sexta-feira, 22 de maio de 2009

É Mato Grosso do SUL, estrupício!

Muita gente sabe que moro em Curitiba, mas poucas pessoas sabem que nasci no interior de Mato Grosso do Sul [mais precisamente em Dourados], e que cresci em Campo Grande. Apesar de ter cara de paulista e sotaque de mineira [um fenômeno que não consigo explicar]. Desde que cheguei nesta cidade, tenho tido muito trabalho pra explicar de onde vim. É sempre o mesmo diálogo: -De onde você é? - De Mato Grosso do Sul. - Ah! Eu conheço alguém que mora em Cuiabá. Lá é quente, né? - É. Mas eu não sou de Mato Grosso. Sou de Mato Grosso do Sul. - Mas não é tudo a mesma coisa? Porra! Nem uma multidão de japoneses é tudo a mesma coisa!!! Se tem nomes diferentes, é porque são lugares diferentes! Mas não adianta tentar explicar. A falta de noção geográfica das pessoas está arraigada por demais pra ser dissipada...
Eu sempre tento ser educada, sorrio quando acham que sou de Cuiabá, e saio balançando a cabeça, tentando entender qual é a dificuldade de se entender a diferença. E o pior é que não pára [o meu só vai perder o acento em 2012! Tenho escrito!] por aí! Pra maioria das pessoas, o nordeste se resume à Bahia. Isso quando não há aqueles que acham que de Brasília pra cima é tudo Norte, e que de São Paulo pra baixo é tudo sul. Essas pessoas não tiveram aula de geografia não, cacete?! Ou será que se recusam a aceitar que as divisões geográficas estão aí por um motivo que não cabe a eles questionar?
Também não é muito raro encontrar criaturas que acham que a capital do Brasil é Buenos Aires. Não! Isso não é uma piada de loira. Já ouvi muitos de meus alunos dizendo isso, ou então que a capital de nosso país é o Rio de Janeiro. O que que se vai fazer? "Vai matar?! Não! Tem que inducar, tem que iscrarecê!" [Pra quem não conhece Terça Insana, vale a pena dar uma olhada nessa personagem AQUI].
O que fico me perguntando é se os brasileiros não acabaram estigmatizando o próprio país, assim como o fazem os países do lado de cima da linha do Equador com relação ao Brasil. A maioria dos europeus e americanos jura de pé junto que em nosso país só existe samba, mato, mulher pelada, cachaça e futebol. A eles não interessa saber que a Paraíba fica no Nordeste, e que Nordeste não é sinônimo apenas de Lampião e Maria Bonita, ou de seca. Enquanto nós aprendemos na escola quais foram as principais revoluções mundiais, quais são as capitais dos países europeus, somos privados de entender por inteiro nossa própria história. Quando diabos vão parar de ensinar a versão "Globo" do "descobrimento" do Brasil? Quando os professores de História vão parar de tentar tornar seus alunos discípulos do marxismo e do petismo?! Quando eu vou encontrar um aluno que saiba todas as capitais dos estados brasileiros? Ou um adulto que não confunda Mato Grosso com Mato Grosso do sul?!
A maioria dos brasileiros sonha em conhecer a Europa, a Disney, mas não tem noção do que se passa pras outras bandas de nosso país. Acredita piamente nos esteriótipos criados pelas novelas globais, e a partir daí acha que todo mundo é igual a esse ou aquele personagem. A maioria se esquece que não há uma identidade brasileira, mas muitas. E que todas têm o mesmo nível de importância.
Fico me questionando se é necessário desafirmar uma outra cultura para conseguir afirmação para sua própria... Ou se é necessário todo esse bairrismo que encontramos espalhado pelo país. Não é raro encontrar um curitibano que acredite que a presença de pessoas de outros estados estraga a cidade, a torna pior. Como se o espaço da cidade fosse privado, e devesse ser ocupado apenas por aqueles que nesse espaço nasceram. E sei que isso não existe apenas aqui. É como se não fosse necessária a aceitação do próximo mais. Como se o local de nascimento determinasse o local de morte... Acho justo que alguém queira sair do local onde nasceu, especialmente se ali não há algo que o posso ajudar a crescer, a se desenvolver. E não vejo porque eu não posso me mudar de cidade e tentar crescer profissionalmente em outro lugar.
Sabedeus quando é que esse tipo de preconceito irá mudar. Se é que um dia irá mudar. Até lá vou ser obrigada a escutar: Ah! Você é do Mato Grosso? Eu conheço alguém em Rondonópolis! É quente lá, né? Só que vai chegar uma hora em que perderei a educação e responderei É Mato Grosso do SUL, cacete!

E vocês, também já tiveram que explicar de onde são? Já escutaram um estrupício declarando que a capital de nosso país é Buenos Aires? Conta pra mim, vai...

