quarta-feira, 18 de maio de 2011

Diário de academia... Ou apenas algumas divagações sobre a vida.

Companhia Musical

Tenho cá pra mim que cada vez mais o tal do 2012, ou seja lá que demônio de fim do mundo estão anunciando por aí, está próximo. Por quê?! Oras, minha gente... São tantos os motivos que evidenciam que o mundo está chegando [ou já deveria ter chegado] ao fim. Mas os meus [que, inclusive fizeram o favor de me trazer aqui] foram minha repentina e assustadora volta à academia [não a de Letras, estrupício! Afinal, estou bem mais perto da de musculação mesmo], e minha aceitação de que a vida adulta chegou e de que não há mais volta...

Não vou me atrever a falar das duas coisas em um post só; primeiro porque nem lembro mais o que é blogar, tanto tempo me afastei das bandas de cá; segundo, porque ia ficar um post longo pra diabo, e, bom, eu disse no título que seriam divagações, não disse? Pois então, eu avisei...

Fato é que tenho tentado me encontrar e redescobrir o mundo a minha volta. Quer dizer, acho que o verbo certo é descobrir mesmo, sem o RE, tanto a mim quanto ao mundo...

Semana retrasada, em pleno sábado de manhã, num surto daqueles que pegam a gente mais desprevenido que Pinguin em dia de calor [ou qualquer outra analogia menos idiota que a minha], peguei meu suado dinheiro, fui à academia e me matriculei. Assim, meio que sem entender, meio que sem querer querendo. Cheguei em casa, botei a mão na cabeça e disse [que os puritanos da língua me perdoem, mas alguns bons e desopilantes palavrões se fazem absolutamente necessários nesse post! Mas ó, em respeito a você, vou colocá-los bem pequeninos]: Putaqueopariu! Fiquei ali, durante algum tempo, tentando entender o porquê de, depois de 10 anos, eu ter resolvido voltar, por livre e demente vontade, pra uma academia de ginástica.

Entender, eu não entendi, mas se tem uma coisa nessa vida que eu detesto é gastar dinheiro à toa. Como eu já tinha pago, nada mais [in]justo do que frequentar. E na segunda-feira [o mais abominável e implacável dos dias!], lá fomos eu e minha incompreensão [eu, vestida de calça de coton/lycra/qualquer diabo de nome desse tecido que gruda até na alma e camiseta UltraG, e ela vestida de luto].

O cenário não era nada favorável. Aparelhos que se assemelhavam aos de tortura medieval, ogros, ou seriam bárbaros, levantando dezenas de quilos, rap/hip hop/ou qualquer música do demônio tocando numa altura infernal... Não fosse minha incompreensão tão curiosa, teríamos saído correndo as duas dali.



No final da noite, descobri que tenho músculos. Afinal, nem se eu fosse surda conseguiria passar ilesa aos gritos que eles davam a cada movimento. No outro dia, eu maldisse a mim mesma e às mil repetições de exercícios. Só não à minha instrutora, que foi bastante agradável pra uma pessoa que tem que fazer o papel de carrasca.

Na terça eu voltei. Pensei cá comigo que se já estava doendo mesmo, que mal faria mais um pouco de tortura? Vai ver eu tenho pecados seculares pra pagar [ninguém que é professor foi gente que prestasse nas encarnações anteriores, isso é fato, minha gente!]. O cenário continuava o mesmo. Os músculos gritavam menos. E eu nem reparei tanto nos ogros e nas mocinhas e suas calças e seus tops de lycra [silvertape, talvez?] mostrando o resultado de horas na academia.

Quarta, e lá vamos nós de novo. Quase nada doía, e eu até aumentei o peso dos aparelhos por conta própria.

