quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Dez "verdades" sobre morar sozinha.

Companhia Musical
Abrigo de Vagabundo - Clara Nunes e Adoniran Barbosa
Vá morar com o diabo - Cássia Eller
Partido Alto - Cássia Eller
Satisfeito - Marisa Monte
Ave Cruz - Céu

Companhia Literária
"Eu quase que nada sei, mas desconfio de muita coisa" [Guimarães Rosa]


Existem vários blogs e sites espalhados pela internet que falam sobre como é morar sozinho. Eu mesma tenho uma série aqui no blog, a Vida de solteira é assim. Mas percebi que apesar de ter mostrado nos posts um pouco do que é morar sozinha, nunca cheguei a falar diretamente sobre o assunto. Então hoje decidi fazer um post com algumas afirmações de quem quer morar sozinho, dando a minha opinião sobre...
‘Bora lá?

1. Você vai poder chegar em casa na hora que quiser e ninguém vai te encher o saco.

Pode sim. Mas, situemos bem esse “a hora que quiser”. Se você trabalha, ou estuda, não rola chegar de madrugada e ir no outro dia parecendo um cão de tão malcabada, né.

“Ah! Mas no sábado vou poder chegar de manhã, porque no domingo não trabalho”. Opa! Claro que vai. Mas... a que horas você vai limpar a casa? Lavar a roupa? Fazer os trabalhos da faculdade [se estiver na faculdade]? Acha que vai poder chegar a hora que quiser e passar o dia todo dormindo?


2. A louça não é auto limpante e não sai da pia sozinha.

Que ela não é auto limpante, isso lá é verdade. Agora, sobre a parte de não sair da pia, depende. Se você mora com mais gente [amigos ou república] é capaz de haver uma alma bondosa que lave a louça que você sujou.

Ou então, há os casos em que a louça vira Gremilin, que é quando você deixa um prato sujo na pia e no outro dia aparece outro, e mais outro, assim, milagrosamente!

3. Eu vou adorar o silêncio da casa.

Ah vai... Pode ter certeza que vai... Você não vai mais ter sua irmã escutando sertanejo, nem sua mãe reclamando da bagunça do quarto, mas, em contrapartida, vai ouvir: o vizinho crente cantando o dia inteiro aquela música que você DETESTA; as discussões do casal de vizinhos de cima; os cachorros da vizinhança, especialmente na hora em que você quer dormir; e, se como eu, você for picado por uma aranha radioativa, vai ouvir até a água correndo pelos tubos do prédio. Porque, sim! Você desenvolverá uma audição fora do normal, devido ao medo de ser assaltado e outras paranóias comuns a quem mora sozinho.

4. Vou poder andar de calcinha/cueca pela casa

Isso vai. Contanto que você não more em Curitiba, porque, se esse for o caso, vai ter que andar com dois casacos, duas calças, e é capaz de ter que andar com duas calcinhas, tamanho é o frio! E se você morar com mais pessoas, é bom ter uma conversinha sobre isso, pois é capaz de seus roomates não gostarem de ver sua calcinha da Capricho pela casa...

5. Vou poder beber todo dia e me alimentar só de tranqueiras.

Quanto a isso, vamos separar em itens?
Sim, você pode beber todo dia, mas isso se chama alcoolismo, meu filho! Além do que, se gastar todo o dinheiro em cerveja, é melhor ir se acostumando com a idéia de morar embaixo da ponte, porque desse jeito não sobra dinheiro pro aluguel.

Quanto ao se alimentar de tranqueiras. Ninguém se alimenta com tranqueiras. Sei que dá pra passar dias comendo só bolacha e tomando Coca-Cola, mas isso, na minha terra, não é se alimentar. Ah! E café e cigarro também não conta como comida, viu. Eu também achava que conta, mas descobri, depois de passar mal diversas vezes, e de ter uma conversinha com o corpitcho, que não rola viver só disso.

Além do quê, você aprende que é muito mais barato comer que nem gente grande. Que fazer comida gasta menos do que comer fora. E que pode até se divertir cozinhando, por que não?!

6. Nem vou me preocupar com a roupa. Vou mandar lavar na lavanderia.

Meu amigo. Deixa eu te contar uma coisa. Ir a lavanderia é a mesma coisa que rasgar dinheiro. Por quê? Porque lavar roupa nem é um bicho de sete cabeças, mermão; especialmente se você tem uma máquina. É só não deixar a parada acumular. Lava uma vez por semana, e pronto. Sobra o troco pra cerveja.

