sábado, 7 de novembro de 2009

Sobre lágrimas, medos e escolhas...

Companhia Musical
Olha - Chico Buarque e Erasmo Carlos
Roda viva - Chico Buarque e MPB4
Sei lá  - Chico Buarque,Tom Jobim e Miucha
O mundo é um moinho - Cartola e seu pai
Samba da Benção - Vinicius e Toquinho

Companhia Literária
"Tem dias que a gente se sente como quem partiu ou morreu" [Chico Buarque in Roda Viva]

"Depois da chegada vem sempre a partida/Porque não há nada sem separação" [Vinicíus e Toquinho in Sei Lá]


Você deve estar se perguntando onde demônios a estrupícia dona deste blog se meteu, e com razão, já que faz uma semana que ela não dá as caras. E eu sou obrigada a admitir que a dona moça se meteu no meio de um furacão, daqueles que passam, arrancam os telhados e as estruturas; daqueles que impedem que se enxergue algo além do caos; daqueles que não deixam que o sol nos abrace e aqueça o frio que a alma sente.

Primeiro veio o trabalho. Muito. Acumulado. Exaustivo. De horas e horas em frente ao computador, amaldiçoando os inventores do pacote Office. Foram horas fazendo listas no Excell, apresentações no PowerPoint, textos no Word. Por quê? Pra quê?você me pergunta. Na semana que vem a UTFPR irá promover o III Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade, um evento importantíssimo na área, e para o qual eu estou, e estarei, trabalhando. Aliás, quem for de Curitiba, e tiver interesse, acesse esse site AQUI, ó, pra ter informações sobre as datas e horários.

Mas não pense que estou reclamando de ter que trabalhar não, viu. Estou é feliz pra diabo de poder contribuir com a instituição que me faz tão bem, que me ajudou a crescer não só como profissional, mas também como pessoa. Fico feliz de honrar a minha bolsa em prol da divulgação de uma área tão importante, e que ainda tem tanto a evoluir. A parte do trabalho é bacana, o problema são os programas do inferno!

Bicho! Eu prefiro ter um filho VIADO do que um filho PowerPoint! Estava eu, quebrando a cabeça pra transformar meus 3 artigos em 3 apresentações dessa maldição [Oi? Pois é, rapaz! Vou apresentar 3 trabalhos em um mesmo congresso. Bacana, né? Meu Lattes está todo prosa...], mas ela me tirou do sério! Ai que saudade que eu sinto do retroprojetor, viu. Era tãããão mais fácil... Mas, fazer o quê?! Lutei com o bicho até o fim, e terminei.

Mas o furacão não foi trazido pelo trabalho, não... Ele veio de dentro, assim, como uma lava de vulcão adormecida, pronta pra pegar todo o vilarejo de surpresa...

Quem é cliente assíduo desta saleta já conhece meu problema com as aranhas. Sabe que sou aracnofóbica. E por favor, não confunda fobia com frescura... Frescura eu tenho quando vejo uma barata. Daí me permito ser mulherzinha e subo na cadeira. Fobia eu tenho quando vejo um aracnídeo. Sabe o que é fobia? É quando seu coração acelera, você começa a chorar, sente suas pernas presas ao chão, sente falta de ar, e um enorme sentimento de incapacidade. Isso é fobia. E é isso que eu sinto cada vez que vejo uma aranha.

Pois bem, só essa semana foram 5. CINCO! E a de hoje foi a campeã. Morta [graças ao veneno] ela tinha o diâmetro da palma da minha mão. Agora imagine a bicha viva? Imaginou? Pois bem... Essa é a imagem que tenho todos os dias quando fecho os olhos pra dormir. Há um ano, desde que uma dessas resolveu entrar sem ser convidada em minha casa. Há dias em que fico tão apavorada, normalmente quando elas aparecem, que tenho medo de dormir, porque pra isso tenho que fechar os olhos.

Você deve estar se perguntando por que existem tantos bichos assim no meu cafofo. Falta de limpeza não é, porque elas só vêm quando eu limpo a casa. De verdade! Acho que elas ficam doidonas com o cheiro do desinfetante, só pode! Deve dar barato nas malditas! Há uma bruxa a quem admiro muito que diz que aranhas são sinal de boa sorte. Eu até tento pensar assim, mas, olha, não é fácil não, viu nego! E a única explicação razoável pra existência permanente delas é que na rua de trás existe um miniecossistema, logo, elas se procriam lá. Agora, por que elas escolhem justo a MINHA casa? Ah... Sabedeusquenasceuantes!

Mas é só por causa das bichinhas que você está assim, estrupícia? Você me pergunta... E eu sou obrigada a dizer Senta, que lá vem história... Sabe quando a gente vai chegando ao fim de alguma coisa? Não dá aquela sensação de "E agora, José?"? Não dá uma angústia, um medo, uma sensação de impossibilidade? Uma necessidade de escolhar um caminho, acompanhada de um tremendo medo de escolhar o caminho errado? Escolher deveria ser sinônimo de abdicar. Afinal de contas, quando se escolhe um caminho, se abdica de tantos outros...

