quarta-feira, 28 de março de 2012

Criança 44 - Tom Rob Smith [pseudoresenha] [Desafio Literário]

Fonte: Record
Confesso que, no início, foi difícil escolher o livro para esse mês do Desafio Literário; rodava pelas listas e não me interessava por nada. Até que li "União Soviética". Pronto. Foi o suficiente pra querer ler Criança 44 ontem!

Eu adoro tudo o que envolva a Rússia e a antiga URSS. Sou apaixonada pela cultura desse povo, e fico impressionada com o modo como a história do Leste Europeu influenciou tão positivamente sua literatura, transformando-a na melhor do planeta, depois de Machado de Assis [isso, é claro, na minha humilde opinião].

Isto posto, confesso que já comecei o livro esperando uma narrativa maravilhosa, mesmo sabendo que o autor, Tom Rob Smith, era inglês, e não russo. O bom é que eu também adoro Literatura Inglesa, que coloco como a terceira melhor do planeta [Sim! Hoje eu estou hiperbólica!]. Assim, minha esperança de que o livro seria ótimo continuou firme e forte.

Eu não sou a maior fã de suspenses ou thrillers, confesso. Minha leitura de suspense se resume a Edgar Allan Poe e alguns outros escritores de literatura fantástica. Além disso, sou uma leitora meio chata pra lançamentos. Dessa forma, quando digo que achei o Criança 44 excepcional, você deve levar em consideração que ele passou - com louvor - na avaliação de uma chata de galochas.

Desde a primeira página, minha vontade era de não largar o livro nunca mais na vida. Queria por todo custo saber o que aconteceria na próxima página, no próximo parágrafo. Tanto, que por diversos dias dormi com ele na mão, pois me forçava a ler até o sono me nocautear.

Nem grifar e destacar as frases das quais gostei mais eu consegui, pois não queria parar a leitura. E grifar me tomaria o tempo de saber o que aconteceria em seguida.

Como sempre, eu não gosto de contar a história do livro. Sobre isso, penso que seja melhor ler a sinopse, pois tenho medo de dar informações que sejam peças-chave da narrativa.

A personagem principal do livro é Liev Demidov, agente do governo. A construção de Liev e de tudo o que acontece ao seu redor me lembrou muito "O Processo", do Kafka. Uma coisa meio surreal, meio "Oi? Como assim?!". Claro que, levando em consideração os traços culturais da Rússia stalinista, tudo o que ocorre é absolutamente justificável. Oi? O que ocorre? É claro que não vou contar, né minha gente!

As demais personagens do livro não são exatamente planas, não se enquadram em esteriótipos, ao menos no meu olhar, não acostumado a narrativas de suspense. São personagens surpreendentes, das quais temos raiva ou pelas quais sentimos compaixão.

E isso é uma das coisas que mais gosto em um livro, me sentir próxima das personagens, vivendo ao seu lado. E que triste viver numa Rússia devastada pela loucura de Stálin. Que triste sentir o cheiro das botas cozinhando, dos pés congelando no frio, das mortes injustificáveis...

Duvido que, ao ler, você também não vá sentir o frio e a fome que senti. Por diversas vezes me vi com o corpo gelado, mesmo fazendo mais de 30° por aqui. A narrativa é minuciosa, mas não enfadonha. Todos os detalhes vão sendo revelados na hora certa, com a meticulosidade de um assassino.

Por falar em assassino, quando, no final, descobri quem era, quase tive um faniquito. Eu nunca chegaria a esse raciocínio! Nunca suspeitaria da possibilidade de ser aquele homem o assassino cruel de mais de 44 crianças... Mais genial ainda é a explicação do porquê dos assassinatos...

No final, a história ficou em mim como se fosse um quebra-cabeças com peças do Criminal Minds e d'O Processo. A recuperação histórica feita por Tom Rob Smith é imprescindível para que se compreenda, e, principalmente, se viva todo aquele período no qual o enredo está ambientado.

É, sem sombra de dúvidas, um livro de tirar o fôlego. Um livro que nos faz agradecer por vivermos onde e como vivemos.

Por vários dias, depois de terminar o livro, eu senti a comida mais saborosa, e até agradeci o sol que queimava minha pele. Porque sou dessas que toma a realidade do outro pra si...

E a realidade de Criança 44, talvez por ser tão verdadeira, é muito dolorida. Dolorida até mesmo pro meu coração de gengibre...

Informações Técnicas:
SMITH, Tom Rob. Criança 44. Rio de Janeiro: Bestbolso, 2011.