E se você não tiver uma máquina? Uai, tem braço pra quê, estrupício?! Eu não tenho máquina de lavar, e lavo a roupa numa boa. Além do que, lavar roupa deixa os braços fortinhos, e você não precisa gastar dinheiro em academia, logo, mais trocados pra cerveja.

Como é que lava roupa na mão? Mas essa sua mãe não te ensinou nada mesmo, viu! Procura no DeusGoogle que já teve um bando de gente boa dando tutorial de como lavar roupa. Ou então espera meu próximo post com dicas.

7. Não vou me preocupar com a limpeza da casa. Contrato uma diarista pra vir de 15 em 15 dias e ‘tá tranqüilo.

Ah sim. E nos outros 14 dias? Vai viver num chiqueiro?Não vai matar dar uma organizada no cafofo, né. Jogar as latas de cerveja, as caixas de pizza, e o lixo fora diariamente. Tirar a roupa da sala e colocar no cesto de roupa suja. Não cai a mão não! Eu juro!

Não precisa ser como eu, neurótico com limpeza e organização. Mas não é saudável deixar a casa suja e fedendo, viu.


8. É melhor eu morar com os amigos do que sozinho. Assim não vou me sentir solitário.

Pois então. Eu sou suspeita pra falar sobre isso. Morei 1 ano com mais 2 amigos, e decidi que nunca mais nessa vida moro acompanhada de novo [a não ser que eu encontre o Shrek perfeito! Mas isso é outra história]! Por quê? Porque você descobre que as pessoas têm hábitos e manias só delas, e como elas não são seu irmão, você não vai poder xingar e bater quando der na telha. Vai ter que conversar, e conversar, e se a conversa não der certo vai ter que engolir seco. Ou, como eu, dar no pé e ir morar sozinho.

Sobre a solidão. As pessoas que moram com você não têm a obrigação de te darem atenção, isso é fato. Há também os dias em que, mesmo se trombando na casa várias vezes, ninguém troca nenhuma palavra. Por quê? Porque não tem obrigação. Simples assim.

9. Eu vou poder levar quem eu quiser pra dormir em casa.

Vai. Sossegado que vai. Mas, me responde uma coisa... Você acha mesmo que é uma boa idéia trazer pra sua casa aquela menina gostosa que conheceu na balada? Ou então aquele cara que conheceu na festa do amigo de um amigo seu? Na melhor das hipóteses você vai acordar sem a carteira. Na pior? Sem o rim!

‘Tá rindo e achando que eu estou exagerando? Então a gente faz assim, você experimenta e depois de conta. Isso é, se sobrar alguma coisa de você nesse “depois”.

Pode parecer piada, mas isso deve ser encarado com bastante seriedade. São raras as pessoas em que podemos confiar hoje em dia, e, muitas vezes, não podemos confiar nem em nós mesmos, principalmente quando o Sr. Álcool está envolvido na história. Ficar bêbado na casa dos amigos é divertido. Você dorme lá e vai pra casa de ressaca no outro dia. Agora, ficar bêbado em boteco e sair de lá com um estranho? Você jura que isso é uma atitude inteligente?!

10. Eu nem vou sentir saudades dos meus pais.

Ah tá! Jura né?! No primeiro mês você vai perceber que o silêncio te incomoda, principalmente se você veio de uma família italiana como eu, que fala alto e pelos cotovelos. Depois do segundo mês, você vai contar os dias pra ir pra casa de mamãe, meu bem. Não só porque a comida dela é a melhor do mundo, ou porque ela vai lavar a sua roupa, mas porque, apesar de você, no alto de sua prepotência, não querer admitir, vai estar com saudades! Daquelas que dói. E muito viu.


Por hoje é só, velhinho. Claro que eu tentei dar um panorama divertido disso tudo. Mas, quem acompanha o blog, sabe dos perrengues que eu passo nessa vida de solteira que mora sozinha...

Não é fácil, mas também não é impossível. E é pensando nas pessoas que estão loucas pra sair da casa de mamãe, ou então acabaram de se mudar, ou mesmo as que já são “macacasvelhas”, que vez ou outra vou fazer um post falando dessa “odisséia” que é morar sozinho, dando dicas, contando causos e dividindo histórias. Por que o mais bacana de se morar sozinho é ter histórias pra contar...

Pra quem quer mais dicas, tem uma comunidade no orkut, A Odisséia de morar sozinho, que tem várias dicas bacanas, e na qual o pessoal compartilha as experiências sobre essa vida nossa de dar boa noite pro casal Bonner e Bernardes...

E você, ficou com alguma dúvida? Tem alguma pergunta? Tem alguma história de “morar sozinho” pra compartilhar? Conta pra mim, vai!