Tomar uma decisão significa chamar a responsabilidade do último pênalti da final de uma Copa do Mundo. E a gente não quer fazer igual ao Roberto Baggio, quer? A gente quer poder fazer uma escolha e seguir, de mãos dadas com ela, em paz. Mas isso só acontece em filme enlatado. A vida, assim como a verdadeira arte, não aceita finais felizes. Afinal de contas, se o contrário fosse, o final da vida não seria a morte, seria?

Você deve estar pensando no que aconteceu com a mulher que há poucos posts estava exaltando a vida, e sorrindo sem motivos. Ela continua aqui, não se engane! Não ache que isso é um ataque de pessimismo sem cura! Não! Isso é uma forma de tentar entender que a vida vale cada segundo, e que de nada adianta remoer as escolhas que não foram feitas. Um dia pode ser uma vida inteira!

Dois gênios da literatura já haviam descoberto isso quando escreveram Ms. Dalloway [Virginia Woolf] e Ulysses [James Joice]. Pra quem não conhece as obras, ambas retratam as 24 horas de um dia na vida de algumas personagens. Ao dizer que o livro todo se passa em apenas um dia, pode-se ter a [falsa] impressão de que é muito pouco. Mas não! Basta ler qualquer um desses livros pra se dar conta do quanto de vida cabe em um dia!

Nós somos uma colcha de retalhos, onde cada retalho é feito de um dia de nossa vida. Imagina se pararmos pra observar apenas os retalhos que já costuramos? Acabaríamos nos esquecendo de costurar os que estamos vivendo. Assim, no final, a colcha acabaria incompleta, esfarrapada. Os retalhos antigos estariam gastos, de tanto serem remexidos, e os retalhos novos estariam mal costurados...

E assim como no livro dos gênios, minha vida coube toda no dia de hoje. Desde o encontro com a aranha na porta logo pela manhã, até a constatação de que se eu fosse menos humana, talvez eu conseguisse errar menos. Hoje tive uma conversa muito triste com um amigo. Um amigo de uma vida toda, que, por conta da falta de palavras, se tornou um motivo pra que as lágrimas saíssem pra passear de meus olhos. Como naquelas brincadeiras em que a gente coloca os dominós uns atrás dos outros, sem tentar derrubar, nós acabamos tropeçando em um e derrubamos os outros. Hoje eu parendi que o amor também está nas palavras.... Por um engano meu. Por um erro de tradução. Por uma frase elíptica, acabei sofrendo pela perda, e fazendo com que ele também sofresse. Por calar ao invés de falar, nos magoamos. E um amor tão grande acabou se tornando um piano de cauda a ser carregado...

E depois de ver que uma escolha errada me roubou uma amizade importante, o medo me deu um abraço de urso, e não me soltou mais. Nem a voz do Bonito ao telefone conseguiu tirar de mim aquele nó na garganta de quem sabe que tantos erros foram cometidos, e que nenhum deles pode ser apagado. E como em uma bola de neve, todos os erros dançam cirandinha em minha frente...

E no meio da roda, vendo todos os anéis que haviam sido quebrados, não pude deixar de chorar. E como rezam as lendas, esse choro me lavou a alma. E então pude enxergar além do furacão. E então fazer uma escolha. E por saber o quanto você se importa comigo, e por me importar muito com a sua opinião também, vou lhe contar minha escolha. Ainda que ela não esteja concretizada, pois depende de outras pessoas, mas eu já a abracei e peguei pelas mãos.

Em setembro agora completei dois anos morando em Curitiba. E em dezembro faz um ano que moro só, neste cafofo. Foram dois anos completamente diferentes. No primeiro, fui anestesiada pela novidade, pela descoberta. No segundo, fui atingida pela dor e pelo aprendizado. Estou a alguns meses de terminar o mestrado, e sinto como se minha tarefa em Curitiba estivesse cumprida. Sinto que está na hora de deixar a casinha de bonecas pra trás e voltar pro meu interior. Sinto que preciso recarregar minhas bateria ao lado de minhas raízes...

Ao mesmo tempo, olho ao meu redor e vejo que se voltar, vou deixar pra trás tudo o que construí aqui. Não tenho certeza se meu caso com a cidade já acabou. Não sei se vou conseguir me adaptar à vida antiga. Fico me perguntando se voltar a morar com meus pais não seria retroceder... Fico com medo de me contradizer, pois havia dito que não voltaria mais pra lá. Mas, se até o Excelentíssimo líder do PT retirou o que disse, por que eu, mera estrupícia civil, não posso voltar atrás, né não?

Como bem disseram Vinicius e Toquinho "Depois da chegada vem sempre a partida/Porque não há nada sem separação"...

No fim das contas, não voltarei pra mesma vida, assim como não voltarei a mesma. Será uma nova vida. Uma nova escolha. Com alguns retalhos antigos, mas que merecem uma linha mais bonita... E nesse momento, depois de um dia inteiro em minha vida, depois de uma madrugada em claro, me sinto bem em minha própria pele.

