sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Meus feijõezinhos mágicos ou sobre a doçura de meus alunos...

Segunda-feira, volta às aulas. Os alunos, que normalmente são plugados no 220, estavam agitadíssimos! Nessa hora, o único jeito é ter jogo de cintura, do contrário, perde-se a cabeça, a paciência, e, quiçá, até o emprego. Sabemos bem que tudo o que eles mais querem é compartilhar o que aconteceu nas férias, embora tenham passado as férias juntos. Falam, falam, falam e o assunto nunca acaba. Ossos do ofício, my dear...

Eis que eu entro em um dos 9° anos, uma sala que eu já tive vontade de esganar mais da metade, e da qual hoje eu sinto orgulho pelo tanto que progrediu. Sim, eles cresceram... Não só na altura, mas na personalidade. Continuam conversando pra diabo! Mas... estão mais atentos, mais obedientes, e eu diria que até mais estudiosos... Fala se não é pra ter orgulho?!

Nessa sala, há duas alunas daquelas que você tem vontade de clonar, e encher uma sala só com os clones. As duas tem personalidades tão distintas, mas são as alunas ideais, daquelas que a gente sonhava em ter no 1° ano da faculdade. São inteligentes, esforçadas, críticas, criativas, engraçadas, amigas, parceiras, dedicadas, educadas, e eu poderia passar horas e horas falando sobre as qualidades dessas duas fofuras.

Não que eu não tenha outros bons alunos, que isso fique bem claro! Mas é que com elas, rola aquela empatia, sabe? Aquele bem querer que, confessemos, não acontece com todos os nossos alunos. Eu tenho alunos dos quais gosto muito, daquele gostar da pessoa, de sentir a falta, de fazer carinho na cabeça. E olha que, pra minha alegria, a quantidade desses alunos é até razoável...

Claro que tem os estrupicinhos que, caso não fossem meus alunos, eu sequer me daria o trabalho de dar bom dia, de tão detestáveis que são. Sinto muito, mas não sou a Irmã Dulce, e não vejo o bem em todo mundo. Eu tento, e como tento, mas não consigo... Tem alunos que fazem questão de te olhar como se você fosse a pessoa mais insignificante do mundo, e ficam com aquela maldita cara de nojo a manhã inteira! Fico me perguntando como conseguem se olhar no espelho... Mas, chega de falar de coisas ruins, né não?!

As duas fofuras do 9° ano foram pra Disney. E, na volta, me trouxeram duas lembranças. Assim que eu cheguei na aula de segunda, lá vieram me entregar meu presente. Eu as abracei como quem abraça a um amigo, e pulei como se fosse uma criança ao ver o conteúdo dos meus presentes. Elas me conhecem tão bem, que não poderiam ter escolhido melhor. Dá uma olhadinha no carinho:



Sim! São os feijõezinhos mágicos do Harry Potter!!! Sim! É um lápis cor de rosa com o formato do Mickey! Sim! É muito carinho pra uma pessoa só...

Eu amo Harry Potter. Converso muito sobre a saga com meus alunos, e a maioria das frases das minhas provas de Inglês tem algum personagem da J.K. como sujeito... E a V. teve a delicadeza de me trazer feijões mágicos. Não vou comê-los! Sequer tive coragem de abrir a caixinha, do tanto que fiquei encantada... Sou boba?


Aqui os feijões pertinho dos meus livros do Harry... Sentiram-se em casa...

O lápis dado pela L. eu fiz de varinha de condão... Fiquei brincando em sala que só me faltava agora o pó de pirlimpimpim... Algumas pessoas podem pensar: Mas é só um lápis... Não! Pra mim não é só um lápis... É uma demonstração de carinho! Pense numa adolescente de 13 anos, dentro do mundo mágico da Disney, que teve a delicadeza de lembrar de sua estrupícia professora e comprar pra ela algo que lembrasse a viagem. Pois bem... Como eu disse, não é só um lápis, é carinho pintado de cor de rosa com orelhas de Mickey!

