quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Retalhos de carne, osso, imaginação e palavras...

Companhia Musical
Diz que fui por aí - Fernanda Takai
Hoje eu tô sozinha - Ana Carolina
Esquadros - Adriana Calcanhoto
Gracias a la vida - Mercedes Sosa [Gracias por todo, Mercedes!]
Hoje eu quero sair só - Lenine

Companhia Literária
"Dá-me a tua mão desconhecida que a vida está me doendo e eu não sei como falar - a realidade é delicada demais, só a realidade é delicada, minha irrealidade e minha imaginação são mais pesadas." (Clarice Lispector in A Paixão segundo GH)

Patrícia acordou com o barulho da criança do segundo andar batucando na sua janela. Tentou fingir que era um sonho, voltar pro sono e dar uns tabefes no moleque espírito de porco, mas era tarde demais. Se arrastou até a cozinha e colocou a água pra ferver. Ao se olhar no espelho, tentou encontrar algum traço dos 27 anos recém completados.

Nada. Nem uma ruguinha. Nem um fio branco. Começo a desconfiar que o mais difícil de se acreditar na idade que se tem é quando se olha pra dentro. Daí sim, se enxerga o caminho percorrido, as lembranças, as lágrimas, os sorrisos... E as pessoas. Afinal de contas, o que seria de todo esse caminho sem outras pessoas com as quais compartilhar? Mas chega de filosofia logo cedo, né minha filha!

Patrícia faz o café, acende um cigarro, e admira a rosa que ganhou de aniversário enquanto tenta espantar o resto de sono que ainda teima em ficar grudado em seus olhos. Percebe que o sol resolveu dar o ar da graça, mas fica com preguiça de lavar a montanha de roupa que mora no banheiro.

Preguiça o escambau, seu sacripantas! Mas eu vou te contar, viu! Foi só as pessoas elogiarem esse narrador de araque, que agora ele acha que pode falar o que der na telha! Veja só... Você que não se aprume não, meu filho! Se continuar bancando o engraçadinho te mando pro Senado! Com protesto e tudo!

Tudo bem. Esse humilde narrador pede desc...

Ah sim! Antes que eu me esqueça! A Patrícia não vai lavar a roupa porque tem toneladas de coisas pra ler! E, embora muita gente ache que estudante é vagabundo, essa vida dá um trabalho do cão! "Ai, mas você não faz nada, só estuda?" Queria ver o estrupício que tem a pachorra de falar isso passar 16 horas sentado, lendo um monte de coisas que se misturam na cachola e ainda conseguir ter opinião crítica sobre tudo! Pronto... Pode continuar...

Como eu ia dizendo, antes de minha honorável senhora dar sua opinião, este humilde narrador pede sinceras desculpas, e promete que irá se colocar em seu devido lugar.

Cri cri cri...

Uai! Cadê você, seu mané?! Tem que continuar a história, oras! Elaiá... Não se fazem mais narradores como antigamente...

Patrícia senta-se em frente a Don Corleone e sente um aperto no coração de gengibre ao lembrar de quando ele ficou mais de um mês no conserto. Abre sua ToDo list, e lembra que tem reunião com sua orientadora. Depois de mais um café e um cigarro, abre seu blog e fica toda prosa com os comentários tão queridos que recebeu.

Ela imagina o que seria da sua vida sem o blog, e, principalmente sem as pessoas que passam por ele. Imagina que se sentiria sozinha por demais sem ter com quem dividir suas loucuras, suas idéias, seus sorrisos, suas lágrimas. Agradece pela presença de cada um dos pares de olhos que passeiam pelo Ainda MininaMá, e fica feliz por eles não a deixarem sentir-se solitária...

Que barulho é esse? Ops! Oi estõmago! Você vive, estrupício? Oi? 'Tá com fome? Vai fazer comida então, oras!

Patrícia não percebeu, mas anda falando bastante com coisas inanimadas. Na verdade, ela tem feito bastante uso da Prosopopéia. Afinal de contas, ela é a Dona Prosopopéia. Oi? Não entendeu? Pois então, não sei se posso contar essas histórias de antigamente, vai que ela fica mal humorada de novo. Melhor perguntar pra ela...

