quinta-feira, 28 de julho de 2011

"Quero outra vez um quarto todo branco e um par de asas".

Companhia Musical

A frase do título está em "Lixo e Purpurina", um dos melhores contos [na minha modestíssima opinião] do sempre doce Caio Fernando Abreu. Esse conto me acompanha há muito tempo. Desde que o li, não pude evitar adotá-lo como meu. Gosto muito de Caio F., e gosto em particular desse livro, o "Ovelhas Negras" [já até falei dele AQUI]. E acredito que "Lixo e Purpurina" traduza a essência desse livro, além de traduzir muito de mim.

Todas as vezes em que me entrego à sozinhez, Ovelhas Negras vira meu livro de cabeceira. Leio à noite, antes de dormir, e me abandono nas palavras de Caio. E sempre que leio a frase do título, tenho vontade de deixar o estado de sozinhez de lado, e criar asas...

Pouco antes das férias, estava procurando alguma coisa na agenda, e me deparei com a frase. Ela ficou reverberando em mim, até que na semana passada decidi que ia ter um quarto todo branco, e um par de asas, ainda que feitas de papelão.


Desde que me mudei de Curitiba pra cá, ainda não tinha "dado um jeito" nas minhas caixas. Foram várias caixas de papéis que se acumularam, e mudança vai, mudança vem, ficaram jogadas num canto. Resolvi então perder o medo, e me jogar nelas. Foram uns três dias em função de tirar papel por papel e jogar fora o que não me servia mais. Assim, sem dó nem piedade. Porque se não for assim, a gente olha pro papel de 1997, lembra de como era uma adolescente fofa e guarda de novo aquela maldição que não serve pra nada.

Eu não cheguei no nível do "Acumuladores" ainda [e nossasenhoradaorganização permita que eu jamais chegue!], mas se tem uma coisa que eu herdei da família foi o hábito de guardar tranqueiras. Ai que caixa mais fofa! Vou guardar! Vai que um dia vai ser útil... E é assim desde que me conheço por gente. Então, imagina o tanto de inutilidade que eu tinha escondida naquelas caixas!

Não, esse não é um blog de decoração.
Porque, né...
Queria ter comprado daquelas caixas organizadoras decoradas, maaaas, como ando meio pobrinha, decidi usar as caixas de papelão mesmo. Daí, pra não ter que ficar olhando pro logo da Qboa todo dia, resolvi encapá-las. Peguei uns papéis que um dia guardei jurando que seriam úteis [e não é que foram mesmo?!], me agarrei com minha fiel escudeira, a fita adesiva transparente, e voi lá, caixas menos medonhas... Dá uma olhadinha em como elas ficaram. Claaaaro que eu não tenho o talento da Luci ou da Margareth, mas né, a gente faz o que pode...

Aproveito e já mostro minha estante, e alguns dos meus livrinhos. E por falar em estante, 'bora participar da vlogagem coletiva com a gente? Clica AQUI nesse post da Ju Gervason e veja como fazer pra participar...

Tirei uma foto que mostrasse também essa fofura de adesivo de parede que está na cabeceira da minha cama.. Sim, ele tem corações. Sim, ele é praticamente adolescente. Não, eu não 'tô nem aí pro que vão dizer...

Ainda falando das caixas... O mais difícil foi mexer na do Mestrado. Tive que engolir seco várias vezes, e segurar muitas lágrimas de saudades... Joguei fora minhas anotações em papel, pois as tenho todas no computador, e deixei apenas algumas cópias que, talvez, quem sabe, num projeto futuro me sirvam no doutorado...

No fim, fiquei orgulhosa... Consegui transformar 7 caixas de papel e tranqueiras em 4. Imagine você que até prova de aluno de 2002 eu tinha guardada! Mas me livrei daquilo que já não me servia mais... Além disso, essa experiência me servia pra jogar fora também alguns sentimentos que estavam grandes demais pra mim...

Pois bem... Tranqueira arrumada, 'tava na hora do quarto todo branco...

Quando me mudei, vendi todos os meus móveis lá, e acabei não comprando outros aqui. Peguei minha cama antiga [de quando eu era menina], o guarda-roupa vintage de mamãe [porque, né, tudo o que é velho pra diabo hoje em dia é chamado de vintage], uma cômoda que sabesedeus como veio parar em casa, a mesinha de máquina de costura [que veio de Ctba comigo], uma cadeirinha que minha mãe reformou... Enfim, tudo de segunda mão.

