segunda-feira, 15 de junho de 2009

Honestidade Intelectual [Roubar palavras também é crime!]

No meio acadêmico, dá-se o nome de honestidade intelectual ao ato de se referenciar qualquer frase que pertença a outro estudioso e que possua, no mínimo, três palavras. É sabido que utilizar palavras de outras pessoas, sem lhes atribuir a criação, é considerado plágio, e que plágio é crime. No entanto, a internet está repleta de gente que não considera nem um pouco contraventora a atitude de copiar textos alheios sem lhes citar as fontes.
Quem vem aqui com frequência, já deve ter reparado em dois novos ícones que adicionei na barra lateral. Um deles é o Creative Commons, e o outro, o Myfreecopyright. [Os conheci num dia em que estava passeando pelo blog da Luma, o Luz de Luma, yes party!]. Ambos são modos legais de proteger meus textos. Formas que encontrei de estar amparada pela lei caso algum estrupício resolva que pode roubar minhas idéias. Há uma polêmica muito grande sobre isso na rede. Muita gente acredita que, se um blogueiro não ganha dinheiro com isso, não há necessidade nenhuma em reivindicar sua autoria. Já li em muitos fóruns, pessoas declarando que se algo é publicado na internet, é de domínio público. Domínio Público é o caralho! Se eu gasto meu tempo, meus neurônios e minha criatividade pra colocar um texto no ar, eu tenho todo o direito de querer que meu nome seja vinculado a ele! O fato de eu decidir compartilhar minhas palavras com outras pessoas, não quer dizer que eu as esteja doando para a comunidade virtual. Se assim fosse, escreveria no topo do blog "Fiquem à vontade para pegar meus textos e fingir que são seus". E nem venha com a balela de "Ai, foi você que inventou as palavras também?!" Não, eu não as inventei, mas reinventei um modo de colocá-las juntas...
É incrível como a maioria das pessoas ainda não se deu conta de que a vida não é feita apenas de bens materiais. Aliás, se a maioria das pessoas acredita que não há problema nenhum em comprar dvds piratas nas calçadas, dando dinheiro pra filhosdumaputa que estão burlando as leis, como eu posso exigir que elas respeitem meus bens intelectuais?!
Fato é que todo blogueiro que se preze tem orgulho de sua cria. Há muito tempo que o blog deixou de ser apenas um diário virtual, e vem caminhando cada vez mais para meio de publicação e comunicação. Quando alguém publica uma imagem ou um texto num blog, essa pessoa colocou um pouco de si ali. Na escolha das cores, das fontes, do layout. Na cuidadosa escolha das palavras. Ao se roubar um texto de alguém, se rouba um pouco da pessoa que o escreveu.
Muito desse comportamento pode ser atribuído ao nosso pífio sistema de educação [aliás, que mazelas de nossa sociedade não podem ser atribuídas a nosso sistema de educação?!]. Desde criança, o moleque aprende que fazer trabalho é dar um CtrlC+CtrlV no Wikipédia e imprimir. Não se ensina mais a fazer pesquisa, a analisar o que outros escreveram, a formar uma opinião crítica. Assim, as criaturas acham que não tem problema nenhum copiar parágrafos inteiros de livros e não citar a fonte. Pra quê? Perguntam elas. E ninguém nunca responde. E então o moleque acha que não tem problema pegar aquele texto bacana que ele viu num blog e escrever no seu próprio. Por que eu não posso? E ninguém responde. E o caboclo acaba crescendo, e continua achando que não há mal nenhum em assinar textos que não são seus.
Depois que coloquei a tal "proteção legal" no meu blog, resolvi que precisava falar disso. Desde que decidi postar aqui algumas partes do livro que estou escrevendo, fiquei pensando "E se algum filhodumaégua roubar minha idéia?". Imagina se eu chego um dia na livraria e vejo um livro exatamente igual ao meu? Depois de passar horas em frente ao computador, e tantas outras horas dando vida as palavras, vai lá um lazarento e rouba o que eu criei com tanto amor. E o pior aqui não é a perda material, não é o dinheiro que eu deixaria de ganhar, mas a perda intelectual, a perda de minhas idéias...
Mas não é só no meu caso que isso se aplica. Não é só para quem tem aspirações literárias ou jornalísticas. Cada página da internet [que está se tornando cada vez mais terra de ninguém!] é um pedacinho de seu criador. As minhas palavras são como filhas, as quais eu dei vida, nutri e criei. Assim como os filhos de verdade, uma hora elas têm que ganhar o mundo, mas isso não quer dizer que se deva esquecer o nome de sua mãe, ora bolas!
Eu já passei pela experiência de ser roubada. Um dia, lendo um blog, me deparei com palavras que me pareciam muito familiares. Quando as olhei atentamente, vi que eram minhas! Pedi, educadamente, para a dona do blog dizer quem havia criado as palavras. Ela não ficou nem um pouco satisfeita e retirou o texto do blog. Como se eu não tivesse o direito de exigir que minhas palavras levassem a minha assinatura! Ah pronto!
Eu sei que meus leitores nunca teriam a pachorra de roubar um texto meu. Porque [aqueles que conheço] são blogueiros conscientes e inteligentes. Mas acredito que a gente tenha que falar sobre isso. Já li alguns textos falando sobre o assunto, como esse AQUI, em que lançaram uma campanha pela originalidade dos blogs. Alguns comentários são odiosos! Tem gente que teve a pachorra de dizer que, se alguém não quer que seus textos sejam copiados, que lance um livro! Como se adiantasse... Tem também esse POST, no blog da Sandra Pontes, que falou super bem sobre o assunto. E sei que existem mais. Afinal de contas, temos o direito de querer que nossa criação seja respeitada!