Os quadrinhos que ilustram o post são da autoria de Samanta Flôor, ilustradora talentosíssima. Os outros trabalhos dela podem ser conferidos no site Conrflake [vale a pena!].

Ps: Pra visualizar melhor as imagens, é só clicar nelas.

"Agora diga tchau, Lilica!
Tchau Lilica!"

40 comentários:

  1. Nada de exagerO em nenhum ponto da postagem! até parece q vc me descreveu qdo falou do alge da prepotencia, escondendo a super saudade da comida da mamãe q eu tanto dizia odiaar, dá uma saudadezinha boa d qdo eu dividia ap... Tenho uma lista das coisas q sinto falta... Mas é uma nostalgia gostosa. É bom identificar-se assim. Grata!

    ResponderExcluir
  2. Oi Waniza,

    De nada! É bom a gente compartilhar essas coisas, né não?
    E é sempre bom ter coisas boas pra lembrar com saudades.
    'Brigada pela visita, viu!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Paty, quando eu era solteira morri ade vontade de morar sozinha, de estudar fora, de fazer intercâmbio... enfim, nunca fiz nenhuma dessas coisas. Minha segunda irmã, fez residência em outro estado. Minha terceira irmã foi morar no Ceará quando trabalho no programa de saúde da família e minha quarta irmã está fazendo concurso em vários estados.

    Pelo jeito a única que não terá causos para contar sobre essa odisseia serei eu.

    Eu gosto do meu espeaço mas gosto muito mais de conversar. Se morasse sozinha, viveria na internet, no telefone ou lendo livros... cozinhar, nem pensar, pois já pensou fazer toda comida e não ter ninguém pra experimentar? E a quantidade de comida que iria se estragar? A não ser que eu congelasse...

    Adorei o jeito bem-humorado que vc usou neste post.

    Bjks.

    ResponderExcluir
  5. Obrigada!
    Tua maneira deliciosa/amiga de escrever me fez muito bem.
    Hoje, num dia de muita tristeza/solidão, onde eu estava me sentindo uma m..., me iludi um pouco achando que compartilhávamos um bate-papo de amigas.
    Talento. Puro talento para escrever. Parabéns.
    Andei passeando pelo blog.
    Virei mais vezes.
    Vera

    ResponderExcluir
  6. Oi Claudinha...
    Mas é claro que você tem muitas histórias pra contar, mulher!
    Não morou sozinha, mas tem as histórias de mãe e esposa... E ó, eu adoro ouvir as suas histórias viu. Porque é uma vida desconhecida pra mim, e você as conta de um jeito tão gostoso =)

    Quanto à comida, a gente aprende a cozinhar menos. No começo eu estraguei bastante comida, porque fazia muito e não dava conta de consumir. Depois me acostumei, e hoje faço do ato de cozinhar uma festa.
    Sempre coloco uma musiquinha, canto. Faço uma festa sozinha =)
    Não fosse assim, ficaria triste, sabe...

    E ao contrário de você, eu adoro ficar sozinha. Por isso acho que não nasci pra constituir família. Qualquer coisa que "ameace" minha solidão voluntária já me irrita...

    Mas que om que a gente vive muito, e jeito que nos faz feliz, né =)

    Beijão procê!

    ResponderExcluir
  7. Oi Vera,

    Poxa, fico muito, muito feliz que minhas palavras tenham lhe agradado...
    Volte sempre sim. Pra uma conversa, pra um café...
    E não deixe a tristeza tomar conta de você. Essa bicha é tinhosa, e se a gente deixar inferniza nossa vida...
    E não há o que agradecer, viu.
    Eu é que agradeço sua presença e suas palavras...

    ResponderExcluir
  8. Eu tava decidida a ir morar sozinha tipo omaisrápidopossível, mas aí fiz uma lista de prós e contras e vi q não é coisa pra agora... Mas sim, eu seria muito mais livre se morasse só! Talvez muito mais carente tb, e é por isso q só vai acontecer depois da experiência de fazer faculdade, qdo eu tiver grana pra me sustentar, fazendo algo q eu realmente gosto.. Ponto. =]
    Nem preciso falar q amei o post né?
    Bjin
    =*

    ResponderExcluir
  9. Patricia,

    Li ontem à noite os seus dois últimos posts. E pensei em tantas coisas para dizer e comentar que resolvi dedicar mais tempo a essa viagem. Na verdade, adoro essa interação dos comentários e faço isso sempre com cuidado e prazer. Por conta disso, deixei para hoje cedo o exercício do comentário. Mas voltei a ler os textos e pensei que vou escrever com mais calma ainda, porque são tantos ítens que gostaria de conversar que nem sei se um comentário só daria conta. Enfim...vou fazê-lo hoje ainda. Mais tarde volto aqui. Gostei de ler você...boamininamá.

    bjs

    ResponderExcluir
  10. Oi Lua,
    Na minha opinião, você tomou uma decisão muito acertada, viu...
    Pra morar sozinho, a gente tem que ter maturidade, e a certeza de que vai conseguir conviver consigo mesmo.
    Assim, a gente pode aproveitar a experiência da descoberta, a gostosa experiência de se descobrir e descobrir o mundo à nossa volta...
    Vá planejando direitinho, e tenho certeza que quando a listinha tiver mais prós do que contras, você não vai se arrepender de ter esperado =)
    Beijo procê!