Quinta, e o primeiro desafio: dou aula até às 6:20 da tarde. Chego em casa por volta das 7:30h. Esgotada. Estressada. Com fome. Com sono. Querendo matar uma dezena. Com provas pra corrigir. Com todas as desculpas pra não passar perto da academia nem em sonho. Mas lá fui eu, com aquela cara de quem agradeceria se o mundo acabasse. Enquanto fazia os exercícios, brinquei com a instrutora que iria levar minhas provas pra corrigir enquanto caminhava na esteira. E foi aí que tive a abençoada epifania!

Até aquele momento, eu estava encarando a academia como uma perda de tempo. Algo que me afastava das pilhas de provas e redações pra corrigir, dos planejamentos a fazer, do trabalho, trabalho, trabalho, trabal...

Foi então que eu passei a ver a academia como um tempo meu, só meu, meu, meu, MEU! E, meudeusdocéu, como é difícil sermos egoístas com nosso tempo. Oi? Vai me dizer que você nunca percebeu o quanto dói ter um tempo só pra você? Não, não, não. Nada de trabalho, filho, namorado, marido, casa, roupa, comida, compras, internet, televisão, cinema, livro. Nada disso! Eu digo um tempo seu, com seu corpo e sua alma. E só, e acabou. Nada de muletas. Você, fazendo um tour sozinha por dentro de si mesma.

Então eu percebi que até quando tomava banho, eu ficava pensando em trabalho. Eu comia pensando em trabalho. Ou em problemas. Ou em contas a pagar. Ou em trabalho. Ou em... Qualquer diabo de outra coisa que não eu mesma.

A partir dali, meu corpo não doeu mais (mentira! Hoje doeu pra demônio, porque a instrutora aumentou o treino!). Digo, não doeu mais psicologicamente. Doeu porque eu sou uma sedentária mór, cujos únicos esportes eram sinuca, levantamento de copo e apagamento de bituca. Mas não doeu antecipadamente... Não doeu de birra. Doeu por uma simples reação física.

Hoje, uma semana depois do primeiro e fatídico dia, eu encaro a academia como uma hora e meia só minha. Nada de mais nada atrapalhando meu relacionamento comigo mesma. Que se dane se tenho 100 redações pra corrigir pra ontem. Que se dane se tenho aulas pra preparar ou se tenho contas a pagar. Aquela uma hora e meia é minha e ninguém me tasca!

Mas uma coisa não pude evitar: escrever posts e notas mentais enquanto andava na esteira. Metade desse post foi "escrito" lá. E durante a uma hora em que estive ali, andando pra nenhum lugar físico, mas pra milhares de lugares virtuais, fiquei divagando sobre a vida...

Tentei lembrar quando me tornei uma sedentária inveterada. Porque, quem me conhece hoje, deve achar que treino pra ser assim desde que nasci; mas, sinto desapontá-los, tenho "apenas" 8 anos de sedentarismo puro malte.

Durante toda a minha adolescência e parte da "juventude", fui atleta. Mas atleta mesmo, de treinar mais de 4 hora por dia. De passar final de semana num campo ou numa quadra. De sonhar em um dia vestir a camisa da seleção.

Eu até iria contar essa história toda agora, mas percebi o quão gigante este post está... E não custa nada esperar até amanhã pra continuar contando, né não? Afinal, já fiquei quase 2 meses sem postar mesmo...

Prometo que amanhã volto, conto o resto da história e continuo com minhas divagações e descobertas.

Hoje estou cansada. Mas não cansada da vida, como andava ultimamente. Não cansada de viver, sabe? Mas cansada de tanto viver, cansada de corpo... Porque a alma, ah... essa está aqui, lépida e faceira, pronta pra continuar pelo caminho retirando ou colecionando as pedras, e contando a trajetória praqueles que compartilham de suas palavras.

*****************************************************

Ps1: Esse post precisa ser em homenagem as minhas queridíssimas Luci Cardinelli e Elaine Gaspareto, que hoje, numa microconversa no Twitter [afinal de contas, é um microblog!] [Já conhece meu Twitter? Espia lá: @patriciapirota] acenderam em mim a vontade e a necessidade de voltar pra esse cafofo. Muitíssimo obrigada, suas lindas!

