sexta-feira, 17 de julho de 2009

A magia da vida real...

Patrícia acordou com o toque do telefone ao longe. Pensou por um instante se levantaria para atender. Saiu correndo, e ao chegar perto do telefone, quedúvida!, o estrupício parou de tocar! De repente, sentiu um frio do diabo, e então se lembrou que no meio da noite se viu obrigada a tirar toda a roupa pois ardia em febre. Pensou em voltar pra cama, pois tivera uma noite horrível, sem conseguir dormir, com as narinas trancadas, a garganta doendo e o cérebro inquieto. Mas se lembrou que havia muito a ser feito, além do que, já era uma da tarde!
Fez café, botou um cd pra tocar, acendeu um cigarro e sentou-se em frente ao note. Leu seus e-mails, ficou feliz em saber que um artigo seu fora aceito para publicação e apresentação em um congresso. Começou a ler os jornais diários...
Ai meu São Jorge! Eu tenho que parar com essa coisa de ler jornal logo de manhã! Desse jeito, meu dia já começa com uma nuvem negra! É só morte, roubo, violência, sangue, corrupção... Opa! Péra lá! Uma boa notícia: Cruzeiro perde a final da Libertadores e Kleber chora feito uma criancinha! Vai, malacabado! Bem feito! Quem mandou tirar sarro da nossa cara?! Agora eu quero ver o caboclo oferecer o VICE pro Palmeiras... Lálálá.
Patrícia se levanta pra pegar mais café e cigarro, se espreguiça, troca o cd, e continua lendo os jornais.
Ah pronto! Não me diga que o Collor e o Lula viraram coleguinhas agora! Que diabo de abraço é esse, companheiro?! Eu vou te falar viu... Melhor mesmo é tomar um banho e, como diria a sábia senhora minha mãe, cuidar da vida.
Ao ir trocar de roupa, ela se dá conta de que não tem uma calça jeans que não esteja caindo. E é claro que também não tem nenhum cinto, já que todos mofaram no fatídico episódio das férias.
Que horror! Parece que eu peguei as roupas da irmã, de tanto pano que tem sobrando! Acho melhor parar de emagrecer, antes que eu suma. E é bom colocar duas blusas pra não passar frio, porque sol que é bom, niente!
Patrícia então rega as plantas, pede para que se comportem e cuidem da casa, e então parte pra odisséia de pegar ônibus.
Putaqueopariu, bicho! Três da tarde e esse povo já está fedendo! O governo podia fazer uma campanha em prol do banho, viu! E aproveitar, e criar uma lei que proíba as pessoas de passarem aqueles cremes fedidos do cão no cabelo e depois andar no mesmo ônibus que eu!
Chegando ao centro, ela desce e vai caminhando até a assistência técnica buscar o backup que pediu de uns arquivos, pois o pobre Don Corleone só voltara pra casa depois de 15 dias. Por ironia do destino, e filhadaputagem de Murphy, a assistência fica a 3 quadras do apartamento em que morava. Enquanto refazia o caminho que fez por quase um ano da faculdade até a antiga casa, foi se lembrando de seus primeiros passos por ali. Passa em frente do lugar em que foi assaltada pela primeira e única vez, assim que chegou em Curitiba. Lembra das lágrimas, da arma apontada na cabeça, da vontade de voltar correndo pro colo da mãe.
Ao caminhar mais um pouco, passa em frente ao terreno ao lado do prédio em que morava, e que pegou fogo. Patrícia se lembra da agonia ao ver as chamas devorando o lugar, e do medo de que elas se espalhassem para sua casa.
Então chega em frente ao portão de seu antigo lar. Se vê cheia de tristeza e saudade. Sente nunca ter voltado lá, e não ter mais falado com os amigos que ainda moravam ali. Sente vontade de vê-los, mas imagina que estejam todos trabalhando. E não sabe se eles gostariam de falar com ela...
Na volta da assistência, passa em frente a uma casa esotérica, na qual costumava comprar incenso e velas. Pede um pacote de velas verdes, e pergunta ao dono se ele não sabe onde ela poderia encontrar mudas de guiné pra comprar, pois tem procurado há muito tempo.
Eu tenho uma plantação de 13 metros de guiné vindo de Uganda aqui no meu quintal.
Mentira moço! E o senhor vende?
Não. Se você quiser, posso te dar umas 3 mudas, não me custa nada.
Ai moço! ‘Brigada! Era a única que estava me faltando pra fazer o vaso de sete ervas!
Patrícia sai lépida e faceira da loja. Vai caminhando até o shopping, pois decidiu por toda lei que iria ao cinema assistir Harry Potter, pois não voltaria mais ao centro até o próximo mês. Precisava relaxar um pouco a cachola, e esquecer um pouco a Dona Dissertação.