Sinopse disponível no site da Editora: 
“Thriller formidável: original e fascinante da primeira à última página.” Scott Turow
“Tom Rob Smith reproduz uma época na qual a justiça não existia e o futuro de famílias inocentes estava nas mãos de criminosos egoístas.” Washington Post Book World
 “Romance de estreia que vem colecionando críticas fabulosas.” USA Today
União Soviética, 1953. A mão de ferro de Stalin nunca esteve tão impiedosa. Em seu governo, o líder opressor faz o povo acreditar que o país está livre dos crimes. Mas quando o corpo de um menino é encontrado nos trilhos de uma ferrovia, o agente Liev Demidov se surpreende ao saber que a família da criança está convencida de que houve um assassinato. Demidov recebe ordens para ignorar o caso, mas se vê determinado a ir atrás do criminoso, mesmo sabendo que poderá se tornar um inimigo do Estado.

Um beijo procês!



Ps: Para ler a Ficha de Leitura do Desafio Literário é só clicar no link abaixo.


Tema: Serial Killer
Mês: Março

Um pouco sobre o mim
Eu sou a: Patrícia Pirota

Moro em: Campo Grande - MS 

Na net, você me encontra (Blog ou Site):

Neste mês, eu li:

Título: Criança 44
Autor do livro: Tom Rob Smith

Editora: Bestbolso

Nº de páginas: 419

Quando vi a capa do livro, o que mais chamou a minha atenção foi o contraste do sangue com a neve e o cinza.

O livro é sobre uma investigação sobre mortes de crianças na Rússia, em 1950. Ou então sobre como os governos são capazes de destruir uma sociedade.

Eu escolhi este livro porque ele fala da Rússia. E eu adoro tudo relacionada à cultura russa.        

A leitura foi sem fôlego, rápida, surpreendente.

O personagem que eu gostaria de dar uma surra daquelas bem dadas: o cretino do Vassíli.

O trecho do livro que merece destaque: "[...] havia algo na própria arquitetura do prédio que deixava as pessoas inquietas, como se o medo fizesse parte do projeto" [p. 76]

A nota que eu dou para o livro: 5-  Adorei.

8 comentários:

  1. Oi Patricia td bem?
    Adorei sua resenha do Criança 44 e eu tb li esse mesmo livro pro desafio literário desse mes. Postei até um vídeo falando dele no youtube.
    Segue link caso vc queria dar uma olhada.

    http://www.youtube.com/watch?v=DPGGa_DsoAs&feature=plcp&context=C43b59b2VDvjVQa1PpcFPM-SVrNog2UT43esiqKN90RYKyYg9wqIU=

    Bj

    ResponderExcluir
  2. Oi Patrícia,
    Vi esse livro uns dias atrás e quis comprar. Agora que você falou mais dele, agora sim vou comprá-lo.
    Também adoro quando se fala em (ex)URSS.

    Beijinhos**

    ResponderExcluir
  3. Sempre que descubro uma nova amante da minha tão amada Rússia fico numa felicidade doida *-*
    Estou doida pra ler esse livro desde que descobri que ele se passa pelas bandas de lá... mas ainda não consegui encontrá-lo por aqui (sério :s) ;x

    ResponderExcluir
  4. SIM! Esse livro é delicioso mesmo! Eu fiquei triste de não poder lê-lo novamente para o Desafio... snif. E não que vá fazer grande diferença, mas o Tom Rob Smith é um gostosinho, com carinha de menino desprotegido. Eu leria ele também...

    =P

    ResponderExcluir
  5. não é a primeira recomendação mais que positiva desse livro que leio pela blogosfera.
    preciso colocá-lo na lista de leituras para não esquecer mais tarde. acho que na primeira folga já vou atrás de lê-lo.
    ultimamente tenho recebido muitas referências de autores russos, acho que vai ser interessante mergulhar numa obra que traga uma Rússia que não esteja apenas nos clássicos.

    sua resenha hiperbólica está ótima! de verdade!

    beijos,
    bibs

    ResponderExcluir
  6. Olha, menina, temos um vício em comum, hein?
    Bem, mais um, além dos livros em geral, a Rússia (a Mylena tá com a gnt nessa maluquice).

    Eu tbm AMEI esse livro. Peguei emprestado de uma amiga, meio sem dar nada, pensei "o que esse inglês quer falar da minha (veja só) Rússia??". Mas o livro é bom DEMAIS! O fim é de cortar os pulsos de surpresa!!

    VALE MUITO A LEITURA

    Beijocas.

    ResponderExcluir
  7. Peguei emprestado e não comecei a ler, vc colocou a nota??? Quanto vale o show??

    ResponderExcluir
  8. Não li esse livro e como estou proibida de comprar livros até a metade do ano (pelo menos) não creio que o vá ler tão cedo. Mas sua resenha me fez lembrar de outro livro que li chamado Gulag, da Anne Applebaum, um tolete enorme que conta a história das prisões soviéticas, muito interessante!

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...