Olhei pra esses móveis, olhei pra lata de tinta branca, abracei os pincéis e lá fomos nós. Passei três dias inteiros pintando cômoda, guarda-roupa, estante... Tudo de branco. Só não pintei a cama, pois foi meu avô que fez pra mim quando nasci, e ela é de uma madeira clara que acho linda...

No fim, voltei a ter um quarto todo branco. O par de asas ficou por conta de minhas borboletas penduradas em fitas de cetim, que ficavam no teto da minha casa em Curitiba. Coloquei-as na janela, e, todos os dias, quando acordo, elas me lembram que nossos sonhos tem asas, e são capazes de voar até o infinito...

Depois, fui acrescentando detalhes ao quarto. Coisas bobas... E mostro agora uns pedacinhos do meu quarto todo branco, mas cheio de sonhos coloridos...




Pedacinho da estante, com algumas personagens de Tim Burton, e minha "bíblia" da Mafalda.



Outro pedacinho da estante, e outra personagem de Tim Burton...



A mesinha de "máquina de costura"; a cadeira reformada por mamãe; o lixinho [claro que lotado de papéis...] com borboletas...


Organizador de pano feito por mamãe... Fica pendurado no guarda-roupa, e guarda algumas maquiagens.


Um pedacinho da cômoda, com alguns perfumes, meus batons, um organizador, a bandeja que amo...



E aí está, meu quarto branco e algumas de minhas asas... Fazia tempo que não fazia um post com tantas imagens... Assim como fazia tempo que eu não mostrava minhas tranqueiras.  E eu gosto bastante de ver as "tranqueiras" alheias. É bom quando a gente vê a pessoa refletida em seus objetos, em suas escolhas. Porque não somos apenas aquilo que falamos (ou calamos) somos também (e muito mais do que percebemos) aquilo que escolhemos para nos representar nesse mundo físico.

É bom que fique claro que esse post não tem a menor pretensão de dar dicas de organização ou decoração. As imagens são só uma outra forma de partilhar minha vida...

Já me divido em palavras, hoje quis me dividir em imagens... Assim como, caleidoscopicamente, nos dividimos todos os dias...

E você, também já teve vontade de ter um quarto todo branco novamente?


PS: As frases colocadas nas imagens foram todas retiradas do conto Lixo e Purpurina, da minha edição de Ovelhas Negras (L&PM Pocket, 2002, p. 97-126).

Um beijo, cheio de uma maldade nem tão má assim...
@patriciapirota

4 comentários:

  1. Amei o post, tão diferente dos que sempre encontrei aqui. Quando precisamos nos arrumar por dentro, começamos arrumando por fora. E eu que tou de quarto branco e doida prá mudar? hahah
    segredinho: amo rasgar papel!!

    beijos e ótimo dia!!

    ResponderExcluir
  2. Adorei seu post... tão diferente e tão intimista... se abrindo tão francamente...
    AMO Caio Fernando Abreu e acho que as palavras dele fizeram e fazem toda a diferença em minha vida... Uma reclamação apenas, cadê a foto da mininamá???
    gostava pacas dela...
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Delícia de post. Fotos do quarto dão aquela sensação de que estou te visitando, sabe?
    =D

    Eu achei o adesivo de bicicleta lindo e não vejo nenhum problema nos corações dele! =P

    Somos irmã de bandeja e quase de perfume - porque se eu usasse o meu, seríamos.

    Mas Caio e Mafalda, por exemplo, nos ligam com superbond!!! =D

    Faz mais posts assim? =D

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Luci,
    Como sempre, você tem razão, né Mama...
    Acho que a mudança exterior reflete a mudança interior... E é sempre mais fácil mudar o que está fora, né? ;)

    Ps: eu não gosto de rasgar, mas adoro amassar =P


    *********************

    Rafa,
    'Brigada, Bonita!
    Caio sempre permeou minha existência, sabe... Às vezes ele mete o dedão nas minhas feridas, e às vezes ele faz carinho na minha cabeça...

    Ah... Tirei a menininha porque estava cansada dela, e por otras cositas más... Ela era criação de um antigo amigo, enfim...
    Mas vou tentar fazer uma parecida, tá? Só procê não ficar triste ;)

    *********************

    Ju,

    Então, eu também adoro ver as "tranqueiras" das pessoas... Dá a impressão de que elas estão nos recebendo mesmo, né?
    E depois que fiz o post, fui fuçar nos seus, e descobri que você faz isso como ninguém =)

    Somos irmas em tantas coisas, que começo a pensar na criação de uma irmandade, que tal? =P

    Vou tentar fazer mais posts assim, tá? Eu prometo!


    *********************

    Beijo meninas!!!
    'Brigada pela visita!

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...