segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Vamos de mãos dadas... [DiaD]

Meus pedaços de Drummond...
Já escrevi e desescrevi tanto, que o único modo que encontrei de começar esse post é citando Drummond:


"Gastei uma hora pensando em um verso
que a pena não quer escrever.
No entanto ele está cá dentro
inquieto, vivo.
Ele está cá dentro
e não quer sair.
Mas a poesia deste momento
inunda minha vida inteira. "

E é assim que está Drummond em mim: inquieto, vivo. Inundando tudo ao meu redor...

Hoje é o Dia D. Dia de prestarmos uma homenagem àquele que foi e sempre será um dos nossos maiores escritores.

Drummond sempre foi uma de minhas referências de poesia e de vida. Suas palavras já me acalentaram, perturbaram, enlouqueceram e alimentaram.

Lá pelas bandas do twitter, formamos uma Quadrilha em homenagem a nosso querido Itabirano. Demos as mãos, assim como ele pedia em seu poema...

"Não serei o poeta de um mundo caduco.
Também não cantarei o mundo futuro.
Estou preso à vida e olho meus companheiros.
Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.
Entre eles, considero a enorme realidade.
O presente é tão grande, não nos afastemos.
Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.

Não serei o cantor de uma mulher, de uma história,
não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da janela,
não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida,
não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins.

O tempo é a minha matéria, o tempo presente, os homens presentes,
a vida presente."

E numa tentativa de não deixarmos a distância nos afastar, demos as mãos; e dessa brincadeira de roda saiu nossa quadrilha, que você pode ver nesse vídeo...


Da nossa quadrilha, fizeram parte:

Aline - RJ - Blog Little Doll House
Daniela - RS - Blog Trecos e Trapos
Juliana - MG - Blog O batom de Clarice
Gabriela Ventura - RJ - Blog Quinas e Cantos
Santiago - GO  - Blog Santiago Regis
Luara - RJ - Blog Isaac Sabe
Patrícia - MS - Blog Ainda MininaMá
Chico - RS - Blog Contextos


Eu fico aqui pensando, como é que Drummond viveria nesse mundo tão cruel...

Ainda que seu corpo não esteja mais entre nós, Drummond continua vivo em cada uma de suas palavras, em cada um dos olhos que o aceitam, em cada um dos corações que ele acarinha, em cada um dos integrantes de nossa quadrilha...

Se você não conhece Drummond [sua vida não tem sentido!!!], visite o Memória Viva, ouça nosso poeta sussurrando suas palavras em seus ouvidos. Garanto que você jamais verá as pedras no caminho com os mesmos olhos...

Um beijo, cheio de uma maldade nem tão má assim...

3 comentários:

  1. Que post lindo, querida!
    Amei fazer parte dessa quadrilha com vc! Quem venham outros poemas e leituras!

    ;)

    Beijinhos muitos!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Boa Tarde,
    Gostaria de saber se tens interesse em receber anúncios em seu blog.
    Tens alguma tabela de preço com tamanho e localização dos anúncios?
    Estou abrindo uma empresa de vendas na internet, e por isso busco formas rentáveis de anúncios.

    Fico no aguardo.

    Grato, Guilherme.
    Contate-me por: gbsvendas@hotmail.com

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...