Perguntar o quê, criatura impertinente?! Ah sim... Sobre a história da prosopopéia. Então, isso aconteceu há alguns bons anos, quando... Putaqueopariu! Esqueci o arroz no fogo!

Patrícia conseguiu salvar o arroz a tempo. Mas a fome era tanta que se esqueceu de continuar a história. Outra hora eu a lembro de contar, 'tá? Enquanto isso, deixa eu  aproveitar que ela está distraída, e agradecer às pessoas que me defenderam da última vez em que ela ameaçou me despedir. Muito obrigado!

Agora me bateu uma preguiiiiiça... Por que diabos a gente sempre fica com preguiça depois que come? 'Tá, eu sei que é graças à energia que o corpo gasta pra digerir, e blábláblá. Mas, na hora, dá uma vontade de pensar que é apenas uma vontade divina de nos mandar tirar uma boa soneca. Pena que o maldito do meu cérebro não aceita essa desculpa, e me obriga a continuar acordada e trabalhando.

Depois de lavar a louça [e cantar como uma desvairada], Patrícia vai à caça de alguma roupa descente que esteja limpa.

Ó! Eu escutei sobre o "cantar feito uma desvairada", viu estrupício! Canto mesmo, e daí?! É bom cantar enquanto faço meus trabalhos de amélia, porque, quando vejo, já acabei. E 'tá difícil achar alguma roupa limpa com a qual eu tenha coragem de sair pra rua. Maldito tempo de Curitiba! É... Depois que embarquei nessa onda de não consumismo, fiquei cada vez com menos roupas. Tirando as que mofaram, e as que ficam grandes, não me sobra quase nada...

E essa blusinha rosa que você ganhou da sua irmã?

Oxê! Mas agora vai me dar conselhos sobre moda também, mermão?! Olha lá hein... Não quero usar essa blusa! Aliás, não quero usar blusa nenhuma! Queria saber o que aconteceu com todo o meu estilo... Será que deixei ele em alguma caixa perdida na mudança de Campo Grande pra cá?! Antes eu me arrumava, e até podia ser considerada exemplo de quem se veste bem. Hoje, é só jeans, casaco e tênis. Tudo liso, sem graça, sem cor, sem identidade... Ai meu deus! O que que eu faço?! Como eu descubro o que quero vestir sem antes descobrir quem sou?!

Patrícia desiste de tentar se entender, antes que acabe se atrasando. Coloca o mesmo trio jeans+All Star+casaco de sempre, e evita se olhar no espelho. Sabe que está na hora de mudar o estilo de roupa, afinal de contas, uma quase balzaquiana não pode andar por aí assim. Ou será que pode? Quer saber, eu acho que pode, contanto que ela se sinta bem. Mas nem vou entrar em detalhes, porque ela já está atrasada, e vai acabar não me esperan... Ou, me espera! Tenho que ir com você também!

Então anda logo! 'Bora pro martírio de pegar ônibus. Sorte a sua que, apesar de ser onipresente, você não é feito de matéria, logo, não é obrigado a se sentir como uma sardinha dentro do ônibus...

Patrícia desce do ônibus e a primeira coisa que vê são os hippies que ficam em frente ao tubo.

Ai que saudade do Higienismo, meu pai...

Sobe os três andares até a sala na qual vai encontrar sua orientadora. Ao ouvir Rosa Morena no fone, ela sorri. Sente-se feliz em rever a orientadora. Agradece por ter a sorte de não ter uma desorientadora. Afinal de contas, a sua é seu rumo, e não o contrário. Sempre com seus sorrisos , idéias geniais, e sabedoria, mostra a Patrícia que a pesquisa é como um parque de diversões. Que pode, ora ou outra, dar um susto; mas que, no fundo, é feita de descobertas e alegrias constantes...

Patrícia tenta conter a alegria quando recebe uma barra de chocolate da Orientadora, de presente de dia das crianças. Se sente criança de novo. Se sente querida. Depois de mais de hora conversando sobre as novas leituras, os rumos da pesquisa, os prazos. Depois de tantos livros indicados pra ler, e tanto aprendizado, as duas se despedem. Patrícia resolve encontrar um companheiro pro seu presente, e vai até às Americanas comprar um dvd.