Mesmo que eu tenha cometido erros, ainda que eu não tenha feitos todas as escolhas possíveis, fiz as escolhas certas. Como descobrimos, eu e um amigo, certa vez, não existe escolha errada, todas as escolhas que fazemos são certas, porque são nossas...

Me lembro bem de um amigo, a quem não vejo há muito tempo, que sempre dizia  [citando alguém que não me lembro agora] que "no final tudo dá certo. Se não deu certo é porque ainda não chegou ao final". E sabe que o bêbado tinha razão? Todos os nossos momentos têm um final, e nem sempre o certo é o melhor, é só o certo. Pra quem ou sob que ponto de vista,  aí já são outros quinhentos. É certo, é nosso.

E não é que no final do texto, tudo deu certo, rapaz?


*******
Patrícia está esperando amanhecer pra ligar pros pais e avisar que resolveu voltar pra casa deles. Já consegue ver o sorriso dos velhos e  o abraço que espera o retorno da filha pródiga.

Patrícia queria muito dar um abraço no Bonito, e agradecer pelo sorriso, ainda que distante. [E nem adianta me perguntar quem é o tal Bonito, que não revelo nem sob tortura!]

Ah sim! Ela jura que hoje vai fazer o sorteio da promoção. E pede desculpas pelo mistério. Mas, ó, cá entre nós [você e o Narrador  estrupício aqui] ela está é com medo de desapontar os outros leitores que não ganharam o prêmio. Mas sabe que você vai entender se não ganhar, não vai?

Ela não sabe como será o amanhã, mas pede que quem souber não diga. Quer descobrir com sua própria humanidade, que pode ser sim, cheia de erros, mas que também é feita de muitos sorrisos de aprendizado.


"Agora diga tchau, Lilica.
Tchau Lilica!"

31 comentários:

  1. uma delicia de texto para ler cedinho de manha! A caminho do trabalho... Eu tbm tenho um serio problema com o Power point e o excel é grego basico. So sei somar, rsrs. Sobre a sua decisao d voltar, nao creio q seja um retrocesso. Eu passei p uma situacao semelhante, pensei q era um passo atras, mas foi a melhor decisao q tomei! Sao as pessoas q mas nos amam, do jeito q somos!

    ResponderExcluir
  2. Pois minininha, cá estou...li o romance, entrei como protagonista no capítulo aracnídeo, pois recebo frequentemente as vistias de caranguejeiras...mas nada disso é mais importante do que teu impasse diante de escolhas. Menina, essa é a parte mais dolorosa do parto!
    Essas decisões podem ser divididas mas somente saberá o que é melhor para ti...Voltar para trás após viver sozinha tem lá suas vantagens porém, jamais esqueça que dois anos são uma eternidade.
    Besse período vc aprendeu a viver com as suas mazelas, a se suportar e suportar quem a teu redor..criou anticorpos, se fortaleceu para enfrentar os gigantes da floresta urbana..e agora?
    O que significaria realmente essa volta ao lar? a proteção, a economia e o resto? teu campo de trabalho após dois anos nesse árduo campo de mestrado, te ofereceria grandes vantagens? Sinceramente acho que tua sensibilidade está um pouco desestruturada para grandes decisões...Pegue uma folha em branco, risque formando duas colunas e escreva os prós e contras de teu retorno ao lar...veja o que pesa mais, analise com o cérebro e não com as emoções porque essas sensações vicerais
    de proteção e colinho não garante um futuro...
    Eu em teu lugar, iria mais longe...tiraria umas férias junto á família mas já pensando em algum passo maior...ir para outro país..conseguir uma bolsa, abrir horizontes; vc não tem o perfil de mulher que vai se contentar sometne com o diploma de mestrado...o teu cérebro quer mais; e vc tem potencial para os estudos e não para levar uma vida mediocre estagnada em uma cidade longe dos trololós.
    " o artista vai onde o povo está", não é???
    Agora, quem é o Bonitão mulhé? danadinha, tá xonadinha é????? ahahahah vai fundo. Amar faz bem para a pele e relaxa as tensões...conselho de vó.
    Beijão amada, tenho certeza que pior que a fobia dos aracnídeos é o medo de um passo errado...Vc saberá tomar a decisão certa do que é melhor para vc.

    ResponderExcluir
  3. Oi Fabiana,
    'Brigada, menina!
    Excel pra mim = inimigo mortal! =)
    A gente sempre pensa que voltar ao que era antes é retroceder, né...
    Mas sabe que, no fim das contas, acho que o que conta é a vontade de continuar em frente, seja onde for...
    Beijão procê!