Mas, ao pisar na porta do dito cujo, dá de cara com um professor do mestrado. Ele pergunta se ela está produzindo bastante, como anda a dissertação. E ela, com um sorriso meio amarelo, e com vergonha de dizer que tem sido nocauteada pela bendita, diz que está tudo bem, quase terminado já. Deseja boas férias ao professor, e vai rindo de si mesma até o cinema.
E então, na companhia eterna de Murphy, dá de cara com uma fila quilométrica, infestada de crianças. Pensa em desistir, mas resolve ficar pra pagar um pouco de pecados...
Meia hora e uma quase alergia ao batalhão de crianças depois...
Boa tarde! Uma meia entrada pro próximo Harry Potter legendado, por favor.
O próximo é as 18:40.
Poutz! Agora são 16:40... Mas vá lá. Fazer o quê...
Com o ingresso suado na mão, resolve ir ao seu Café favorito matar o tempo. Mas é o tempo que a mata. Decide dar uma volta na livraria; ao passar em frente as lojas de roupa, sente saudades...
Bons tempos em que eu gastava meu dinheiro em sapatos e blusas, e não em Seguro Fiança e Fundo de Conservação de Imóvel... Mas tem uma coisa que não entendo, viu. ‘Tá todo mundo reclamando da crise, mas não tem uma criatura sem sacola aqui. Além de mim, é claro....
Patrícia sente suas mãos tremerem, mas não sente frio. Lembra-se então que a última vez que ingeriu algo que não fosse café, fora na noite anterior. Apesar de não gostar de junkiefood, vai comer na Subway. Ao pedir seu rosbifede30cm, instantaneamente se lembra de quando os amigos vieram visitá-la, para assistirem juntos ao show do Iron Maiden. Sente saudades daqueles dias de risadas, passeios e overdose de comida. Sente muita falta dos amigos. Queria que não estivessem separados por uma distância tão grande...
Depois de comer, se dirige até o cinema. No caminho, se lembra de quando comprou os DVDs de Harry Potter pra irmãzinha, que então tinha 6 anos, e foi iniciada na magia potteriana. Sente saudades das milhares de vezes em que assistiram HP juntas, e gostaria muito que ela estivesse ao seu lado naquele momento.
Fica triste por não poder acompanhar o crescimento de sua pequena princesa, que logo fará 12 anos. Se lembra das várias vezes em que foi confundida como mãe de Gigi, mesmo tendo 15 anos quando ela nasceu. No fundo, se sente um pouco mãe mesmo. Se lembra das tantas vezes em que deitava no colo da pequena, e recebia carinho na cabeça. E quando se dá conta, já está na portaria do cinema, prestes a enfrentar uma overdose de HP.
Patrícia sente falta das tantas madrugadas em que ela, T. e C. passaram jogando HP no Playstation, e discutindo os filmes e livros. Queria tê-los convidado para assistirem o filme juntos. Mas não sabe se deveria. Se poderia. E antes que a tristeza lhe fizesse companhia, a tela foi tomada pelo mundo mágico, e ela se desliga por 3 horas da realidade fria que congela o mundo fora da tela, como um dementador...
Passados 10 minutos do inicio do filme, um casal chega atrasado. Escolhem justamente os locais vagos ao lado de Patrícia, e começam a fazer barulho e conversar.
Ah se eu tivesse uma varinha agora! Era só um petrificus totalis e adeus encheção de saco!!!
Acabado o filme, ela vai absorta em direção a saída. Sonha com uma Firebolt que lhe possa levar pra casa sem a necessidade de ônibus. Até a habilidade de aparatar seria de grande utilidade. Mas se dá conta de que é uma mera mortal, cujo único poder mágico é sonhar. E depois de dois ônibus, chega a sua casa, que a ela parece mágica. Toma o que restou de café na garrafa, deitada na rede, e imagina o quanto uma Penseira seria útil para guardar todas as lembranças que teve durante o dia.
Tenta não se deixar ficar triste, pois sabe que o passado tem o poder de acinzentar o presente quando quer. Olha pro colorido de sua sala, espalhado nas velas, nas flores, nas borboletas penduradas em fitas de cetim, na toalha de chita, nos lápis de cor, na rede... Pensa que é sempre necessário que carreguemos conosco um caleidoscópio invisível, para dar cor ao mundo que se quer negro. Vai dormir pra sonhar com Hogwarts, ou qualquer mundo mágico que não tenha dor, solidão e tristeza. Mas no fundo ela sabe que pra que sua vida seja mágica, basta que ela a queira assim. E então se rende aos encantos do belo Morpheu, e não sonha, pois sabe que os sonhos que se sonha acordado, e que se pode tornar reais com as mãos, são mais valiosos do que aqueles que ficam perdidos no espaço-tempo de mundos inventados...