Ps2: A Companhia Musical volta em homenagem à Luma, pessoa e blogueira a quem admiro e tenho por referência mór nessa blogosfera demeudeus. Luminha, muito obrigada por sua presença e incentivo de sempre, viu!

Ps3: Deixa eu deixar um beijo pra Juliana Gervason. Amiga nova, mas que já me trouxe muitos sorrisos. Viu, não parei de blogar só porque você começou a ler!

Ps4 [já vai acabar, eu juro!!!]: Quero pedir desculpas públicas e envergonhadas às pessoas queridas que comentaram e visitaram este cafofo enquanto eu e minha alma estivemos de férias. Não pensem que não respondi os comentários por [insira seu defeito terrível favorito aqui], não viu... É que me dava tristeza de pensar no blog. Mas isso é assunto pra tantos e tantos outros posts. Por hora, quero apenas agradecer a presença e dizer que retribuirei em breve. Muito, muito obrigada!

Ps5 [é o último! É o último!]: Se clicar nos nomes das músicas, você é levado ao vídeo no Youtube. Se clicar no nome das homenageadas do post, será levado ao Twitter delas. Faça uma boa viagem até eles, garanto que vale à pena!


"- Agora diga tchau, Lilica.
- Tchau Lilica!"
Um beijo cheio de uma maldade nem tão má assim...
Patrícia Pirota
@patriciapirota

13 comentários:

  1. aeeeeeeeeee que coisa boa acordar as 3 da manhã , ter vontade de tomar café, ligar o pc e encontrar post seu, ganhei o meu dia.

    Há muuitooos anos eu fui fazer academia, e prá mim é um lugar de terror, não consegui tomar amor de jeito nenhum, daria um post imenso.Eu tenho a facilidade de largar tudo e ter momentos só meu aqui mesmo no meu cafofo,

    O verbo é esse mesmo descobrir, porque nós estamos sempre nos descobrindo e ao mundo também : "Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia, tudo muda o tempo todo..."

    Muito, muito feliz de poder te ler novamente. As amigas blogueiras me perdoem e não fiquem com ciume, mas vc é minha blogueira preferida e vê se para de me deixar com crise de abstinência, viu estuprício? Amanhã eu volto prá conferir se vc voltou.

    beijos e um ótimo dia!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Mama!!!
    Eu nunca consigo [e penso que jamais conseguirei] encontrar palavras pra retribuir seu carinho...
    Na verdade, acho que as palavras nunca seriam capazes de mostrar o quanto gosto de você. Não é à toa que te adotei como mãe...
    Muito obrigada! Por tudo, e sempre.

    Mas ó... Gostei da idéia de você fazer um post sobre sua aversão de academias, hum. Que tal? ;)

    Um beijo, cheio de amor.

    ResponderExcluir
  4. Wow!! Que delícia estar incluída em seus agradecimentos! Obrigada, Patrícia!!
    Entendo os dois lados da questão - até porque as pessoas criam caricaturas em relação aos grupos e se participamos de algo diferente do que normalmente elas estão acostumadas, tende a nos incluir nessas caricaturas. A academia não é diferente e estamos com a alma tão encardida que nos deixamos levar por enquadramentos estúpidos.
    Mesmo dentro da academia as pessoas não deixam de se enquadrar em preconceitos e você já olhou para o lado para ver o "largadão" que teima em não consertar a postura e o "malhadão" que está sempre com o corpo à postos?
    Muito bom você ter voltado a trabalhar o corpo e vai perceber que a sua disposição até para o raciocínio ficará melhor. Prova concreta é ter voltado a escrever no blogue. Ponto para a academia!
    Seu tempo "perdido" na academia vai render um montão e depois vai sentir falta se ficar sem malhar.
    Boa semana! Beijus,