    ResponderExcluir
  11. Oi Verônica,
    Muito obrigada por suas palavras, viu!
    Espero que minhas palavras tenham lhe proporcionado "boas viagens" =)
    E não vejo a hora de ler sua opinião, pois gosto muito de ler você...
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  12. Por essas e por outras que eu ainda prefiro morar com mamãe. :D

    (se for me responder, responda no Mundo de Natty, por favor)bjbj

    ResponderExcluir
  13. GOSTO DE ESTAR COMIGO MESMA, AS VEZES TEMOS O MUNDO ALÍ EM VOLTA DA GENTE E NÃO FAZ A MENOR DIFERENÇA
    MAS GOSTO MAIS DE MESA CHEIA, MUITOS TIOS E PRIMOS, FILHOS SEMPRE POR PERTO, GENTE NOVA, JÁ VIVÍ SOZINHA, DIVIDINDO AP AÍ NA TERRINHA, MAS NÃO REPETIRIA ISSO.
    HOJE EM DIA ENTENDO POR CASA O MEU LAR, MINHA FAMILIA, MEUS AMIGOS, A CONVIVÊNCIA.

    MAS OLHA, VC ESTÁ SE SAINDO MUITO BEM, PARECE BEM SEGURA DO QUE QUER, E DE QUE PRECISA PASSAR POR CERTAS SITUAÇÕES PRA CHEGAR LÁ.
    E SEMPRE DIGO QUE SAUDADE É A MAIOR EXPRESSÃO DO AMOR, DO GOSTAR A TAL PONTO QUE SE TORNA DOLORIDO VIVER SEM
    BEIJINHOS

    ResponderExcluir
  14. Menina, não gosto de solidão.
    Gosto de ter gente me esperando, gente para dividir as tarefas, gente para fazer bagunça. Sou sagitariana, gosto de gente.

    Isso não quer dizer que não tenha momentos que goste de um pouco mais de paz.

    Nos último tempos na casa da minha mãe senti essa necessidade, de ter meu espaço e aí casei. Meu marido é um companheiro e quando ele não está, a casa fica tão vazia.

    Enfim, adorei o humor do texto. Ficou uma delícia de ler.
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Oi Karol,
    Pois é menina... Sabe que eu tenho dois lares?
    O meu cafofo e a casa de papai e mamãe. Porque, por mais que eu já não more mais lá, sempre me sinto em casa quando vou visitá-los.
    Eu descobri nessa jornada que nasci pra viver sozinha. Não digo que isso nunca vai mudar, porque gosto de experimentar as coisas. Mas aprendi que não sou uma pessoa de fácil convivência, porque tenho necessidade de silêncio, e de conversar comigo mesma.
    E obrigada por dizer que estou indo bem, viu. Eu espero que sim... No fim das contas, me sinto muito feliz assim, aprendendo.
    Beijo procê!

    ResponderExcluir
  16. Oi Rosi,
    Sabe que eu sempre vivi cercada de gente? Era professora em três períodos, e nos finais de semana produtora cultural. Assim, muito raramente eu tinha oportunidade de ficar só.
    E depois que descobri como é, amei.
    Sei que é um defeito meu não saber compartilhar meus momentos com as pessoas. Às vezes acho que é porque já compartilhei demais, às vezes que é defeito de fábrica mesmo.
    Acho lindo casamento, mas definitivamente, não nasci pra ter um. Pra mim casamento envolve muito aprendizado, muita adaptação, e só os "iniciados" conseguem sobreviver a isso =)
    'Brigada pelo elogio, viu. Acho que essas coisas sempre tem que ser tratadas com bom humor. Senão a gente chora =)
    Beijo procê.

    ResponderExcluir
  17. OI, Paty, é verdade... Isso de tempo é muito relativo. Pra fazer o que a gente gosta a gente sempre encontra um tempinho livre. Mas já pra fazer o que a gente não gosta a gente encontra é desculpa, né não?

