terça-feira, 25 de agosto de 2009

A namorada do meu amigo...me odeia!

Companhia Musical
Jorge da Capadócia - Jorge Ben Jor
Maria do Socorro - Maria Rita
Canto de Ossanha - Casuarina
Quase sem querer - Zélia Duncan
Por onde andei - Nando Reis e Os Infernais

Companhia Literária
"A amizade é uma espécie de amor que nunca morre..." [Mário Quintana in Porta Giratória]


Na verdade, o título deveria estar no plural, porque praticamente todas as namoradas dos meus amigos me odeiam. Salvo uma ou outra raridade, que geralmente era conhecida minha antes de se tornar patroa, todas elas me olham com aquela cara de nojo, e rezam para que, de uma hora pra outra, eu desapareça da face da Terra sem deixar vestígios.

É provável que o meu jeito pouco mocinha de ser atraia mais amigos homens que amigas mulheres. Afinal de contas, eu gosto de jogar bola, sou apaixonada por futebol, bebo tanto quanto um bardo e sou desprovida de frescuras femininas [Rá! E tenho o super poder de me arrumar pra sair em míseros 15 minutos!]. Assim, o único adicional de fábrica que me faz ser diferente dos meninos é minha heterossexualidade [e a genitália, of course...]. No resto, somos  tal e qual.

Sempre valorizei minhas amizades masculinas. Não tanto por aquela velha história de que mulheres não são amigas de verdade, porque tenho poucas e ótimas amigas mulheres. [E, for the record, os namorados/maridos delas também não vão muito com a minha cara...]. Como nos suportamos é outra história. Mas nosso amor ultrapassa o fato de que enquanto a maioria delas está casada e com filhos, eu continuo minha vidinha de assistir futebol aos domingos, beber cerveja e xingar o juiz.

Desde que entrei pra faculdade, meu círculo de amizades masculinas só aumentou. Logo me tornei parte do grupo de Computação, que era recheado de nerds e zerado de mulheres. Passávamos o tempo todo jogando vídeo-game no CA, e falando nerdices. Mas uma hora os nerds se rebelaram, e começaram a namorar. E nossas festinhas, que antes eram frequentadas apenas por meninos e amigas assexuadas, passou a ter a presença de fêmeas. E um pouco depois de fêmeas namoradas.

Na frente dos namorados elas sempre fingiam que iam com minha cara. Me tratavam educadamente. Mas, quando juntava um grupinho delas, eu já sabia que minha orelha iria começar a queimar. Era um tal de ficarem me olhando de soslaio. Umas mãozinhas na boca pra “esconder” o que falavam. E tantas outras atitudes abomináveis das fofoletes.

Confesso que nunca tentei ser amiga das estrupícias. Aí já era pedir demais, né?! Queriam que eu ficasse lá com elas conversando sobre chapinhas e esmaltes, ou então o clássico “Ai, eu ‘to gorda” e a outra “Nossa, não está não! Eu que ‘tô”, e blábláblá; enquanto meus amigos estavam conversando sobre futebol e nerdices? É claro que ficava no meio dos meninos, uai. E elas juravam que eu fazia isso porque queria roubar o namorado delas. TscTsc...

Pois bem. Como hoje convivo longe dos meus amigos, e a maioria já trocou de namorada, vou contar umas coisinhas que as mocinhas nem sonham em saber...

Eu dormia direto na casa dos namorados delas, inclusive na mesma cama que eles, e ainda havia dias em que dormia com as roupas deles porque não levava roupa pra tomar banho. Em muitas, mas muitas vezes, meus amigos diziam pras fofuras que iam dormir, mas na verdade ficávamos até de manhã jogando vídeo game ou enchendo a cara em algum boteco. Eu já fui na zona com meus amigos. Inclusive em um dia que elas nem sonhariam com a minha presença, pois era o dia “dos meninos” e ninguém levaria namorada.

Eu poderia contar outras tantas coisas que as senhoritas que me detestam nem sonham! Mas vou parar por aqui... Porque o fato é que nunca quis namorar um de meus amigos. Pois se quisesse, o teria feito. Sempre convivemos como uma família, e eu sempre fui considerada por eles tão macho quanto qualquer outro menino do grupo.

Tem gente que diz que as namoradas se sentem ameaçadas por mim. E desde quando eu sou ameaça pra alguém?! Sou um dos seres menos frescurentos e femininos que conheço! E perto delas, todas lépidas, garbosas e peraltinhas, sou apenas mais um moleque.

