segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Carta para Tânia (janeiro de 1947) - Clarice Lispector

Fonte
Ao ler a biografia de Clarice Lispector, primorosamente escrita por Benjamin Moser [cuja pseudoresenha você pode ler aqui], me deparei com inúmeras passagens que me fizeram parar, grifar, anotar, refletir, chorar... E uma das passagens que mais me marcou foi esse excerto de uma carta que ela escreveu para sua irmã Tânia,  em janeiro de 1947.

Embora seja de uma tristeza sem igual, as palavras de Clarice, nessa carta, me fizeram renascer para alguns sentimentos que eu considerava adormecidos... Ela, como sempre, me fez pensar se estou indo pelo caminho certo, se estou seguindo o meu caminho.

Penso que nos importamos tanto com o mundo ao nosso redor, que, por tantas vezes, acabamos nos esquecendo do mundo dentro de nós. Por isso, e pela beleza de sempre, trouxe esse pedacinho de Clarice para compartilhar com vocês...

Carta de Clarice Lispector à sua irmã, Tânia (janeiro de 1947)

"Não pense que a pessoa tem tanta força assim a ponto de levar qualquer espécie de vida e continuar a mesma. [...] Nem sei como lhe explicar minha alma. Mas o que eu queria dizer é que a gente é muito preciosa, e que é somente até um certo ponto que a gente pode desistir de si própria e se dar aos outros e às circunstâncias. [...] Pretendia apenas lhe contar o meu novo caráter, ou falta de caráter. [...] Querida, quase quatro anos me transformaram muito. Do momento em que me resignei, perdi toda a vivacidade e o interesse pelas coisas. Você já viu como um touro castrado se transforma num boi? assim fiquei eu... em que pese a dura comparação... Para me adaptar ao que era inadaptável, para vencer minhas repulsas e meus sonhos, tive que cortar meus grilhões - cortei em mim a forma que poderia fazer mal aos outros e a mim. E com isso cortei também minha força. Espero que você nunca me veja assim resignada, porque é quase repugnante. [...] Uma amiga, um dia desses, encheu-se de coragem, como ela disse, e me perguntou: você era muito diferente, não era? Ela disse que me achava ardente e vibrante, e que quando me encontrou agora, se disse: ou essa calma excessiva é uma atitude ou então ela mudou tanto que parece quase irreconhecível. Uma outra pessoa disse que eu me movo com a lassidão de mulher de cinquenta anos. [...] o que pode acontecer com uma pessoa que fez pacto com todos, e que se esqueceu de que o nó vital de uma pessoa deve ser respeitado. Ouça: respeite a você mais do que aos outros, respeite suas exigências, respeite mesmo o que é ruim em você - respeite sobretudo o que você imagina que é ruim em você - pelo amor de Deus, não queira fazer de você uma pessoa perfeita - não copie uma pessoa ideal, copie você mesma - é esse o único meio de viver."

Referência: MOSER, Benjamin (Tradução de José Geraldo Couto). Clarice, .São Paulo: Cosac Naif, 2011 p. 302

Ps: A cópia do texto foi feita literalmente, assim, a edição é de responsabilidade de Benjamin Moser. No entanto, os grifos são todos meus, não existindo na versão orginal.

Tenham uma excelente semana!
Um beijo procês!

8 comentários:

  1. Clarice, de uma sensibilidade sem igual

    ResponderExcluir
  2. Lindo mesmo, Patricia, tb adoro esse trecho. Leia o livro "Minhas Queridas" onde estao muitas cartas trocadas entre Clarice e suas irmas; eh emocionante! Bjs

    ResponderExcluir
  3. é uma das minhas cartas preferidas. repito passagens (inclusive as grifadas por você) como se fossem um mantra! =)

    ResponderExcluir
  4. Acabo de fechar "A hora da estrela" nesse exato instante em que acabei de lê-lo, e logo me encontro com Clarice de novo, aqui... e Clarice sempre me fazendo pensar e repensar sobre tudo *-*

    ResponderExcluir
  5. Ah Clarice, Clarice, sempre toca nossa alma.

    ResponderExcluir
  6. Descobri o seu blog no "O Batom de Clarice". Gostei muito!
    Pretendo ler este livro! Já esta na minha lista!

    beijos

    ResponderExcluir
  7. Parabéns! Blogue de excelente qualidade. Meu grande prazer na vida é realmente a literatura.
    Eliane F.C.Lima (Blogues "Poema Vivo" e "Literatura em vida 2")

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...