segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Um dia de Laura Brown... [Ou, ignore and carry on...]

Death, by Neil Gaiman
Se você é leitor antigo deste cafofo, releve minhas lamúrias, e volte no próximo post. Se você é leitor novo, pule esse post também. Volte no próximo post, reveja os antigos, qualquer coisa... Tudo pra não ficar com a impressão de que nesse meu pedaço virtual só há amargura.

Eu precisava escrever. Mas você não precisa ler. A não ser que você também esteja tendo um dia de cão, e sonhe em ter um dia de Laura Brown...



Nesses últimos dias, se eu encontrasse um golden ticket, uma lâmpada mágica ou qualquer diabo que me concedesse um desejo, eu pediria para ter um dia de Laura Brown. Um dia pra fugir de tudo, de todos, e ficar deitada numa cama lendo...

Lendo até esquecer quem sou. Lendo exatamente pra esquecer quem sou. Pra fugir de todos os olhares tortos. De toda a dor. Toda a solidão. De todo eu espalhado pelo caminho.

Não há um dia sequer em que eu possa simplesmente esquecer quem sou e o que faço. Não há descanso. De mim. Dos outros.

Deve ser por isso que minha imagem no espelho tem me cansado tanto. Cansei de minhas amarguras refletidas no fundo de meus olhos. Cansei de meus sofrimentos refletidos nas marcas do meu rosto.

Não vejo a hora de chegar esse tal de ano novo, pra ver se consigo renovar as tais esperanças. Quisera eu ter um ano novo todo dia, porque é assim que tinha que ser. Não deveríamos esperar datas fixadas nos calendários para reconhecermos a importância de alguém, pra agradecermos por tudo, e pra brindarmos a nossa própria vida.

Se não pararmos e respirarmos fundo, a vida nos engole. E depois cospe fora.

Nesse exato momento, tudo que eu queria era ter férias de mim e de tudo o que me rodeia. Queria poder gritar, e jogar pra fora tudo isso que tem me corroído. Porque a vida não é um conto de princesas da Disney. A vida é um conto verdadeiro dos Irmãos Grimm, no qual todo mundo se fode.

Estou cansada de reclamar. De lutar. De tentar respirar. C-A-N-S-A-D-A!

Infelizmente, é o que tem pra hoje. Mas até amanhã eu escondo todos os meus sentimentos numa caixa velha, e jogo em cima do meu já abarrotado guarda-roupa.

Amanhã eu vou sorrir, e mentir pra mim mesma que essa dor é cansaço. Que esse vazio é estresse. Que as férias estão chegando. Que a frustração passa.

Já me tornei mestra em mentir pra mim mesma. Uma hora eu acredito. Uma hora eu desisto de sentir.

Mas hoje não dá. Hoje eu só queria um livro, uma cama e toda a minha solidão me fazendo companhia.

Hoje eu queria ser tão linda quanto Juliane Moore, e tão corajosa quanto Laura Brown.

Hoje eu queria ser uma personagem de As Horas. E assim que acabasse o livro, eu também acabasse. Ou vivesse em outras vidas, qualquer uma que não a minha.

Hoje eu não queria existir. Vivo apenas porque me faltam opções. Porque me falta coragem. Porque me faltam pedras suficientes e um rio. Porque me falta um Leonard para deixar meu último bilhete.

Volte amanhã. Prometo que falarei amenidades, farei resenhas de livros, darei o meu melhor sorriso.

Por hoje eu peço desculpas. Porque minha alma dói, e meus ombros estão cansados de carregar um mundo que já não pesa como a mão de uma criança.

Amanhã, como Coralina, plantarei flores. Hoje, me deixarei ficar entre as pedras...

7 comentários:

  1. "Essa firmeza nos teus gestos delicados
    Essa certeza desse olhar lacrimejado
    Haja virtude, haja fé, haja saúde
    Pra te manter tão decidida assim

    Que segurança pra dobrar tanta arrogância
    Que petulância de ainda crer numa esperança
    Quem é o guia que ilumina os teus dias?
    E que te faz tão meiga e forte assim

    Coragem, coragem, coragem, mulher
    Coragem, coragem, coragem, mulher

    Como te atreves a mostrar tanta decência?
    De onde vem tanta ternura e paciência?
    Qual teu segredo, teu mistério, teu bruxedo
    pra te manter em pé até o fim?

    Coragem, coragem, coragem, mulher
    Coragem, coragem, coragem, mulher"

    De Ivan Lins para Patrícia. Abraços. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  2. Porque os outros se mascaram mas tu não
    Porque os outros usam a virtude
    Para comprar o que não tem perdão.
    Porque os outros têm medo mas tu não.
    Porque os outros são os túmulos caiados
    Onde germina calada a podridão.
    Porque os outros se calam mas tu não.

    Porque os outros se compram e se vendem
    E os seus gestos dão sempre dividendo.
    Porque os outros são hábeis mas tu não.

    Porque os outros vão à sombra dos abrigos
    E tu vais de mãos dadas com os perigos.
    Porque os outros calculam mas tu não.


    (Sophia de Mello Breyner)

    ResponderExcluir
  3. Ô, minha linda!
    Força aí!
    Tô torcendo pra que tudo dê certo e vc tenha o descanso merecido!

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  4. ...

    Se as pessoas fossem realmente mais sinceras consigos mesmas, elas teriam dias de sentirem-se assim, escreverem assim... Quem não se sente desta forma alguns bons dias por ano quando vivemos numa sociedade como a nossa?

    Talvez vc não seja tão mentirosa consigo mesma quanto pensa... Ou essa postagem não teria saído. Apenas pode estar com dificuldade de sair do tal circulo vicioso no qual todos nós nos metemos... E não é fácil mesmo.

    Te desejo dias mais leves. Força. E também a digestão dos sentimentos que incomodam.

    ResponderExcluir
  5. Pois é, costumo ter esse mesmo sentimento quando o final do ano vai chegando... principalmente por causa das provas do vestibular seriado da minha cidade... a gente começa a pensar que rala um ano inteiro só pra fazer aquela prova e corre o risco de nem ir bem... e aquilo basicamente decide seu futuro, já que vai ou não te colocar dentro da faculdade... e isso, pra mim, acaba sendo uma epifania pra pensar sobre tudo da vida sabe!? Sobre tudo que já fiz e já pensei... e aí você sente aquele peso das escolhas, certas ou erradas... e aí, no meu caso, já começo a pensar nas coisas que poderiam ter acontecido e não aconteceram, no que vai acontecer no futuro... e aí fico assim... querendo apenas a minha cama, livros, uma xícara de café bem quentinho, e o colo do namorado pra confortar! Felizmente a gente sempre acaba saindo da "fossa"... de um jeito ou de outro!
    Te desejo força :D

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...