mais vezes com certeza.
    Um beijo,
    Isa

    ResponderExcluir
  3. Engraçado como a gente "cresce" e como certas coisas que nos eram terríveis vão se tornando suportáveis quando comparadas a um outro bem.

    Meu, a gente tá ficando velho né??? rs

    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Sinto tudo isso e mais um pouco... é bom mas é ruim né? kkkkkk
    Bjos!
    **Thata**
    sem-firulas-blog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Vou fazer o auto-exame!!! Será que isso (auto exame, autoexame, auto-exame) é junto ou separado, tem hífen? Fala ae fêssora! Essas novas regras... pra acabar! Bjos Carol*.*

    ResponderExcluir
  6. adultecer é amadurecer!

    eu no auge dos meus 2.9 leio Capricho e NOVA.. dá pra entender a linha que distância uma da outra?

    Ninguém me dá a idade que tenho.
    Mas também não aconselho ninguém a subestimar minha inteligência adquirida de àsperas experiências ao longo dos anos, rs.

    Já assisti GG, gostei das atrizes, lindaaaas, ein? Achei as personagens bem divertidas! (Só espero não estar confundindo a série, rs)

    Bjoks.
    ;-)

    ResponderExcluir
  7. Espero que esses sintômas demorem de chegar até mim...
    Quero aproveitar o maximo que muder a minha adolescencia!

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi , adorei o blog . deve ser dificil se dar conta que esta crescendo . eu ainda tenho muito pra passar antes de chegar lá (espero , né :S). enfim , deixei um selo pra você lá no meu blog . passa lá pra você ver (: PS : nao é esse blog ai em cima , esse é antigo . é esse : http://wordsmachine.zip.net/

    ResponderExcluir
  9. Texto excelente.

    Essa coisa de ser adulto às vezes soa como uma mentira que dizem pra nós quando somos crianças. Eu acho que só fui me sentir um adulto há pouco tempo, mas ianda assim, faço horrores de coisa de quando era criança ou adolescente...
    Mas agora a gente tem paciência pra esperar as coisas ;)
    Nao tem dinheiro pra ver as Gilmore Girls? Baixa!
    Mas se é pra ter na mão, eu entendo, comprei um box lindo do Twin Peaks há pouco e não se compara, até porque os extras nunca vem nessas baixadas da internet...

    Mestrado de quê?
    Minha mulher tá acabando o dela de Artes Cênicas e tá bem louca :(

    Espero que tenha curtido o PÉ NA PORTA.

    Abração.

    ResponderExcluir
  10. Guriazinha, amo o seu blog. Escreves muito bom, uma das poucas blogueiras que ainda mantem com fôlego promissor, incrível

    ResponderExcluir
  11. Garouta,
    Eh, uma hora isso acontece.
    Só não tem data marcada.
    E é engraçado, né? Nem rola algo tão traumático assim, do tipo... ahhh o mundo acabou.
    A vida está começando pra gente agora.
    Depois q entendemos como é o jogo, fica td melhor.
    Besos

    ResponderExcluir
  12. Você me perdoa se eu disser que não li o seu post? Só uma pequena parte?
    Eu tô sem cabeça e sem tempo pra ler todos os posts, e tenho MUITOS comentários pra responder... Fiquei um tempo afastada do blog :)
    E agora estou de volta! hehe

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...