    ResponderExcluir
  5. um
    eu ia dizer que precisava saber que porra de bicho foi esse que te mordeu pra mantê-lo longe de mim, mas

    dois
    no meio do post baixou uma vontade desesperada de ir pra academia ter um tempo só pra mim e

    três
    eu me peguei no meio do texto já pensando em escrever um comentário avisando que não era pra você se atrevar a voltar a blogar para depois parar quando

    quatro
    leio o ps pra minha pessoa, logo

    cinco
    continue malhando e fica, fica no blog, não suma, vai ter bolo! prometo! =D

    =*

    ResponderExcluir
  6. *atrever
    atrever pascoale
    não enche
    foi erro de digitação, seu chato!

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Ah, que bom! é muito bom quando um escritor bom volta a postar. fico feliz que o incentivo tenha valido a pena.
    Sabia que li seu blog todinho? Quer dizer, todinho é exagero, mas li um montão da MininaMá...
    Obrigada por me citar.Beijosss de boas vindas rsrsr

    ResponderExcluir
  9. Hihihi, conta do marido. Mimata...desculpe, tá?

    ResponderExcluir
  10. Oi, Patricia! Tô chegando lá do blog da Elaine, sabe que dica dela é quase uma ordem...rsrs
    Adorei o texto, me identifiquei pois sou "rata" de academia fazem 2 meses...kkk Agora até acho que talvez um dia, num futuro bembem distante, eu possa dizer que sinto falta de malhar...rsrs
    Abraços

    ResponderExcluir
  11. Oi Patrícia! Cheguei aqui atraves de dois blogs, o da Luma e da Elaine. Adorei a forma gostosa como escreve. Sei como é essa coisa de se afastar do blog. As vezes é necessario. Espero que já tenha passado. Beijos

    ResponderExcluir
  12. Luminha!

    Own... De nada! Nunca terei "confetes" o suficiente pra jogar em você ;)

    Sabe que depois que li seu comentário, passei a reparar nos "diferentes" da academia... E acabei me sentindo em casa =)

    E meu cérebro está a mil, mesmo! Parecendo uma máquina de tanto pensar. =)

    Tenha uma ótima semana!
    Beijão procê!


    *********

    Ju...

    Viu! Falei procê que não era culpa sua o meu sumiço!
    Eba! Bolo! Péra lá que vou andar uma hora na esteira pra perder as calorias que vou ganhar com ele xD

    Beijão!

    **********

    Elaine, minha querida

    Obrigada pelo incentivo e pelos elogios...
    Por isso que a blogosfera me faz cada vez mais feliz, porque, conhecer pessoas como você não tem preço!

    Um beijo!

    **********

    Oi Adelaide,
    Tudo bem?

    Seja bem-vinda!!!
    É... Palavra de Elaine tem que ser considerada =)
    Sabe que eu não fui à academia no fim de semana, e meu corpo parece que 'tá pedindo malhação?
    Pelo menos é um vício bom, né?

    Um abraço!
    E volte sempre! =)


    *************

    Oi Bianca,

    Tudo bem?
    Menina, você veio de dois blogs que adoro e admiro muito!
    Muito obrigada pela visita! Seja bem-vinda!
    Acho que agora não me afasto daqui tão cedo... =)

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  13. ...kkkkkk... :D
    Estava mesmo com vontade de me divertir com teus posts!

    Corajosa, hein? Academia? Definitivamente isso não é para mim...mas levar uma vida sedentária não está nos meus planos, por isso, como alternativa, vou me enfiar em aulas de Pilates. Já comecei a fazer levantamento de preços, e em breve estarei serelepe e satitante me esticando toda. Meu corpo e postura agradecem. :)

    Agora, espero ter as mesmas sensações que você anda tendo no teu tempo de academia... e depois que li teu post, fiquei mais animada ainda para começar logo... :)

    Bem vinda a blogosfera novamente...
    :D
    :*
    Lidi

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...