Deixa eu ver... Eu preciso de um filme que não tenha sangue, nem morte, nem violência, nem máfia. Afinal de contas, TODOS os meus filmes são assim. Menos o Sociedade dos Poetas Mortos. Mas mesmo esse tem uma cena de morte. Ai senhor... Hum... Não... Não... Não... Que porra é essa de Sertanejo Universitário?! NÃO! Olha! Os Intocáveis por apenas 13 contos! Ai eu quero! Maaaas, era pra eu comprar alguma coisa leve. Uma comédia romântica, ou alguma coisa assim.

Mas eu não posso deixar Os Intocáveis aqui, sozinho! Tudo bem, é cheio de sangue, máfia, morte; mas o figurino é todo feito pelo Armani! E eu adoro homem de Armani... Sem contar a trilha sonora do Moricone. E a direção do Brian de Palma. E o Sean Connery perfeito. E o De Niro como Al Capone. E o Andy Garcia novinho, com aquela cara de carcamano. E o Kevin Costner lindo! Ah, que se danem as comédias românticas! Você vai fazer companhia pros outros filmes sangrentos que tenho em casa. Decidido!

Patrícia decide não usar os fones no caminho de volta pra casa. Quer ouvir os barulhos da vida que se passa do lado de fora de sua playlist. Mas a medida em que vai ouvindo as histórias de falsidade ("Ai! Eu falei com a X hoje, mas eu odeio aquela menina! Ela podia ser despedida!"), de tristeza ("Pois é... Meu marido está há uma semana no corredor do hospital sem ser atendido"), de traição ("Você acredita que aquele vagabundo saiu com ela, e na minha frente ainda?!"), Patrícia se dá conta de que há histórias por demais nessa tela viva, e que gostaria de mudar de canal...

Ao chegar no portão de casa, despede-se das vidas que conheceu no ônibus, e se prepara pra viver a sua. Antes de entrar em casa, dá boa noite a suas plantas. Ao abrir a porta e olhar o vazio da sala, sente-se só. Lembra das férias nas casas dos pais. Sente falta de ter alguém pra conversar, pra dividir as coisas boas, as histórias que viu nas ruas. Mas sabe que esse é o preço que tem a pagar. E aceita pagá-lo, mas não sem um nozinho na garganta...

Vai até a cozinha, esquenta a comida do almoço, e resolve se deliciar com o filme fresquinho trazido pra casa. Depois de um prato de comida quentinha, um copo de suco de uva, e um pedaço de chocolate, se deita no sofá pra continuar assistindo o filme. Acende um cigarro, e imagina o quanto sua vida seria triste se não tivesse tantas pessoas a povoá-la. Seja as de verdade ou de mentira...

Depois do filme entra no msn pra uma conversa com a mãe. As duas conversam como se não tivessem passado 20 dias conversando dia e noite. Patrícia também encontra um amigo de longa data, por quem tem muito carinho e a quem não vê há muito tempo. Matam a saudade, lembram dos velhos tempos, fazem planos. Sorri ao se dar conta do paradoxo de chamar de meu pequeno um homem de mais de 1,90 de altura. Fica feliz por não terem perdido o amor, mesmo com a distância e o tempo tendo-os afastado...

Encontra também um Bonito (Eu sei, eu sei... Todo mundo quer saber quem é o tal bonito! Mas se eu contar, a chefe me mata! Ou pior! Me manda pro Senado! Então, se quiser saber quem é o cidadão, pergunte pra ela!), e eles conversam sobre tantas coisas que ela nem vê o tempo passar...

Já era uma da manhã quando Patrícia se despediu de todos e desligou o computador. Ao deitar em sua rede (nova, ganhada do avô), já não achou sua sala tão vazia. Também percebeu que a solidão diminuira, e que a saudade se transformou num sentimento morno. Ao deitar em sua cama, e se cobrir com a colcha de retalhos feita pela mãe, pensou o quanto a vida é feita por pequenos retalhos. Alguns são invisíveis, mas se fazem sentir. Alguns estão um tanto descosturados. Outros são tão coloridos. Enquanto outros um tanto esmaecidos... Sabe que cada pessoa que conhece costura um pedacinho de retalho. E ainda que quem o costurou já não esteja mais ali pra remendar a linha que se soltou, o retalho continua pra contar a história.

Ainda bem que é assim... Que minha vida seja repleta de pequenos detalhes e lembranças, cada um costurado de uma cor e por um par de mãos... Que sejam mãos de carne, osso, imaginação ou palavras... Contanto que se unam às minhas...