Outros alunos também foram à Disney na mesma excursão. Não, eles não me deram presentes, mas compartilharam comigo sua emoção em pisar no mundo dos sonhos. Também me senti feliz por ser merecedora de ouvir histórias...

Hoje, quando olho pro meu lápis e pra minha caixinha de "Every flavor beans" sorrio por me sentir querida. E, na nossa profissão, esse é um dos combustíveis que nos faz continuar em frente...

Na volta às aulas, fui abraçada, beijada e quase derrubada... Ganhei sorrisos, olhos doces, muitos muitos abraços. Ganhei presentes, histórias, carinho... Claro que também ganhei decepções, tristezas, raiva, indiferença, desrespeito, bagunça, falta de educação.

Já no primeiro dia de aula, vivi uma manhã de contrastes... Na verdade, todos os dias eles fazem tudo sempre igual, porque são humanos... Depois que aprendi que nem todos os meus alunos irão gostar de mim, e eu não irei gostar de todos, meus ombros passaram a pesar menos... Hoje, respeito a opinião de todos, e os trato com todo o carinho que recebo; mas não tenho mais a ilusão de conquistar e mudar o mundo.

Hoje, me satisfaço com mudar a mim mesma, diariamente. Me satisfaço com a conquista de um aluno por vez, porque, se não for assim, a gente não vai em frente não, viu...

Mas no dia em que eu me sentir triste, é só comer um feijão mágico [contanto que não seja o de cera de ouvido!], agitar meu lápis/varinha e sonhar com o dia em que terei uma sala cheia de "ves e eles"...

Ps: Omiti o nome das meninas por uma questão de responsabilidade. Apesar de estar falando bem delas, achei melhor não expô-las tanto...

Um beijo, cheio de uma maldade nem tão má assim...
@patriciapirota

5 comentários:

  1. Que carinho o deles... e os feijões mágicos não perde nada não abrindo eles tem um gosto muito ruim,um pior que outro!
    Beijos e um ótimo Final de semana
    www.cupcakedepapel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Quando a gente descobre e aceita isso, que não vamos gostar de todos e nem todos vão gostar da gente, passamos a viver bem melhor.
    Muito delicado da parte delas, sei o quanto isso é importante para você e os professores e sempre compensa o lado ruim.
    Eu adoraria tê-la como professora :P

    beijos e ótimo final de semana!

    ResponderExcluir
  3. Eu nunca tinha pensado no que se passava na cabeça de um professor. Vou ter mais empatia com eles agora. Tudo bem que, os meus, não devem pesar com tanto carinho e respeitos sobre nós alunos do 1° ano, mas fico verdadeiramente feliz em saber que ainda existem professores dedicados e tão envolvidos com nossa vida pessoal. Ótimo post, parabéns

    ResponderExcluir
  4. Ah que coisa mais fofa. Delícia saber que lá longe lembraram de você! ownnnn
    =)

    ResponderExcluir
  5. Dani,
    Carinho mesmo... E o melhor é que recebo carinho diário das minhas fofuras...
    Quanto aos feijões, vou deixá-los lá. Depois da sua dica, melhor nem abrir xD
    Beijo procê!

    *************************

    Mama,
    Sabe que tenho me sentido mais leve? =)
    E como compensa, viu! É uma carga de energia pra continuar...
    Sei não se você ia querer me ter como professora. Eu sou uma chata! =P

    Beijo!

    *************************

    Nanda,
    Não posso falar por todos os professores, mas muitos que conheço tem esse mesmo amor que eu, viu...
    Pra mim, aluno não é só aluno. É gente também. Gente com sentimentos e que precisa de carinho.
    Espero que seus professores pensem assim também. =)

    *************************
    Ju,
    Diz que não é uma delícia ter alunos fofos?
    =)

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...