    POis é, eu admiro quem consegue morar só. Tenho uma amiga que mora só, mas tem faxineira, come fora todo dia e tem alguém que passa a roupa dela. Assim é mais fácil, né? Vc lava a mão? Fiquei boba como encontra disposição! Mas como vc falou, ao menos os braços ficam em ordem. Admiro essa sua capacidade de fazer a limonada com o limão que a vida oferece.

    Quanto ás histórias que eu tenho pra contar, que bom que lhe interessam, pois sinto o mesmo pelas suas. É um mundo que eu nem cheguei a conhecer.

    (Posso contar um segredinho, bem baixinho, pras outras amigas não ouvirem e se enciumarem? Seu blog está ganhando um espaço enorme no meu coração e mente. Outro dia sonhei com ele. Com algo que vc tinha postado. Acho que foi naquele post sobre a vida... realmente ele me tocou fundo.) Passo o dia louca pra chegar em casa, arrumar as meninas, desocupar um pouco pra vir ver se vc psotou. Vc tem de publicar esse livro logo... assim, poderei levá-la comigo e lê-la onde puder e quiser.

    Um bj.

    ResponderExcluir
  18. Oi, Patrícia!
    Menina, nunca morei sozinha na vida. E sabe de uma coisa? Nunca encararia isso. E sabe de outra? Te acho super corajosa por isso.

    É, admito. Sou frouxa mesmo. Fazer o quê, né? Mas, oh! Me diverti lendo tuas advertências para quem acha que morar sozinho é a coisa mais fácil do mundo. Você me faz avaliar que você é lúcida o suficiente para reconhecer vantagens, desvantagens e o melhor? Tira proveito disso tudo.

    Ótimo post de utilidade pública. :)
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  19. Oi Claudinha...

    É verdade, menina! A gente seeeempre acha um jeitinho de fazer o que gosta, mesmo que o tempo esteja atribulado. Mas isso é bom, o problema é se a gente só fizesse as coisas que tem a obrigação de fazer, e se esquecesse do que nos faz bem, né =)

    Então... Sabe que eu não consigo me imaginar com faxineira? Logo que me mudei, e que morava com mais 2 amigos, eles queriam contratar uma diarista, e eu achei o cúmulo.
    Pode parecer loucura, mas eu me divirto fazendo faxina, lavando minha roupa... É claro que tem dia certo pra isso, mas tento imaginar que enquanto estou tirando a sujeira "material" também estou tirando a espiritual... Coisa de gente doida...
    Além disso, desde que era muito pequena, sonhava com uma casa só minha. Porque eu e minha família sempre moramos em casas muito pequenas, e sempre tinha uns parentes que vivam na casa da mãe, porque ela sempre gostou muito de ajudar a família. Só que por isso, nunca tive muito espaço em casa, nem um quarto só pra mim. Então, no fundo, quando arrumo minha casa, estou realizando um desejo de muito tempo =)
    E eu lavo a roupa na mão sim, bonita. E cantando ainda! Os vizinhos devem adorar xD

    Ai meu pai! Assim você me faz explodir de alegria, mulher!
    'Brigada, viu Claudinha... Devo dizer que meu carinho e minha admiração por você só aumentam a cada dia que passa... De verdade mesmo...

    Quanto ao livro, sabe deus... Vou tentar entrar em contato com algumas editoras, mas sabe como são as coisas nesse nosso país, né...
    Mas ó, só de saber que você me levaria pra onde pudesse, fico mais animada ainda =)

    Beijão procê!

    ResponderExcluir
  20. Lidi!
    Que saudade de você =)

    'Brigada pelas palavras, bicha...
    Mas quer saber? Eu admiro por demais as pessoas que encaram um casamento. Pra isso, eu é que não tenho coragem =)
    Acho que aqueles que se casam são corajosos em se doar ao outro, em aprender a conviver... E por isso não acho que você seja frouxa não, viu.
    E 'brigada pelo "lúcida", bonita.Quem sabe assim eu me convenço que não sou tão louca =)

    Beijão procê!