    *******

    Bicha vó!!!
    Ai que saudade docê... E de seus conselhos sempre tão sábios e tão gostosos de escutar...
    Você me conhece como ninguém, né!
    Eu não vou voltar pra lá pra ficar parada, não. Pode ficar tranquila! Quero voltar pra matar a saudade, e aproveitar pra juntar dinheiro pra fazer o doutorado, como, sabiamente, você já me aconselhou.
    E sabe o que mais? Eu quero fazer o doutorado em São Paulo, e, se bem me conheço, o dia em que botar os pés lá, nunca mais saio!
    Então quero aproveitar esse ano pra ficar perto da família... Porque eu também sou filha de deus, né =)
    Mas depois das "férias" na casa da mãe, entre aspas, porque vou trabalhar, vou com tudo continuar botando o cérebro pra funcionar e fazer algo útil.

    Ó...Não é paixão não... É bem querer... Ou qualquer coisa assim... Eu acho =)

    Beijo enorme procê, minha Chicabum!
    E obrigada por tudo! Pela sua amizade, presença, e por tudo que já ganhei nesse tempo em que você está presente em minha vida, viu...

    ResponderExcluir
  4. "Como será o amanhã? Responda quem souber. O que irá me acontecer? O meu destino será como Deus quiser". Ao terminar de ler lembrei dessa música. Mas quando comecei a ler levei um baita susto com as músicas que você citou e principalmente com a frase de Roda Viva. Nossa, muitas vezes foi essa frase que dizia tudo que eu estava sentindo.
    Lindona, você tem idade para ser minha filha sabia? Nossa e como eu seria orgulhosa de ter uma filha como você.
    Estou aqui em lágrimas, primeiro porque você me emocionou com seu texto e segundo porque me fez lembrar de muitas coisas da minha vida.
    Nunca tenha medo de viver, de sentir, de errar, de mudar, de questionar, de voltar atrás em uma decisão. Tenho certeza que ao ligar para seus pais, eles, melhor que ninguém terão palavras importantes para você.
    Me lembro que num momento muito difícil quando eu morava fora do Rio, conversando com minha mãe por telefone, ela me disse só assim: vem prá casa, filha... Toda vez que eu passei momentos difíceis, confusos, foi com a cabeça no colo dela que encontrei paz e pude tomar melhor minhas decisões.
    Voltei para casa duas vezes e não me arrependo. É como você disse,é uma nova vida mesmo sendo omesmo lugar.
    Acordei cedo para arrumar minha mala e sentei aqui enquanto tomava um café e fumava um cigarro e encontrei você. Espero que nesse momento você esteja dormindo, mais tranquila e que ao acordar esteja mais leve por ter chorado, escrito, conversado com seus pais e dormido um sono bom.
    Gostaria de ter as palavras que lhe ajudassem, mas não as tenho. Porém sinta-se acarinhada e abraçada muito forte. Estou aqui torcendo para que tudo se resolva da melhor forma para você e que seja qual for sua decisão, ela lhe faça feliz.
    Pronto, já tou eu aqui escrevendo demais :)
    beijo grande !!!!

    "Não chore ainda não que eu tenho um violão e nós vamos cantar. Felicidade aqui pode passar e ouvir e se ela for de samba há de querer ficar. "

    ResponderExcluir
  5. Eita que enquanto eu escrevia vc já apareceu por aqui né? :)

    bejo bejo bejo

    ResponderExcluir
  6. Patrícia, vamos por partes... que fiquei até com falta de ar (não sei se é por causa da gripe que me pegou ou se é pela intensidade dos assuntos).

    Você sabe que alguns dias antes da apresentação de qualquer trabalho, o computador trava? Então... ainda sempre choramos, brigamos com o programa e misteriosamente ele volta a funcionar, né?? Lembro que quando estava finalizando a minha dissertação, a estúpida aqui resolveu fazer a edição no InDesign... beleza, parece o antigo pagemaker... bico!!!!!! Tomei um pau, literalmente, do programa, foram dias para montar a tal da página mestra, deixar bonitinha, porque fiz todo o conceito no photoshop e queria igual, exatamente igual no indesign... Depois de montadas as páginas mestras, era só editar o mestrado inteiro, isso é umas 200 e lá vai casstada folhas! Espetáculo, fácil... trabalho para 1 mês! Foraaaaaaa a maldida conclusão que me fez chorar 3 vezes. Uma por minha causa, uma por causa do meu orientador e mais uma por minha causa. Enfim, um caos.... mas acredite. É o normal. Você não vai conhecer ninguém que tenha passado por este processo ileso, totalmente feliz e contente. Nem o mais organizado dos moicanos! rsssss.

    Segunda parte, medo de aracnídeos... vejo esta cena com mamis, mas ela morre de medo de sapos. Ela quase tem ataques cardíacos, para ser mais precisa.