Companhia Musical: [lembrando que se clicar nos nomes da músicas, dá pra ver os vídeos no Youtube]
O mundo é um moinho – Cartola e seu pai
Chega de Saudade – Chico Buarque
Força Estranha – de Caetano com Ana Carolina
Wasted Years - Iron Maiden

Companhia Literária: “Matar o sonho é matarmo-nos. É mutilar a nossa alma. O sonho é o que temos de realmente nosso, de impenetravelmente e inexpugnavelmente nosso.” [Fernando Pessoa]

9 comentários:

  1. Ahhh...
    que isso, essa narração foi no MINIMO SENSACIONAAL .

    Ameii =)

    E tb fui ver HP... Amo³ , queria estudar em Hogwarts e ter uma penseira....

    Lalalala...

    Saudaaaades meninma má ;)

    beiiijos

    ResponderExcluir
  2. Patrícia

    Eita que post saudosista esse, né? Mas ainda bem que o dia terminou bem, sem nuvem cinza... sem nuvem cinza, né? ;)

    Gostei de a gente clicar e ser levada ao vídeo no youtube. Sempre foi assim, ou eu sou estúpida e não me liguei nisso antes? :o

    Ah! Vá caminhar no parque, sim. Tomara que isso te faça bem, muito bem. Geralmente o efeito é muito bom, pelo menos comigo funciona assim. ;)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Putz, gente fedida no ônibus ninguém merece... aqui em São Paulo é default! Mas isso não é só previlégio de brasileiro não, os indianos e africanos em geral são adeptos dessa "moda"..

    SAbe o que eu acho mais legal de fazer pós-graduação!? A flexibilidade nos horários. Se vc quiser ir ao cinema em plena quinta-feira a tarde ótimo... vc faz seu horário de trabalho, é maravilhoso (exceto pelo valor da bolsa, né!?).

    Meu, assalto a mão armada, incêndio, vc passou vários perrengues ai em Curitiba, não!?

    Patrícia, vc gosta da série Seinfeld!?
    Sempre que leio seu blog me lembro de Seinfeld, que é a minha favorita.
    Tem um episódio que um cara chamado Jimmy fala sempre na terceira pessoa, e o George, um dos personagens principais, começa a fazer igual, é bem engraçado... Acho muito legal quando vc escreve por exemplo "Patricia isso... Patrícia aquilo" :))

    A propósito, parabéns pela aprovação no congresso.

    ResponderExcluir
  4. Foi para evitar essa muvuca que não fui na estréia de HP. Não tenho muita paciência.
    E você não estava fazendo nada de errado, mas que azar encontrar o prof de mestrado bem nessa hora, né?
    Bjitos!

    ResponderExcluir
  5. Ai, Patrícia, vc precisa cuidar melhor da sua alimentação menina, fico zonza só de ler seus posts. Não me entenda mal, mas ficar longos períodos em jejum não é bom.Se cuida!

    Fez muito bem relaxar pra diminuir o stress. E nada melhor que HP.

    Eu tb sou fãzoca da J. K. Rowling. E conheço muito intelectual que torce o nariz quando digo isso. Mas só quem não leu pode achar ruim, né não?

    Tá tão frio assim em Curitiba é? Meu marido vai aí a trabalho na semana que vem.

    ResponderExcluir
  6. Patricia, que conto fantástico, até parece realidade kkk ou será que seria ao contrário rs !!


    bjks

    ResponderExcluir
  7. NÃO ESTARIA MINHA QUERIDA AMIGA COM SAUDADE?
    EU FICO ASSIM QUANDO ESTOU...
    E TENHO QUE DIZER QUE SÃO OS SONHOS QUE DETERMINAM O CAMINHO QUE SEGUIMOS, SE ESTAMOS DE BEM COM ELES, SEGUIMOS UM CAMINHO LEVE E DESCONTRAÍDO, SE ESTAMOS EM FALTA PENAMOS UM POUQUINHO MAIS
    VIXE, NÃO LIGA, TO FICANDO MALUQUINHA!!!
    BEIJO, BOM FINAL DE SEMANA!!!

    ResponderExcluir
  8. Viu só? vc sobrevive a tudo muié...agora uma coisa é certa, comer faz bem...fumar é bom demais mas estomago cheio é melhor e sabe né, a falta de sal e açucar no organismo pouco a pouco nos leva à depressão!!! sai dessa vida minina..trate de comer! depois f...o mundo, a violência, a nostalgia...saudosismo fica bem melhor de estomago cheio e nada de chicletes hein!
    beijocas feliz week end!
    P.S. 4a. feira, enquanto rolava o jogo pensei em vc...eu aprecia uma idota torcendo pro Cruzeiro, suando, xingando e alí me lembrei de uma sampaulina da peste que não perdoa nada..e não errei! cá está a mininha má, comentando sobre o jogo! ahahahha

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...