    ResponderExcluir
  21. É fato que eu não moro sozinha, mas sabe que só percebo isso quando quero usar o computador ou quando eu vejo a louça acumulada na pia né. Considerando que todos passam o dia fora, e que meu pai e minha irmã me excluem da conversa deles, já que eu não sei nada de medicina e também não quero falar de doença dos outros [fato!], me sinto uma menina que mora só. Sim senhor, porque eu lavo, passo e cozinho, não todos os dias, claro, mas faço isso! Ligo pra aluguém às vezes só pra lembrar que ainda tenho voz, de tão calada que fico as vezes. Eu tenho sim vontade de morar sozinha, mesmo com todos os contras. Não vou sentir falta de alguém pra lavar minha roupa nem fazer minha comida mesmo, já que eu faço... Ah, a saudade sei que vai bater, sei mesmo, apesar das brigas e desentendimentos, mas aí é só vir dar um oi pra galera, pq não vou morar em outra cidade, com certeza... e bom, acho q vou sofrer mais é com a paranóia de estar sozinha a noite, mas já fiquei em ksa sozinha várias vezes qd Doutor Pai viajou com minha irmã... mas isso a gente acostuma..
    adorei as dicas, até pq sim, eu penso em ter meu cafofo, e esse post foi ótemo!!! amei!!! ^^
    bjusss

    ResponderExcluir
  22. Caramba, Pat, quanta mudança por aqui, hein? Arrasou! Adorei!!
    Quanto ao post, realmente morar sozinha tem os seus prós e contras, mas acho que vale a pena, né? Rs!
    Desculpa a ausência, ando tão em falta com o nosso mundinho virtual. Mas saiba que não esqueci de vc não muito menos desse cantinho que tanto adoro!
    Ah, quando a senhora vai dar o ar da graça por aqui?
    To esperando...
    Beijos

    ResponderExcluir
  23. Deve ter sido bem dificil para vc ter morado com teus amigos né? Bom é a impressão que dá nesse teu post e em varios outros que vc faz algum comentarios relacionado a isso...

    ResponderExcluir
  24. Patricia,

    Como te disse, vou comentar por aqui esse e o post de baixo. Na verdade, mais o de baixo do que este aqui. Mas não posso deixar de destacar na lista a alusão ao fato de que amigos que moram juntos se comportam como família. Essa é muito boa porque é absolutamente real. Não...nunca morei sozinha. Morei em família até o dia em que casei e construi uma nova família. Mas já tive oportunidade de fazer viagens longas com amigos e tenho que concordar integralmente. Depois de um certo tempo, o charme que aquele espírito aventureiro de acampamento nos primeiros dias nos traz, logo se perde. E ficam as vicissitudes da vida. Bom...preciso destacar também o delicioso pensamento simplista e profundo de Guimarães Rosa. Eu também acho que quase nada sei, mas palpito de muita coisa. E assim vamos construindo o passo-a-passo de nossa história. Porque ela é feita sim de todas as pequenas coisas que nos felicitam e que, tantas vezes, esquecemos de agradecemos ou só lembramos para comparar com os momentos não tão iluminados.
    Tenho pensado muito sobre isso. Sei que estou pessoalmente numa fase de muita pressão profissional, desgastada com algumas coisas, extenuada e louca por férias, mas quero demais resgatar aquela sensação do prazer primário, quase fisiológico, daquele que não é fruto de reflexão mas do instante insano do viver sem analisar, sem comparar, sem perceber que ali eu fui feliz e só reparei quando não o fui. Entende isso, não?
    Eu também nunca li um livro de auto-ajuda. Nem inteiro e nem em pedaços. Mas como acho que leitura é um processo de escaneamento da alma, em algum momento, em algum trecho, de alguma forma aquelas palavras vão permitir um ganho: nem que seja o que de concluir de que aquela é uma fórmula fácil e quase sempre não plausível de ser feliz. Porque é a natureza humana o pequeno ato da maldade - Dostoiévski é muito bom nessa interpretação - e muitas vezes não apenas com o homem do subsolo, mas com ele próprio. Até para disparar o periscópio que permite ver a felicidade ou o que de bom nos cerca e preenche. Prefiro então o olhar misterioso de Capitu, que não revela, mas não mente. Ah..sim: eu adoro Capitu e a defendo sempre.

    Papo cabeça esse, não?? Talvez você não saiba, mas eu adoro papos-cabeça e muita,muita filosofia. Vamos continuar trocando "pitacos" por aqui.

    Beijo grande. Vê

    ResponderExcluir
  25. Oi Debbys,
    Na verdade, quando a gente vai morar sozinha, não sofre com a parte de manutenção da casa, não sabia... Ainda mais mulher, que já é acostumada a ajudar em casa.
    A gente acaba sofrendo pra se adaptar a viver consigo mesma.
    Mas aposto que você vai superar isso! Já superou muita coisa, e vai continuar superando ;)

    Beijão procê!

    ResponderExcluir
  26. Anônimo,
    Foi difícil morar com meus amigos sim...
    Principalmente porque descobri que não sou capaz de manter um relacionamento.
    Me falta a compreensão, o traquejo de dialogar...
    Acho que se eu tivesse conversado mais com eles, talvez ainda estivéssemos morando juntos.
    Talvez não...