*******
Meus amores! Quero agradecer imensamente todos os desejos de felicidade e os parabéns! Muito, muito obrigada mesmo!

Agradeço também a participação na promoção! Fiquei muito feliz em saber que muita gente gostou, e ficou feliz em participar. Sei que 27 é muito pouco, mas acho que isso é bom pra vermos o quanto somos felizes, mesmo que, às vezes, não nos demos conta, né não?

Oi? Você não sabe sobre a promoção?! Ô rapaz! Clica AQUI, ó! E participe!


"Agora diga tchau, Lilica.
Tchau Lilica!"

15 comentários:

  1. Aaaaah Patricia, que texto gostoso de ler... quando crescer quero ser que nem vc, viu? :)
    Também moro sozinha e me reconheci em muita coisa que você escreveu. Além de que amo filmes e são minha grande companhia. Depois do que escreveu vou rever Os Intocáveis hoje a tarde ebaa!! Sean é uma grande paixão, pena que não faz mais filmes :( Já assistiu Encontrando Forrester ? Não tem sangue mas acho que você vai gostar muito!! Depois me conta!

    beijo grande!!

    ResponderExcluir
  2. Luci,
    'Brigada, meu bem...
    Os filmes são uma grande companhia minha também... Não deixam a solidão me abater =)
    'Brigada pela dica de filme do Sean. Já assisti esse sim, e achei ótimo!
    Eu também assisto filmes sem sangue, mas não sei o que me acontece na hora de comprar, que escolho sempre os de máfia e sangue. Ou então que tenham De Niro e Al Pacino... Vai saber, né...
    Beijão procê!

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pelo carinho em relação aos meus trabalhos :)

    Vou contar um segredinho.. tenho mais de 700 dvds...de tudo que é gênero, menos terror. E agora assino a blockbuster on line que é uma maravilha a preço fixo. Fico aqui trabalhando e vendo filmes quase o dia todo. Minha grande paixão é o Richard... o tal de Gere hahaha

    beijãoo

    ResponderExcluir
  4. Mas esse narrador é muito bom, viu?
    Ele diz tudo direitinho, tim por tim tim, e eu vou por aqui imaginando tudo. :D

    Só falta ele soltar quem é o bonito. Aliás, tu ja dissesse pro bonito que ele é bonito, Patrícia? :D
    Ah! É bom que o narrador saiba que cantar é “tudibom”, e quem o faz não é desvairada não, senhor! :)

    Ah, sim! Também falo com as coisas, viu Patrícia? Não raro o marido pergunta lá de cima (ele faz home office) se eu falei com ele, e eu logo digo que não, que falei com o computador, ou com alguma blogueira, ou com algum jornalista, ou com a tv, ou com a panela, e por aí vai... tsc tsc tsc...

    Estou toda feliz, me sentido um retalho muito importante. :)

    ...

    Oh, Patrícia! E eu acredito mesmo que tua mãe seja feliz, sem precisar espalhar aos quatro ventos. É que felicidade forçosamente posta em público, soa falso, né? Parece necessidade de auto-afirmação ou qualquer coisa assim. ;)
    É bom que tudo seja suave nessa vida, até mesmo a felicidade. :)

    ResponderExcluir
  5. adoro esses seus textos sobre como foi o seu dia.. principalmente com um narrador acompanhando você.. kakakaka.. fica bem legal mesmo!!! ^^
    Ahh, vc não revelou quem é o tal bonito... hohohoho
    bjinhuss

    ResponderExcluir
  6. Linda como você consegue... Ri e chorei com esse post...

    Que delícia um texto grande e tão delícioso que passou rápido....
    E se ainda valer Feliz Aniversário atrasado! Tudo de maravilhoso pra você Patrícia!

    PS. Não comentei antes porque a "anta" aqui não estava enxergando o caminho kkkkkkkkk.... Não ria hein...

    Beijossss

    ResponderExcluir
  7. Eita saudade arretada de prosear contigo... passando rapidinho pra deixar um cheiro e pra tu não me esquecer...

    O comentário é rapidex, pois hoje vou aproveitar a folguinha de nada que estou tendo pra visitar minhas amigas blogueiras amadas...