Espero que um dia elas entendam isso. Ou ao menos parem de me odiar com tanta intensidade. Porque não! Eu não quero roubar o namorado de vocês, meninas! Até porque ele já e meu. Lálálá. Porque amigos não são condicionados por um compromisso estabelecido. Amigos se amam e ficam juntos porque e na hora que querem, e não porque alguém vai ceder o corpitcho pra eles toda noite. Aliás, quando vocês regulam a mixaria, adivinha com quem eles saem pra beber?!

E vocês, também tem problemas com as/os namoradas/os dos amigos? Ou estão no time que odeia a amiga do/a namorado/a? Conta pra mim, vai!


Ps: Peço desculpas pelas tantas lágrimas que lhe fiz derramar no último post. Mas agradeço todas as palavras de carinho, e, em especial, toda a presença. Muito obrigada, por você fazer do Ainda MininaMá um lugar mais completo.

Ps2: Deixa eu dividir com você minha alegria? A Rosi, do Mundinho Particular, me convidou para ser entrevistada! Fiquei faceira que só. Obrigada mais uma vez por me dar a honra de fazer parte do seu Mundinho, Rosi!

"Agora diga tchau, Lilica.
Tchau Lilica!"

16 comentários:

  1. Eita, Patrícia!
    A vingança foi malígna agora, né?
    ...kkkkkk... :D

    Então, deixa eu lembrar...
    Não, nunca tive problemas nesse sentido. Ninguém nunca manifestou “ódio e rancor” comigo, nem eu nunca senti meu coração ficar cabeludo por causa de amiga de namorado meu. Tudo relax até aqui... ehehehe...
    Beijos, bonita!!!

    ResponderExcluir
  2. Mulher, então o negócio neste blog é assim: um dia a gente chora, no outro a gente morre de rir?!!!!!!!!!

    Hilário.

    Realmente bebo bem e gosto de futebol, mas amigos homens não tive muitos não. Pelo menos me safei do ódio das namoradas, rá.

    Ei, não é pra ficar feliz agora. Deixa a entevista ser publicada que a gente comemora, tá?! Tenho certeza que ficará show de bola.

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Raios raios, triplos raios... estou total sem tempo para te visitar Pati e ler suas belos pensamentos.
    Caramba, adorei esse post!!!! (pra variar, né!?)

    Bem, atualmente não tenho namorada e nem quero arranjar uma pois a última me deu dor de cabeça suficiente, mas enfim... como um cara que fez física, curso predominantemente de homens, e de raras garotas que perfazem seu estilo de ser... geralmente são muito mais machos que muito cabra arretado da peste por ai... Eu já tive problema com minhas namoradas por causa das minhas amigas.

    Algumas namoradas implicaram com uma grande amiga minha, mas quer asber, foda-se... amizade está muito além de sexo, desejo e traição, ou disputas de namorados... amizade muito mais que isso. É vontade de querer estar junto sem ter nada em torca, a não ser companheirismo e a própria amizade.

    Putz, dei risda em dois momentos desse post, primeiro em saber que vc é assim, vc realmente tem o perfil de uma garota que faria física :)
    O outro motivo foi o que vc escerveu... "quando vocês regulam a mixaria, adivinha com quem eles saem pra beber?!"

    Essa frase de regular mixaria, é clássica!! Muito bom!!

    Off the subject:
    respondendo a sua pergunta, faço doutorado na área de física atmosférica. faço o estudo das propriedades da atmosfera de São Paulo (aerossóis, poluentes, gases de efeito estufa) utilizando um sistema a Laser. Utilizo os dados do sistema que temos no lab do centro em que trabalho e de um satélite da NASA.
    É bem trabalhoso mas divertido também...

    No meu orkut tem umas fotos do Laser, depois te passo o link (se vc quiser ver é claro)

    E vc, trabalha com quadrinhos, mas o que especificamente?

    beijos

    ResponderExcluir
  4. Patrícia, primeiro quero me desculpar pela ausência. As coisas não estão fáceis!

    Diretamente nunca tive problemas com as amigas de amigos meus, somente sentia essa sensação da orelha queimando e alguém vindo dizer que fulana 'isto ou aquilo' de mim, mas nunca me importei e nem mesmo procurei por alguma coisa em pratos limpos.