    Terceira parte, medo do futuro, o que vem pela frente... não sei, a nossa vida muda tantas vezes de direção, caminhos, idas, vindas... seus pais vão estar sempre felizes a sua espera. Você sempre vai estar buscando algo mais com a sua mente pra lá de curiosa e questionadora. Talvez, por pelo menos alguns dias seja ótimo voltar para os braços dos pais e ser feliz como se nada tivesse importância e deixar para amanhã pensar no que será de depois de amanhã. Passei por isso. Ainda tenho dúvidas. Deixei a vida acadêmica, mas sempre fico com a sensação do gosto de quero mais... quando me perguntam do meu DOC, meus olhos se enchem de lágrimas e penso... não é agora.... não é agora... são sempre tantos sonhos, tantas vontades. Agora mesmo, desejo de coração começar a dar aulas em faculdade... mas ainda não pintou. Já falei com tanta gente... mas ainda tá difícil. Ai, a frase soa: não é agora... não é agora... não é agora.
    Durma, peça colo, depois reflita... e você vai ver que, mesmo depois de refletir mais um milhão de planos aparecerão na sua cabeça!
    Parabénse pelo trabalho que irá apresentar! Mto boa sorte! Estarei aqui lendo as aventuras futuras!
    Beijos
    lelê

    ResponderExcluir
  7. mocinha que nos abandonou!:)

    pois é, eu ja estava me perguntando onde é que essa mininaMá se meteu?hehe

    ah,endendo perfeitamente sobre sua fobia,eu também tenho!
    mas não de aranha...
    eu tenho fobia de rato e de altura!
    das vezes que precisei voar quase tive um troço,rsrsr
    eu sempre vou ao medico antes,pra que ele me receita algum remedinho,mas mesmo assim é dificil ficar calma!

    Patrícia,li todos os seus posts,deu pra te conhecer um pouquinho...e confesso que fiquei bem feliz quando soube de seu desejo de voltar pra casa de seus pais,concerteza eles vão ficar bem felizes!

    vc é uma garota bem inteligente,estudiosa e luta por aquilo que quer,tenho certeza que alcançará todos os seus objetivos!*

    te admiro pela sua coragem de se mudar pra outra cidade bem distante de onde morava,e ainda sozinha,mostrou que é uma mulher forte!


    desejo a vc tudo de bom,que Deus te abençõe hoje e sempre!

    beijos*

    ResponderExcluir
  8. Acho que toda mulher é uma musica apaixonada do Vinicius. Da pra ver q o caso transcende de longe, e fica fácil identificar uma sonata de Beethoven. Parabéns novamente, minina que brinda com uma flor, lí mais dos seus textos e adivinha, me sobram reticências.
    Me entristece (Jeckyll que o diga) ler que Curitiba ficará menos bela no próximo ano, mas me alegra que sua colcha de retalhos continuará mantendo seu coração aquecido.

    =)

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Paaaatriciia ;)
    Eu acho que vc deve seguir seu coração.
    Se acha que é hr de voltar praquele cantinho que vc se sente feliz é pra lá que tu tem que ir !
    Quer alcançar novos horizontes ? Então... vc já fez isso uma vez e foi feliz pq não tentar se quiser novamente ?

    Eh melhor tentar e dizer: TENTEI, do que não fazer nada e se arrepender e ficar martelando com o "E se?"

    beiijos.

    ResponderExcluir
  10. Estrupícia querida
    Vim te visitar pra matar a saudade e leio um texto desses, lindo, intenso e verdadeiro.
    Parece que todo final de ano as transformações acontecem na vida de todos, eis que as suas não devem ser encaradas com dor ou gosto de retrocesso.
    Lembrei daquela música da Fafá de Belém (que cantava na novela Tieta, rssssssss)"Regressar é reunir dois lados...", acho uma música linda.
    Quanto a sua participação no tal evento, meus parabéns, vc é muito fra nêga. Bora arrasar?!
    Estou na torcida apra que vc volte com mais novidades felizes, por favor!
    Bjs, bjs, bjs

    ResponderExcluir
  11. Paty,
    Li tudo, estou no meio desse furacão contigo.
    Vou sair agora e não queria deixar um recado fajuto, meia-boca...
    Volto depois para comentar com calma.
    Adoro vc e seja o que vc escolher, com certeza será o certo.
    Fique com Deus (ou do jeito que vc O chamar)...
    Um cheiro enorme.

    ResponderExcluir
  12. O pedreirinho precisa dizer que fica feliz em saber que a Paty vai ficar bem!
    O pedreirinho precisa dizer que está orgulhoso da Paty e que se puder, vai ver as apresentações!
    Mas o pedreirinho também precisa dizer que os abraços e sorrisos verdadeiros farão muita falta na vida desse peão de obras literárias que não cansa de construir os pensamentos em você...
    O pedreirinha sentirá (ainda mais) saudades!
    ;*

    ResponderExcluir
  13. Olá, querida!

    Sobre o computador aredito que funcione mais ou menos como o corpo da gente. Quando estamos exagerando ele logo trata de dar uma travadinha pra nos obrigar a parar e a lembrar que existe vida além do trabalho.

    Power Point é dureza mesmo... também não quero um filho assim!

    Quanto a voltar para casa... é sua casa não é mesmo? O lugar que te fez quem você é hoje.

    Não vejo mal nenhum em voltar. Hoje em dia paraece que a gente tem que provar para o mundo todo que somos capazes de coisas que as vezes nem nos fazem realmente felizes. Sair de casa e proclamar a independência é uma delas.