E vocês, já passaram pela terrível situação de terem seus blogs roubados? Já escreveram a respeito? Conta pra mim, vai!

Companhia musical: Apesar de você - Chico Buarque

Companhia literária: "Nada lhe pertence mais que seus sonhos." [Friedrich Nietzsche]

9 comentários:

  1. Oi, Patrícia!
    Então... nunca sofri esse tipo de violência. Não que eu saiba, é bom que se diga. Mas, como você, acho tudo isso “uó”. É de uma pobreza, e digna de pena, uma criatura que age assim. Eu realmente não desejaria passar por isso, e no seu lugar, teria tido um “piripaque” ao reconhecer minhas palavras, meu jeito e minha identidade “bloguística”(sim, isso é neologismo! :D) no blog de outra pessoa. Aff!! Me dá nos nervos só de imaginar. Humpf! :(

    ResponderExcluir
  2. Textos copiados? Já tive o blogue clonado e pedi para o blogger deletar, deletaram. Uma garota no Multiply tem 38 postagens minha e não consta contato. O Multiply não faz nada! O último caso foi um reporter da wikibrasil que copiou um texto meu na íntegra sem colocar créditos, mesmo eu reclamando não fizeram nada. Tive que mandar um representante legal no escritório deles em São Paulo, somente depois disso colocaram os créditos. Houve um caso recente na blogosfera que chateou muita gente. Um advogado aparentemente idôneo, foi descoberto que copiava textos e a esposa também. Foi pedida a retirada dos textos ou a constância dos créditos, mas ele preferiu atacar o autor dos textos, dizendo que ele é que estava sendo copiado. Olha, muita coisa errada na web! Alguns amigos escritores preferem não colocar no blogue aquilo que querem editar em livro, porque muita gente acha que 'caiu na rede é peixe'. Mas vamos num trabalho formiguinha abrindo as cabeças. Muita gente não sabe que não se deve copiar imagens, por exemplo.
    Nesta postagem da Juliana Sardinha, o Compulsivo ensina como delatar os kibadores http://dicasblogger.blogspot.com/2009/06/como-denunciar-os-ladroes-de-conteudo.html
    Desculpe a correria em comentar, o meu computador tá fechando toda hora! Beijus

    ResponderExcluir
  3. E como é que funciona essa proteção que você colocou? É que eu também quero colocar no meu. Graças a Deus nunca fui roubada no meu blog [pelo menos que eu saiba], mas já aconteceu de eu escrever umas coisinhas e colocar no orkut e depois ver em orkut de outras pessoas e até fotologs [sim, sem a minha assinatura]. Sei lá, as pessoas perderam a originalidade. Pegar uma idéia alheia e dizer ser sua é muito baixo. Se não sabe escrever, não fonge né?? Acho ridículo e não sei oq faço se pego neguin roubando meus textos.. =P
    bjussss

    ResponderExcluir
  4. Minhas idéias e textos, felizmente, ainda não vi copiados por ai. Mas tive um recente caso de usarem uma foto minha como se fosse da pessoa e foi uma pequena mas muito chata dor de cabeça para resolver.
    Bjitos!

    ResponderExcluir
  5. Acho que foi também por isso que eu deixei o blog suspenso por um tempo... Aí vi os links na sua página e pensei 'opa! Agora dá pra fazer isso é?' Mas Patty, me ajuda, não consegui colocar os logos na minha pagina... Help, please?! =D
    E nem preciso dizer que concordo plenamente com tudo o que vc disse, né?
    Beijaaao
    =*

    ResponderExcluir
  6. Patty Querida.
    Tem um selinho pra tu no meu blog.

    Beijão saudades dos teus postes.

    ;)

    ResponderExcluir
  7. Tenho proteção também
    Já perdi as contas do quanto já vi na Blogosfera textos W.I.S[de minha autoria] por aí andando com outros nomes e créditos.
    É constrangedor e dá muita raiva! ¬¬³
    Gente que faz plágio não tem vergonha na cara

    ResponderExcluir
  8. Oi, Patrícia!
    Por enquanto, li só esse texto do teu blog, mas já me interessei em acompanhar.
    Cheguei aqui através de um comentário teu no blog da minha amiga Maíra(http://vidaemposts.wordpress.com/).
    A propósito desse teu texto, tenho uma dica pra te dar, que serve pra procurar plágios na web. Experimente o saite que te passo aqui: http://www.copyscape.com/
    Basta preencher a caixa de busca com o endereço da página que escreveste, que o copyscape vai comparar com uma multidão de outras. Se ele achar algum trecho de texto idêntico, fará um realce de fundo no texto (como se tivéssemos usado um marcador colorido).
    Um exemplo de falso positivo seria quando postas a citação de um autor famoso que outro blogueiro resolveu também usar no seu próprio texto. Nada de mais caso o autor famoso tenha sido citado.
    É muito bom saber que a turma que combate esse tipo de atitude citado no teu texto está aumentando.
    Realmente, mesmo que alguém abra mão do seu direito de autor, isso só significa que ele renunciou ao ganho financeiro de tal trabalho, mesmo porque jamais poderá renunciar a autoria do trabalho, que lhe é sempre de direito e deve ser sempre citado.
    Perdoe-me se fui muito prolixo, mas não sei dizer as coisas com poucas palavras. Também espero que meu comentário não tenha sido muito aborrecedor a qualquer um que o leia.
    Tenha muita sorte e sucesso.
    Abraço, desse seu novo leitor.
    ====================
    Vlademir M. de Moraes
    mvlademir@ibest.com.br
    Sejam Felizes.
    Sejam Ditosos.
    Estejam em Paz.
    ====================

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...