    Não acho os homens tão maus quanto as mulheres pintam ou que são amigos de mulheres somente com segundas intenções. Consigo pensar muitas vezes, mais como eles, do que propriamente como uma mulher. Acho que porque desde pequena convivo, mais com homens do que com mulheres. Quando era criança, era eu, meu irmão e os amigos do meu irmão, que se tornaram meus amigos. Nunca fui boa de bola, mas era a mascotinha. Todo jogo participava. Também não tive mentalidade suficiente para entender o futebol e sempre paguei altos micos e isso sempre foi muito divertido, tanto para mim quanto para eles.
    Minha casa continua tal qual sempre foi. Sou a única mulher da casa e meu jeito é um misto de praticidade e delicadeza. O que mais gosto em alguns homens, é o improviso (criatividade) e humor.
    Lógico que já tive amigo que confundiu amizade, assim como eu também confundi amizade uma vez. E foi bom, viu? (rs*)

    Parabéns pelo convite!! Avise quando a entrevista for publicada!! Beijus

    ResponderExcluir
  5. Paty,

    Em primeiro lugar, não há por que pedir desculpas. Chorar não é ruim, é quando as emoções derretem e saem, desentupindo nossos pulmões e poupando nossas artérias de um futuro infarto causado por raiva ou tristeza contidas.

    Em segundo lugar, mocinha, precisamos conversar. Vc me lembra eu há muitos e muitos anos... Por acaso vc tenta ser o filho que seu pai queria?

    Não é tão ruim assim ser feminina. E nem tudo que "elas" (nós?)falam (os) é futilidade. Eu tb pensei assim um tempo.

    Por isso, me isolei no racional e em sentimentos que julgava dignos por serem desprovidos de sentimentalismos baratos.

    Mas a força da delicadeza é algo que os homens nunca descobrirão.

    E graças a Deus que somos diferentes. E complementares, eu diria...

    Tenho poucos amigos homens, aliás, só tenho colegas de trabalho. Amigo é muito mais... é tudo que vc falou: é amar apesar de. Então, não tenho nada pra falar sobre as namoradas deles.

    Bjks

    ResponderExcluir
  6. Menina, eu adoreiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii esse post....
    A mulherada dos amigos devem ter se esganado de raiva....
    kkkkkkkkkkkk...
    vim logo comentar antes de ler o post anterior e comecar a chorar....rs
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Booom...
    O que posso dizer ?
    Sim, a namorada do meu melhor amigo me odeia. Não que odeiiaa, assim tão forte...
    Mas me suporta, digamos assim !!
    Tudo bem q eu so encontrei com ela uma vez e na medida do possivel... enfim...
    EU prefiro muiito mais amigos homens, eles são muiito mais legaiiis !
    Adoro as minhas amigas, mas que me perdoem, homem e amigo é tão legaal .

    beiijos

    ResponderExcluir
  8. p.s: comentei no post debaixo, claro !

    p.s²: to te seguindo no Twitter !!

    beijoos

    ResponderExcluir
  9. hashahahahaahahaha.. olha, se as namoradas dos meus amigos me odeiam, eu não sei não, porque não ando colocando muito a cara pra fora de casa, e nem sei por quantas andam mesu amigos homens, nem as amigas!!! Sempre preferi a amizade deles tbm... acredito que as mulheres são capazes de terem amizade uma com as outras, mas o difícil é manter, pq qualquer coisinha é motivo pra mimimimi... E eu tbm sou do grupo que prefere jogar video game do que falar de capinha e esmalte, apesar de usar ambas as coisas... Sou odiada pelas namoradas de um amigo em particular, que é como um irmão pra mim e me ajudou com meu atual namorado. Elas me odeiam e me perseguem [fico sabendo por fontes], mas ele tbm diz que sou uma mulher perfeita e o tipo pra casar.. mas não com ele, claro!!! hahahaha.. daí as paixonites dele adoram tentar me add no orkut pra ficar de olho.. ve lá, o menino tá lá em Sampa e eu tô bem aqui com meu homem! kakakaka
    Olha Patrícia, sabe que o outro post, a carta pros seus pais, me deu uma baita insipiração.. e olha, vou pedir permissão pra imitar a idéia, porque ficou até legal o que eu fiz... hahahaha... vamos ver se vc vai gostar no dia em que eu postar.. deve ser lá pra sexta....
    bjussss

    ResponderExcluir
  10. Oi Lidi,
    Ah, não foi vingança não, bonita...
    Só tirei uma "casquinha" xD
    Que bom que pro seu lado anda tudo relax, viu =)
    Beijo procê!


    Rosi,
    Ai menina. Eu fiquei com peso na consciência de fazer todo undo chorar =)
    Ah! Mas eu estou feliz pelo convite, oras!
    Beijo procê.


    Fábio,
    Eu convivi bastante com o pessoal de Física da faculdade. E, realmente, as mulheres que conheci davam de 10 a zero em muito homem no quesito "macho" xD

    Off topic:
    Haja trabalho pra estudar a atmosfera de São Paulo, hein! É capaz de você encontrar algum tipo de metamorfo gasoso =)

    Minha dissertação é sobre as adaptações para os quadrinhos do conto O Alienista, do Machado de Assis. Eu trabalho com a linguagem dos quadrinhos, tentando mostrar através do tipo de desenho, traço, requadro, como os conceitos da sociedade [como o espaço, as hierarquias, e a própria História] podem ser representados e reapropirados pela arte.
    Será que me fiz entender?