    Mas nossos pais não são para sempre e eu acredito que o melhor caminho para a felicidade seja passar o maior tempo possível perto deles. Especialmente na época da vida em que deixamos de dar trabalho e podemos mostrar que todo esforço que eles fizeram para nos criar valeu a pena.

    Volte para casa sim, se esse é o caminho que seu coração indica. E saia mais tarde, se o mesmo coração sonhar outros sonhos.

    Bjss e boa sorte nesta nova fase!

    ResponderExcluir
  14. Ei, menina...

    Lembra..." a hora do encontro é também despedida...a plataforma dessa estação é a vida desse meu lugar". Somos sempre movidos a medo e para enfrentá-lo que seguimos adiante, vocacionados que somos em andar para frente. Ah...pequena menina...quantas vezes tropecei nas palavras e fiz cizânia onde buscava só me explicar ou, quem sabe, me envaidecer. Sim...você não voltará mais a mesma e nem seus pais te esperam da mesma forma, porque eles também não são mais os mesmos. E tantas vezes nos decepcionamos porque o que queremos é o mesmo que já não mais oferecemos.
    Bom mesmo é, ainda que diante do medo - até das fobias aracnídeas mais cruéis -, sejamos capazes de escolher...com toda a dor e o prazer que isso pode nos trazer. Sem dúvida..."que tem dia que a gente se sente, como quem partiu ou morreu, a gente estancou de repente ou foi o mundo então que cresceu.."
    Sem bom te ler. E só para ajudar um pouquinho, a citação lá de baixo é do Fernando Sabino.

    Beijo grande...

    ResponderExcluir
  15. Eita, Patrícia!
    Já fiz apresentações com os canhões e transparências, e com power point também. O primeiro é muuuuito mais fácil, tu tens toda a razão. :)

    Mas no final dá tudo certo. Oh! Que bom que você concluiu. Aff! Um problema a menos. Agora é focar nas apresentações, né? Sucesso, sucesso, sucesso!!!!

    Menina, agora cá pra nós: sem essa de ficar pensando que está se contradizendo nas decisões da vida ou qualquer coisa assim, tá? Já pensou se na vida a gente só pudesse escolher uma vez, e não pudesse mais mudar? Que horror que seria! Deus me livre e te livre! Bonita, viva sua vida e corra atrás do que lhe faz feliz, sempre. Mude quantas vezes for necessário... please!!!

    Queria saber a reação da tua mãe com a notícia. Conta depois? :D
    E você já vai passar Natal por lá?

    E novamente, no fim de tudo, as coisas deram certo. :)
    Beijos e beijos, e seja muito feliz. :)

    ResponderExcluir
  16. Paty..
    me deliciei com seu texto..
    quanta realidade, quanto sentimento derramado nessas brancas folhas...
    que amor.
    olha, as vezes retornar é simplesmente iniciar uma nova etapa de recarga das baterias, pra o inesperado que nos aguarda..
    tenho certesa que o que te aguarda além de abraços, beijus, carinhos e velhas amizades é um novo amanhecer cheio de esperanças e novidade..
    vai fundo , abraçe o futuro, espere o inusitado amanha e saiba que todas as decisões são certas por que foram suas.
    To na torcida e sei que vai ser muito bom....
    Boa viagem...aviso aos passageiros...sujeito a alegrias, desventuras e surpresas...mas chegaremos ao final, sãos , salvos e muito, muito mais amadurecidos.
    seja feliz!!!!
    o amanha a Deus pertence...vc é filha Dele.
    bjkas no coração.
    uivos de apoio.
    loba.

    ResponderExcluir
  17. Olha só quem resolveu aparecer!!! hahaha.. mas nós entendemos vc, pq tbm somos blogueiras e claro, sabemos que, apesar da importância que o nosso canto tem, tbm temos uma vida aqui fora e precisamos tocá-la! Eu tbm nunca sei se estou escolhendo o certo, e descobri que estou na maior dúvida entre dois cursos, logo agora, antes das provas do vestibular.. e se eu passar nas duas provas vou ter q escolher... é complicado, mas mesmo sabendo que estamos abrindo mão de algo, tbm temos que ter consciência que ganhamos outra, né não???
    Olha, e qd vc volta pra sua cidade??? Ah, tomara que dê tudo certinho viu??? Vou sumir um pouquinho durante esse mês, mas já já tô de volta, viu?? xD
    bjusss

    ResponderExcluir
  18. Bom dia, Patrícia!

    Quem me mostrou e me indicou seu blog foi minha prima Luci. Vim conferir a dica e gostei demais do que li!

    Vou ficar freguesa, posso? ^^

    Pelo que pude assuntar, temos gostos literários, cinematográficos, musicais e quadrinísticos bem semelhantes...

    E, mais curioso ainda, eu tenho uma amigairmã cuja dissertação em Psicologia também foi sobre histórias em quadrinhos! Coincidência, não? ^^

    Abraços para você e boa sorte em suas escolhas! Que elas lhe tragam felicidade e paz!

    Vida longa e próspera... e MORTE ÀS ARANHAS!!!!!