    O fato é que descobri que não sou fácil. E que conviver com as pessoas demanda esforço. Um esforço que fiz pouco...
    Mas enfim.
    Da próxima vez, me diga seu nome. É difícil conversar com alguém sem saber o nome...

    ResponderExcluir
  27. Verônica,
    Eu estava louca pra ler seu comentário, pois tinha certeza que ele teria muito a me acrescentar...
    E acertei =)
    Sobre a convivência com os amigos, foi isso mesmo que senti. Que aquela chama da amizade se abrandou, e se tornou apenas uma brasinha...
    E eu não soube lidar com isso.Acabei não sabendo como lidar com uma família ao invés de amigos...
    Essa frase do Guimarães me é muito querida. Como você disse, ela tem uma simplicidade profunda demais... E vez ou outra me pego a pensar que é na simplicidade que estão as mais profundas idéias...
    Como entendo essa sensação de só saber que era felicidade quando ela havia passado... Depois que vim morar sozinha, isso me acompanha sempre. Ainda mais quando lembro da minha família. Das conversas com os amigos...
    Ah! Eu também sou defensora da Capitu! Acho que as pessoas a estigmatizaram demais. Transformaram uma mulher que deveria ser símbolo de força, em uma desprezível adúltera. Na minha humilde interpretação, não era isso que Machado queria mostrar.Ainda mais se a gente pensar que ele era defensor das mulheres. Ele queria mostrar que a Capitu era um exemplo de mulher, misteriosa, que sabia, com o olhar, revelar e esconder...
    Eu adorei o papo cabeça. E espero que eles continuem... Vou adorar trocar pitacos com você!

    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  28. Isa!
    Estou com saudades de você, amiga!
    Mas sei que você está sumida por uma boa causa...
    Estou vendo minhas economias pra ir praí...
    Um beijão, meu bem!

    ResponderExcluir
  29. Olá

    Passei para desejar um bom final se semana e avisar que hoje tme entrevista especial lá no Mundinho. Passa lá.

    Bjs

    ResponderExcluir
  30. Nunca morei sozinha, mas já tive que viver prévias quando meus pais viajam ou quando me instalo na casa do namorado e sei que não é fácil.
    Realmente, fazer comida é bem mais barato e saudável, mas às vezes dá tanta preguiça...
    Bjitos!

    ResponderExcluir
  31. Oi!!

    Ei, louca tu não és mesmo!

    Patrícia, sabe que eu era resistente a casamento? Bem, por “n” motivos. O fato é que quando encontrei a “tampa da minha panela", mudei de ideia. Mas também eu era resoluta: para viver tendo menos momentos de felicidade do que na vida de solteira, sem chance. Talvez aconteça contigo, talvez não. Tudo depende de você avaliar, quantificar, classificar e qualificar (eita! :o) uma forma de viver e a outra. O importante é ser feliz, né não? ;)
    Beijos, bonitona!!!

    ResponderExcluir
  32. Rosi,
    Já estou indo no Mundinho [que pra mim parece é um Mundão] pra ler a entrevista!
    Beijo procê.

    Lusinha...
    Fácil não é, viu. Mas é gostoso passar por essa fase da vida. Eu aprendi, e continuo aprendendo muito...
    E a preguiça... Ah! Essa estrupícia me adora! =)
    Beijo procê.

    Lidi!
    Pois é, nega...
    Eu não digo nunca, mas também não coloco na minha lista de planos o casamento...
    Por enquanto estou feliz. Mas vai saber se logo não tropeço na minha tampa, né não?
    Beijo procê, bonita!

    ResponderExcluir
  33. Obrigada pelos elogios ao meu texto lá no Bicha Fêmea. Quando resolvo escrever alguma coisa, eu me desligo de tudo e deixo as palavras fluírem como elas quiserem vir. Tudo é muito natural. Eu gosto muito desse exercício, sempre gostei. Sei que não tenho o talento que você tem, por exemplo, mas é como consigo me expressar na minha capacidade literária maior, e isso já me deixa bem satisfeita. Expressar por palavras o que vai pela alma é muito gratificante. :)

    Ah! Sobre essa “parada” de casamento, é assim mesmo. Sem expectativas, sem planos, sem neuras. Foi-se o tempo que isso era objetivo de vida para uma mulher. Sai pra lá com uma invencionice dessa! Sabe o que isso me fez lembrar? Uma tia minha que me questionava se eu não ia casar, porque nem namorado eu tinha e minha irmã na época estava noiva. Pelo fato de minha irmã estar noiva e sendo mais nova que eu, ela considerava estranho e um mau sinal para mim. Vê que retrocesso? Agora me diga se eu posso com uma coisa dessa? Eu, por minha vez, não estava nem aí nem “tchum”... deixei a vida me levar sem fazer planos... eu, hein!

