quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Mr. Punch - a Comédia trágica ou a Tragédia Cômica [Pseudoresenha]

Imagem tirada do site da Editora Conrad
Eu li Mr. Punch quando ainda não tinha recuperado o fôlego depois da surra que levei de Sinal e Ruído. Bem feito! Quem mandou não ter ido ler qualquer coisa bonitinha, fofinha e cheia de Ursinhos Carinhosos? Resultado: tomei outra surra.

Nessa Graphic Novel, o estilo tanto da narrativa quanto da técnica artística é muito parecido com o de Sinal e Ruído, que acabou se tornando marca registrada da parceria entre Neil Gaiman e Dave McKean.

Discurso baseado em fragmentos de memórias, imagens entrecortadas, técnicas diversas compondo um mesmo requadro, cores escuras, traço por vezes disforme. Todas essas características acabam, em maior ou menos grau, compondo todas as parcerias entre Gaiman e McKean.

Mr. Punch também não é uma HQ bonitinha. Ao contrário, é feita de imagens soturnas, desconexas, escuras. Por vezes eu achava até que estava sentindo o cheiro de mofo vindo da casa do avós do menino.

Suas personagens mostram o quanto de anormal existe nesse mundo, o que acaba nos fazendo questionar as definições do que é normal ou não. Ao ser apresentada para as personagens, senti um certo desconforto, que ao mesmo tempo vinha em forma de reconhecimento. Por que reconhecimento? Porque as personagens de Mr. Punch podem ser qualquer um daqueles nossos parentes dos quais temos esmaecidas lembranças das festas em família. Aquele tio estranho que vivia num canto, afastado. Aqueles conversas das quais só participavam adultos, e as quais as crianças eram proibidas de escutar.

"Mas essas coisas estão mortas e não podem falar. Agora que quero revirar o passado, não posso."

Acredito que o espaço da narrativa também contribua para que tenhamos a sensação de desconforto que nos dá a mão durante a leitura. Um velho parque temático, com atrações que há muito deixaram de ser atrações. A casa dos avós, perdida no meio do nada. A praia, sempre escura.

Mas o que mais me chamou a atenção foi o próprio Mr. Punch, e aqui abro um parênteses para a importância de se compreender um 'cadinho da cultura impregnada nas páginas dessa HQ. Mr. Punch é um fantoche - um show de fantoches - descendente do estilo da Commedia Dell'arte italiana. Vejam, não vou me atrever a explicar a estética desses fantoches aqui porque não tenho envergadura moral para tanto, mas sugiro que pesquisar sobre o que ela significa ajuda a compreender um pouco da importância que Punch e Judy tem na história de Gaiman e McKean.

Aliás, eu fiquei com um medo tremendo do Mr. Punch! Minha gente, que personagem medonho. ME-DO-NHO! Penso que ele personifica todas as lembranças ruins que temos do nosso passado, e que tentamos guardar num lugar bem fundo e esquecido de nossas memórias.

No fim das contas, a história de Gaiman e McKean fala de perdas e memórias.  Fala sobre os sentimentos que vamos perdendo pelo caminho, e as memórias que vez ou outra ressurgem para nos atormentar.

"Fiquei com medo. Não, essa não é a palavra. Não estava com medo, estava perturbado. Queria correr até lá e mandá-los parar de gritar, porque aquilo estava me incomodando."

Todos nós as temos. Todos nós vez em quando nos encontramos num quarto escuro, remoendo lembranças e chorando perdas. E é exatamente por isso que Mr. Punch é tão triste, porque ele nos parece real, absolutamente real.

Informações Técnicas
A comédia trágica ou a tragédia cômica de Mr. Punch: um romance [The tragical comedy or comical tragedy of Mr. Punch: a romance]. Neil Gaiman, Dave McKean [Tradução: Ludimila Hashimoto]. São Paulo: Conrad Editora do Brasil, 2010.

Sinopse disponível no site da editora: "Em Portsmouth, cinzenta cidade do litoral da Inglaterra, um garoto passa uma temporada inesquecível na casa dos avós.

Um período de amadurecimento e descobertas, reveladas por personagens insólitos: seu tio-avô Morton, marcado desde a infância por uma deficiência física; uma misteriosa mulher, que ganha a vida interpretando uma sereia, e Swatchell, um artista com um passado obscuro.

À medida que as histórias desses personagens se entrelaçam e se desdobram, o garoto é forçado a confrontar segredos de família, estranhos fantoches e um pesadelo de violência e traição, em uma sombria fábula sobre o fim da infância - e da inocência - e a passagem para a vida adulta.

MR. PUNCH foi escrito por Neil Gaiman, aclamado autor de SANDMAN, DEUSES AMERICANOS E COISAS FRÁGEIS, e ilustrado por Dave McKean, premiado artista de Asilo Arkham e Cages. Parceiros de longa data, já realizaram diversos trabalhos juntos, entre eles a graphic novel SINAL E RUÍDO."

Obs.: todas as citações em itálico foram retiradas do livro. Infelizmente, ele não possui numeração de páginas, desta forma não pude indicar as páginas das quais as citações foram retiradas.

Um beijo procês!

Clique no link abaixo para ver algumas páginas da HQ retiradas do site da Livraria da Folha



Fonte: Livraria da Folha

Fonte: Livraria da Folha

Fonte: Livraria da Folha

9 comentários:

  1. Carambolas!
    Que resenha ótima, Pati!
    Fiquei com vontade de ler, viu?
    Aliás, tô com vontade de ler tudo do Gaiman por sua causa!

    Beijo, querida!

    ResponderExcluir
  2. Rá!! Depois dessa resenha e olhando as ilustras do livro, fiquei com água na boca e já comprei o meu! Bom restinho de semana!! Beijus,

    ResponderExcluir
  3. Gente... deu vontade de ler! Mas vou deixar para daqui a um tempinho, não tou afim de ser surrada agora... haha

    ResponderExcluir
  4. Ah, esqueci de dizer, Neil Gaiman comenta no "The sandman: Endless nights" que o melhor trabalho dele é Mr. Punch :)

    ResponderExcluir
  5. tudo o que eu quero falar sobre a sua resenha está no meu vídeo de hoje.
    e tenho dito.

    ResponderExcluir
  6. Num gosto de apanhar,kkkk - mas me deu vontadinha de ler Mr.Punch.
    Excelente resenha Srta Pirota

    Hug

    ResponderExcluir
  7. Num gosto de apanhar,kkkk - mas me deu vontadinha de ler Mr.Punch.
    Excelente resenha Srta Pirota

    Hug

    ResponderExcluir
  8. Nunca dei bola pra esta HQ, sempre a achei tão feinha, mas agora com sua resenha me deu uma vontade danada de ler.

    Hug lindona

    ResponderExcluir
  9. Tô ficando véia memu, comentei 2x a mesma coisa. Apaguei 1 , please.

    Bjs lindona

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...