    ResponderExcluir
  19. Oie. Selinho pra ti lá no meu blog. Bjs :*

    ResponderExcluir
  20. Oi, Patrícia! Lindo texto, daqueles que conversam com a alma. Suas palavras me fizeram refletir sobre muitos erros que ficam engasgados na garganta e, que muitas vezes, não temos a chance de resolver. Boa sorte nas suas escolhas, sei que com a sensibilidade tão grande que tem, será muito feliz! É o que te desejo ( além de dar um basta nas aranhas,rsrs, também tenho esse problema). Abs, Ana.

    ResponderExcluir
  21. Uma coisa é mais do que certa e é bom enxergar isso de vez em quando, ainda mais quando se está no meio da confusão: se ainda não está tudo bem, é porque ainda não acabou...
    Porque no fim, sempre acaba bem! A gente aprende superar e traz um monte de lição com a gente.
    Acho que se eu fosse voltar para a casa dos meus pais depois de dois anos longe talvez me sentiria da mesma forma que você. Vejo-me questionando a mim mesma sobre esse aparente retroceder. Mas, mesmo que seja encarado como um passo para trás, às vezes é preciso que se dê esse passo para se conseguir dar dois a frente e sair do lugar. ;)
    Bjitos!

    ResponderExcluir
  22. Olá, gostei do seu texto, me lembrou uma situação em que tive que fazer uma escolha importante que envolvia abandonar um doutorado em curso com bolsa garantida... Acho que esse negócio de erro e acerto é no mínimo estranho. A gente não sabe o futuro e projeta muitas possibilidades, todas virtuais, e fica com medo de abrir mão destas possibilidade que foram criadas na imaginação, e não são reais. Nunca dá pra saber até a escolha ser feita, o que foi deixado pra tráz foram meras possibilidades, e as vezes a gente se esquece, que em alguns casos há como mudar de caminho denovo. Geralmete, nossa cultura ensina a focar no resultado e não no processo. Mas é justamente no processo que a gente cresce, aprende, se diverte, se distrai, xinga... (é... o power point é um saco, e o exel então, é uma !@#&$!!! haha). O resultado final de um processo, se bom, depois de uma explosão de felicidade talvez, cai no esquecimento... Eu gosto muito de uma frase que lí: Depois de passar por uma tempestade que faz um grande estrago, é que a gente vai poder ter uma noção de quem realmente é... Abraço t+

    ResponderExcluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. Patrícia,
    que saudades daqui. nossa sei bem como é sofrer com um bichinho desses...
    Linda espero que esse vulcão tenha acalmado aí... e sobre você não voltar a mesma pra casa...
    me fez lembrar de uma citação mais ou menos assim:

    "Jamais mergulharei duas vezes no mesmo rio, pois no segundo mergulho nem eu nem o rio seremos os mesmos!"

    Que post mais sábio você tem razão escolha é escolha, e se é nossa é a certa... Siga em frente e seja feliz esse é nosso caminho... Post profundo, adorei a ideia do retalho, você me deixou sensibilizada...

    Linda tem um presente pra você aqui, tá?


    http://matheusmeupimpaozinho.blogspot.com/2009/11/1-selo-e-as-mudancas.html

    Beijo grande e ótima semana...

    PS. Essa do filho gay foi muito engraçado rsrsrs

    ResponderExcluir
  25. Querida, quando li esse texto e lhe escrevi estava fazendo hora prá ir viajar. Fiquei 9 dias fora e lá tinha pc, porém eu queria me desligar um pouco. Porém todos os dias eu entrei aqui para ver se tinha notícias suas. lembro de vc todos os dias.
    Espero que esse sumiço seja porque você está resolvendo as coisas para fazer essa mudança de vida.
    Estou preocupada sim, que nem mãe, viu? Estou com saudades de você e dos seus textos. Estou na torcida pela sua felicidade!! Tenho lembrado de vc também por umas coisas que ando fazendo e que depois eu conto.

    beijão grande com muuuito carinho

    ResponderExcluir
  26. huummm será que vc sumiu só prá não fazer o sorteio???? hahahahaha

    ResponderExcluir
  27. Luci, minha querida...
    Eu lembrei dessa música também =)
    Ah, Luci! Eu é que teria orgulho de ter uma mãe como você, viu! De verdade!
    Muito, muito obrigada por suas palavras e por seu carinho! Saiba que é absolutamente recíproco!
    E escreva demais sempre, porque só me faz bem =)
    Beijo enorme procê!

    *******

    Oi Lelê,
    Ai como eu sei que esse trem adora travar quando a gente mais precisa dele, mulher... Aconteceu isso quando eu estava terminando a dissertação pra qualificação. O bicho resolveu que não ia mais funcioanr, e não funcionou!
    Às vezes não é a hora mesmo, né bonita? A gente faz tantos planos, e muitas vezes eles só vão se concretizar quando a gente até já se esqueceu de tê-los feito... O que não quer dizer que a gente vai deixar de sonhar, né =)
    Um beijo bem grandão procê!