    Sim! Obrigada por me deixar estar presente em sua vida de alguma forma. Isso é o grande “barato” das relações humanas. Um estar em outro de alguma forma, e te digo que você está em mim. Embora eu fale isso para você, eu sei que é desnecessário. Você é sensível e sagaz o suficiente para perceber o quanto ter contato contigo através da leitura de seu blog é prazeroso para mim. Eu geralmente falo pelos cotovelos, né? É para suprir a necessidade que sinto de troca contigo, é o reflexo do quanto suas palavras estimulam minha mente e deixa tudo em profusão. Eu não vejo a hora de você publicar seu livro, queria muito um exemplar, queria muito poder estar na noite de autógrafos e te dar um abraço apertado. Você tem muito talento com as palavras, merece a primeira de muitas publicações. E eu desejo com toda a minha força positiva de pensamento que isso aconteça. :)
    Beijos

    ResponderExcluir
  34. Pati,estou atrasadinha no comentário, mas ando atordoada c/ uma encomenda q peguei. Bem, nunca morei sozinha, sempre quis, me achava super independente, bem sem noção, na realidade. :) Um pouco antes de conhecer meu marido, cheguei a cotar aluguel, mas me ajustei com as contas que teria q pagar e resolvi continuar sobre as asas da mamãe. Mas acho q perdi uma ótia oportunidade de crescimento e amadurecimento. Pode ter vários contras, mas acho q os prós compensam. Vejo várias amigas que moram sozinhas comentando q não se imaginam morando c/os pais novamente, e q sentem falta do conforto da casa dos pais, mas q estão satisfeitas em terem um cantinho só delas. Bom ler sua opinião tb. Beijão, Fabi.

    ResponderExcluir
  35. Interessantissimo este post.Quem deseja morar sozinho deveria ler o seu blog. Acabo de sair de uma republica rumo á vida de "Cavaleiro solitario" (mesmo sem cavalo) e ja passei por poucas e boas nessa.
    Maas é com essa loucura que aprendemos a viver, pelo menos é assim que eu penso.
    E essa interpretação de partido alto da Cassia (é a do acustico?) é fantastica... foi o que me despertou para a musica brasileira.

    ResponderExcluir
  36. Eu não tive uma mãe muito convencional e por isso, encarei com naturalidade morar sozinha, sem o afã de ir com sede ao pote, como a maioria faz até que caia na 'real'.
    Mas fui educada pra ter muita responsabilidade, até mesmo nos meus picos sexuais. Levar qualquer um pra dentro de casa, mesmo que não seja namorado, conhecidos homens ou mulheres, tem que conhecer bem e ver se está preparado para as consequencias, se acaso a pessoa for do mal.
    Este post veio a calhar. Tem muita gente com visão errada sobre morar sozinho.
    Boa semana! Beijus,

    ResponderExcluir
  37. Realmente, tudo o que tu escreveu é verdade, eu moro sozinha e gostei muito!
    Acabei de criar um blog que fala sobre morar só.
    Se puder, visite.
    http://fuimorarsozinha.blogspot.com/

    Abraço, tudo de bom!

    ResponderExcluir
  38. Moro sozinho a mais de 10 anos e digo: não é a coisa certa más as vezes é o melhor que conseguimos.

    ResponderExcluir
  39. M O R O _ S O Z I N H O _ D Ê S _ D O S_ 16 .


    Sim , isso foi pra chamar atenção dentre os tantos comentários rsrs. Hoje tenho 19 anos (2013), e digo que
    há sim um exagero por parte do autor. Lavar roupa na mão é tão ruim quanto lavar pratos. Demorei pra ter uma máquina de lavar e sei bem o que é isso, principalmente quando se trata de calça jeans e lençol de cama, principalmente edredom. No mais, é isso aí mesmo rsrsr... Os amigos pensando que sua vida é água.. E você se lascando rsrs. Só pra constatar, eu moro só por estudos, infelizmente sou sustentado pelos meus pais, ainda, apesar que morando só, acabei virando pai e mãe de mim mesmo (quem mora(r) só vai entender).
    Gostei...

    ResponderExcluir
  40. ok. Tirando a parte que eu sou evangélica e não bebo... concordo com td, e estou vivendo essa experiência, não pq me deu na telha, mas sim pq não tive escolha, já que meus pais morreram e não me resta mais ninguém nessa vida.

    Então quem está cansado de viver com a família e quer a liberdade, pense bem, pois essa tem um preço muuuuuuuuuito alto. Pronto Falei.

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...