    Passe o link sim, viu.
    Beijo procê.

    ResponderExcluir
  11. Luma!
    Eu estava mesmo sentido sua falta, viu!
    Espero que as coisas não estejam fáceis só pelo acúmulo de trabalho, e não por algo grave...
    Ah... Quem é que nunca confundiu amizade? Todo mundo já passou por isso, né. Mas que bom que foi bom xD

    'Brigada pelos parabéns. Pode deixar que aviso.
    Beijo procê!


    Claudinha!
    Aiaiai... Levei puxão de orelha =)
    'Brigada pela conversa, Claudinha.
    Eu venho tentando ser um pouco mais feminina. Não que eu seja um "machinho", mas me falta um pouco de delicadeza aqui, um pouco de sensibilidade ali...
    E eu não acho que tudo o que as mulheres conversam é futilidade não, viu nega. Só algumas espécies que conheci...
    E que bom que somos complementares, homens e mulheres. Só acho que o meu complementar vai precisar ser um pouquinho diferente =)

    Beijão procê!

    Oi Margaret,
    'Brigada, meu bem.
    Pois é. Não sei se elas estão se engasgando no próprio veneno, ou no meu =)
    Beijão procê!

    ResponderExcluir
  12. N.,
    'Brigada por me seguir, meu bem.
    Pois é. Quanto às namoradas, o jeito é tratar bem...na medida do impossível =)
    Beijo procê.

    Oi Debbys,
    O jeito é não ligar quando elas começam a nos perseguir... Finge que não aconteceu nada =)

    Nem precisa pedir permissão, uai.
    Fico feliz que ele tenha feito bem para sua inspiração =)

    Beijo procê.

    ResponderExcluir
  13. Lindonaaa, que saudade!! Me perdoe a ausência nesses últimos dias, please!!
    Senti muita falta disso tudo!! Você como sempre conseguiu abordar o que seria um problema de uma forma muito engraçada e criativa como só vc sabe fazer. Ainda bem acho que nunca tive esse problema não! E no seu caso acho que rolava mesmo era uma invejinha. Pessoas profundas, honestas, sensíveis e inteligentes como vc são raras nesse mundo. E as mulheres medíocres percebem isso, né? Rs!!
    Quando a senhorita vem para cá para a gente tomar um chopp e fumar uns cigarrinhos juntas? Não sei falar sobre futebol, mas tenho certeza que vamos nos divertir kkkkkkkk. Beijos

    ResponderExcluir
  14. É engraçado, mas eu como namorada tive alguns problemas com as amigas do meu no começo. O que me restou foi tentar conhecê-las melhor ou suportá-las um pouco mais, porque comprar briga eu não compro... Se eu escolheria meus amigos, por que meu namorado não faria o mesmo?
    Bjitos!

    ResponderExcluir
  15. Ser uma menina de atitude nem sempre é fácil... mas vale a pena = )

    Eu também faço tudo o que os meninos fazem. Isso pra mim é ser Penelope. E pra você? Responda e concorra a prêmios! www.soupenelope.com.br

    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Pati, na adolescência vivi um pouco disse, de namoradas raivosas, ainda bem que nunca me morderam!:) Tb tinha mais facilidade de socialização com meninos. Tenho uma irmã e um irmão, e sempre me identifiquei mais com meu irmão. Gostava de estar entre seus amigos, cantar na banda, sair com eles. E já fui bem boêmia tb. As vezes trocava o dia pela noite. Mas depois que entrei na faculdade, Nutrição só tem mulher, tive que rever meus conceitos na marra! Bem, de certo modo, na real só fiz uma amiga. :) Nas horas vagas acabava descambando para o campus ao lado, no curso de Comunicação, onde tinha alguns amigos. :) Mais tarde um pouquinho, acho que depois da facul, comecei a fazer mais amizades femininos, que conheci através de amigos e estão comigo até hoje. Aí veio André, o marido, Sophia, miha pequerrucha, e o tempo para farras, viradas de noite, ficou p/ trás. Mas sem arrependimentos, tudo a seu tempo. Ai! Não posso deixar de comentar, vc inclui uma música que amo! Jorge da Capadócia! E Canto de Ossanha tb é maravilhosa! Ótimo gosto musical que vc tem, menina! Beijão, Fabi.

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...