    *******

    Lu,
    Muito obrigada pelas palavras, viu... É por isso que nunca consigo deixar a tristeza ao meu lado muito tempo. Com esse carinho que recebo, não tem como deixar de ser feliz =)
    Eu desejo tudo em dobro pra você, bonita! De coração!

    Beijão procê!

    *******

    Mr. Hide,
    Obrigada pelos parabéns!
    Mas Curitiba não ficará menos bela, não. Talvez ficará menos rabugenta com a minha saída, mas continuará bela como sempre foi =)
    Beijo procê!

    *******

    ResponderExcluir
  28. Nath,
    Concordo com você meu bem!
    Beijão!

    *******

    Rosi,

    Ô minha estrupiciazinha [isso é que intimidade xD]...
    Ah! Linda a lembrança dessa música, mulher! Vou até escutá-la agora!
    E tomara que esse fim de ano traga a nós todas muita coisa boa, pra lavar a alma dos tropeços que tivemos no ano...
    E pode deixar que as novidades tendem a ser só felizes daqui rpa frente =)
    Beijão procê, nega!

    *******

    Claudinha...
    Só de ver o seu rostinho aqui já é uma felicidade imensa pra mim, minha irmã...
    Que esse furacão nos deixe em paz, né.
    Beijão procê!

    *******

    Renan!
    Ah, meu bem... Que coisas lindas de ler!
    Pode ter certeza que a pedreira aqui também morrerá de saudades de você, viu!
    Um beijo enorme!!!

    *******

    Flavinha,
    Sabe que você tem razão, menina... Até nos computadores também bate um coração =)

    Muito obrigada pelo seu conselho, meu bem. Pensei muito no que você disse... E me ajudou a não ter dúvidas de que é isso mesmo que quero fazer...

    Beijão procê! E boa sorte a todas nós!

    *******

    ResponderExcluir
  29. Vê...
    Não me canso de dizer o quanto amo seus comentários... E suas palavras...
    Sempre me pegam de jeito, me fazem pensar, sorrir e refletir mais sobre a vida...
    Muito obrigada por sua presença.
    Beijão procê!

    *******

    Lidi,
    Fala que não dá saudade das transparências?! Power Point é um saco!
    Ainda bem que a gente pode mudar nossas decisões, né bonita? Mudar é bom, e faz bem pra saúde e pra alma. 'Tô contigo!
    Ó...Dona mãe ficou numa alegria só! E o resto da família também.
    Vou pra lá antes do Natal já. Não me aguento de saudades!

    Que sejamos todas nós sempre muito felizes!
    Beijão procê, bicha!

    *******

    Valéria...
    Eu é que me deliciei com seu comentário, bonita!
    Que delícia de ler.
    E 'brigada pelas palavras!
    Sejamos todas muito felizes e abençoadas!
    Um beijo enrome procê!

    *******

    Debbys,
    O jeito é aceitar nossas escolhas, e ser feliz com elas, sempre...
    Volto já em dezembro pro interior.
    E vê se não some como eu, viu! =)
    Beijo procê!

    *******

    Raven,
    Se é da família da Luci, deve ser uma pessoa admirável!
    Seja muito bem-vinda! E não precisa nem pedir pra entrar, viu...
    Eba! Mais gente estudando quadrinhos! o/
    Um beijo procê!
    E muita felicidade e paz pra todas nós!

    *******

    Dona moça que voa =)
    Eba! Selinho! VOu buscar!
    'Brigadão!
    Beijo procê!

    *******

    ResponderExcluir
  30. Ana,
    'Brigada meu bem...
    Mas sabe que tenho cá pra mim que um texto só tem sentido quando é lido? No fim das contas, as palavras são bonitas nos olhos de quem vê.
    E que os erros do passado fiquem lá, bem enterradinhos!
    Como disse a Raven, MORTE ÀS ARANHAS!
    Beijão procê!

    *******

    Lusinha,
    A gente é forte, né?
    Mesmo que doa um pouquinho, acaba superando tudo...
    E nada como um dia de sol pra fazer secar as lágrimas da chuva =)
    Beijo procê!

    *******

    Nano,
    'Brigada pela visita, querido!
    Felizmente, a vida não é um número fatorial que dá pra gente saber o fim exato, né.
    É bom poder saber que, mesmo que a gente erre, haverá outras oportunidades de acertar e ser feliz.
    Beijo procê!

    *******


    Tyna,
    'Brigada pelas palavras, bonita!
    Eba! Presente! Vou correndo buscar!
    Beijão procê!

    Ah! Você tem que assistir Seu Lili, é muuuito engraçado! Só procurar no Youtube =)

    *******

    Lidi,
    Saudades também, meu bem =)

    *******

    Ô LUci...
    Assim você me deixa emocionada...
    Sabe que voce já se tornou parte de mim também? Desse mesmo jeitinho, de lembrar com carinho, de querer saber se está bem.
    Você sempre me faz muito bem... E já te adotei como minha mãe internética, viu! =)
    Eba! Quero saber das coisas! Novidades! Conta! Conta! =)
    Beijo bem grandão procê!

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...