Companhia musical: Almir Sater ao vivo - Almir Sater

11 comentários:

  1. Sabe o que isso me lembra?

    "uma certa pessoa com sotaque de um lugar, gírias de outro e pensamento de todos" =)))


    ;*

    ResponderExcluir
  2. Isso é triste mesmo né?? Realmente as pessoas não sabem tanto quanto deveriam, e admito tbm não saber se ainda sei todas as capitais, mas pelo menos sei diferenciar os estados... kakakaka..
    Nunca tive problemas em explicar de onde sou, mas algumas pessoas já acharam que eu da Bahia quando eu respondia "sou de BH"..! ahUAHuaHuahuaHUAhUAA.. juro que foram muitassss pessoas que pensaram isso viu... depois passei a falar belo horizonte pra não ter que passar por vergonha alheia... =P
    E sobre a capital do Brasil, fala sério ow!!! Buenos Aires?? kakakakakaka... já ouvi gente contando que acham que nosso meio de transporte é o cipó! kakakkakaka.. aff...
    bjussss

    ResponderExcluir
  3. Oi, Patrícia!

    Sim, já tive que explicar inúmeras vezes que o NE não é só a Bahia, e que há outros 8 estados a mais naquela região, com identidades culturais distintas e até mesmo sotaques diferentes, hein?

    Sou de PE e estou no interior de SP há 4 anos. Não raro me perguntaram se eu era baiana. Ai que nerrrrvo!!! E aí, como “pheeena” e educada...kkkk...dava aula de geografia “de grátis” pro povo...

    Sobre Brasil, estive nos EUA por quase 2 meses fazendo um curso intensivo de Inglês. Isso há 3 anos. E sim, lá eles acham que aqui a gente vive o tempo todo no samba, e uma colega de sala (da Coréia do Sul) chegou a me questionar se a gente anda com “roupa de samba” na rua...kkkkkk... ai, meus sais minerais!

    E eles pensam que a gente fala espanhol, como a imensa maioria dos países da América Latina...:(

    É bonita! Rapadura é doce mas não é mole não!!!

    Ei! Bom que você tenha gostado do post sobre jardim japonês. Sobre a canção, RUGLA é a que mais gosto das que conheço do grupo Amiina. Mas tem outras muito boas e relaxantes também. Vale a pena conferir.

    Hoje pretendo fazer a caminhada de novo. Não estou mais quebrada e lascada... ehehehehe

    “Bóra” ver se a gente vence mesmo o sedentarismo?

    Beijo prá tu.

    ResponderExcluir
  4. ...kkk...acabei de ver o vídeo. E oh! É bem por aí. A gente vai fazer o quê? Vai matar? Tem que "inducá", tem que "escrarecê"...ehehehe...

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Pois então, esse é um problema antiiiiiigo. Qd eu era estudante do ensino fundamental (e põe 10 anos nisso), era o único da turma que sabia todas as capitais e identificar os estados por suas bandeiras, além de saber a região de cada um. Mas eu sabia disso pq adorava ficar com a cara enfiada num atlas geográfico imenso devorando cada informação. Acho q esse teu post encaixa legal com o post anterior, sobre o posto de saúde. Brasileiro precisa é de educação, e é qd vejo uma coisa dessas q concordo com o Tony Ramos. Criança tinha q ficar na escola das 7 da manhã até as 4 da tarde. Estudando não só o fundamental, mas td q é importante e extra curricular. Enquanto educação for tratado como quarta ou quinta prioridade de governante, só vai aprender quem tiver interesse mesmo... e dae pra perdermos uma Floresta Amazônica de vez não custa =/

    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Mas uma Campo Grandense ^^

    PS: Tem SELINHO pra ti lá no meu blog !

    ResponderExcluir
  7. Estou rindo aqui! Deve ser horrivel confundir o lugar em que você nasceu, não é? Eu vou viajar a Mato Grosso do SUL com meu pai nestas férias.. Vou a casa de uns parentes que eu nunca vi (vai ser bem diferente este passeio)

    Beijos professora de literatura, bom fim de semana ;*

    ResponderExcluir
  8. Complicado, né? Mas pensando bem....como é que um povo que não conhece os Estados do seu próprio país pode reclamar que um norte-americano confunda Brasília - DF com Buenos Aires? Concordo com o Alexandre... o Brasil precisa investir em educação!!!
    Não fique brava... são ignorantes que não tiveram a oportunidade ou em um caso ainda pior, a vontade de aprender.

    ResponderExcluir
  9. Eu moro no interior de Rôndonia, e por isso as pessoas acham que tem onça andando nas ruas e índios pelados com flechas nas nas costas!

    ResponderExcluir
  10. Uma amiga minha falou em uma apresenação de trabalo na escola que Santa Catarina fica no nordeste, e que em Santa Catarina tem dunas de areia!

    ResponderExcluir
  11. Oi, Patrícia!! Desculpe a mensagem pronta! Passei para avisar que acrescentei seu link à lista de participantes da blogagem coletiva "Em defesa da infância" quando puder, acesse a lista e saiba o que outros blogueiros estão repercutindo. Posteriormente essa lista estará também disponivel também no blogue "Diga não a erotização infantil". Beijus

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...