    Gostei de ver o narrador de volta!
    Depois te conto meus planos de mestrado com calma... o passo mais difícil vai ser convencer o maridão a se mandar de mala e cuia, pedir exoneração e me acompanhar por um ano! BJks

    ResponderExcluir
  8. Amiga....


    O que acho dos meus 27 motivos para sorrir...eu não vi o seu comentário por lá....apreça lá;


    abraços

    Hugo
    Nosso-Cotidiano

    ResponderExcluir
  9. Pati, estou passando só p/ dar um oi, bem rapidinho! A correria está quase insana!:) Qd parar um pouquinho volta aqui p/te ler com mais calma. Beijão, Fabi.

    ResponderExcluir
  10. Oi menina
    gostei muito do estrupicio falante, pra não dizer fofoqueiro... e gosto mais ainda desses textos que falam do que sentimos dessa forma bem humorada.
    beijinhos, final de semana chegando, torcida pelo sol!

    ResponderExcluir
  11. Luci,
    Mulher do céu! Quanto dvd! Quando crescer quero ser como você! xD
    Aiaiai... Esse tal de Gere é uma coisa, viu... Eita homem bonito...
    Beijão, meu bem!

    *******

    Lidi!
    Eu acho é que esse narrador é muito saidinho pro meu gosto =)

    Se ele disser quem é o bonito é demissão na certa!
    Mas o Bonito sabe que ele é bonito sim, viu...

    Sabe que eu acho que falar com as coisas é uma terapia? No meu caso, é também um jeito de eu lembrar que tenho voz. Porque passo muito tmepo em casa, sem contato com humanos, daí esqueço que tenho voz =)

    Mas é claro que você é um retalho importante! Mas muito importante mesmo! E ainda que pareça redundante, você sabe o quanto te admiro e gosto de você como uma pessoa real, né bicha?

    Eu gostei tanto do "É bom que tudo seja suave nessa vida, até mesmo a felicidade."...
    Por vezes me esqueço da suavidade da vida...

    Bom final de semana!
    Beijão, bonita!

    *******

    Debbys,
    'Brigada, meu bem!
    O narrador já se tornou um segundo autor do blog =)
    Rá! Não revelo quem é o bonito nem sob tortura!

    Bom final de semana!
    Beijão procê.

    ResponderExcluir
  12. Tyna,

    Ô querida... Acho que só consigo isso através de quem lê... No fundo, acredito que meus textos são só uma tela em branco, que os leitores vão preenchendo com seus próprios sentimentos...

    Claro que vale Feliz Aniversário atrasado, oras! 'Brigadão, viu!

    Ó...Agora que achou o caminho pra comentar, use sempre, hein!

    Bom final de semana!
    Beijão procê.

    *******

    Claudinha!

    Ai que saudade docê, minha nega...
    Me sinto até importante com a lembrança...
    Eba! Não vejo a hora de saber sobre os planos...
    Quanto a dobrar o maridão... É só usar métodos menos ortodoxos xD

    Beijão procê, bonita!
    E um ótimo fim de semana!

    *******

    Hugo,
    Eu juro que já fui lá deixar um recadinho, meu bem...
    Será que não publicou?!
    Vou conferir, tá.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  13. Fabi!
    Que saudade de você, mulher!
    'Brigada pela visita, mesmo que rapidinha, viu...
    Volte logo pra gente tomar um café.
    Beijão procê, bonita!

    *******
    Rê!
    'Brigada pela visita e pelo elogio, meu bem.
    Beijo!

    *******

    Karolzinha!
    Tudo bem com você, bonita?
    'Brigada! Vou passar o elogio para o estrupício falante =)
    Ótimo final de semana! E rezemos pra sair sol, porque 'tá difícil, né...
    Beijão procê!

    ResponderExcluir
  14. Os meus pensamentos querem sair da toca, toda vez que leio um texto seu! Tenho tanta coisa pra te contar... Tantas descobertas, constatações e certezas foram afirmadas aqui dentro desde a sua última carta! Mas me contento em saber de vc por aqui, sempre te querendo bem, não importa qto tempo eu fique sem notícias suas, vc é importante pra mim e ponto. Faz um favor enorme? Não se esquece disso? Quando estiver na sua sala vazia de pessoas e cheia de solidão?
    Se cuida, minha estrelinha
    =*

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...