quinta-feira, 29 de março de 2012

O Bando do Velho Jack [Start me up]

Eu já falei muito de música por aqui, mas de uns tempos pra cá passei a dar mais atenção aos livros que aos discos... Durante muito tempo respirei música, fosse cantando, produzindo, ouvindo e isso se refletia no blog. Continuo respirando música, e, como ideia pra post anda em falta, resolvi ressuscitar essa tag e apresentar algumas bandas e músicas das quais mais gosto. Posts bem rapidinhos, com um Top 5 básico, só pra não deixar a música o samba morrer aqui no blog.

E pra voltar em grande estilo, a banda de hoje é a minha número 1. Não, não são os Beatles nem os Stones. Não é Chico Buarque. Hoje eu vou falar dos caras que abriram meus ouvidos pra um tantão de coisa que eu sequer conhecia.

Fonte: O Bando do Velho Jack

O Bando do Velho Jack é uma banda daqui de Campo Grande, Mato Grosso DO SUL [E não, eu não conheço Cuiabá, porque fica longe pra diabo daqui!]. Formada por integrantes de várias partes do país, que acabaram vindo parar aqui no interiorrr, o Bando é uma das melhores misturas sonoras do rock'n roll.

Me lembro do primeiro show que assisti, lá pros idos de 2000. Ficava pensando "Caraca! O que é isso!". Acho que foi a primeira banda de verdade que tive o prazer de ver no palco. Ah sim, eles tocaram no mesmo dia que o Engenheiros do Havaí, mas veja bem, Bando é muito melhor que Humberto Gessinger e sua chatice... [Peço desculpas aos fãs do Engenheiros, mas não há comparação possível entre a energia do Bando no palco e a apatia do Humberto, minha gente!].

Depois de um tempo [e de muita encheção de saco], acabei fazendo parte da equipe de produção, vendendo camisetas e cds nos shows, e aí começou a amizade. Hoje eu tenho uma consideração enorme por esses cinco caras [agora seis, com o novo baterista, seja muitíssimo bem-vindo Adriel!] que ajudaram a formar meu gosto musical. Os trato como amigos, e sinto que a recíproca é verdadeira.

Sempre que me encontro com eles, fico pensando se a sensação que tenho é a mesma que as pessoas que são próximas a grandes astros da música tem: um misto de respeito, amizade e "Caraca! Quanta sorte de estar ao lado desses caras!".

Não, eles não fazem shows pelo mundo e nem tem reconhecimento internacional, mas isso por conta de voltas do destino, porque talento os caras tem de sobra.

Dá uma espiada na biografia disponível lá no site deles:
Em 1995, quatro músicos e amigos se uniram para tocar e ouvir juntos o rock’n’roll dos anos de 1950, 1960 e 1970. O resultado não poderia ser diferente. Surge uma das bandas mais importantes do cenário do rock sul-mato-grossense:


O Bando do Velho Jack, formado, inicialmente por Alex Batata (guitarra e voz), João Bosco (bateria), Marcos Yallouz (baixo) e Fábio Brum (guitarra). Os dois primeiros, ex-integrantes do grupo de heavy metal Alta Tensão, e os dois últimos, da Blues Band. 


Com composições próprias e interpretando sucessos de bandas clássicas do rock, o Bando inicia carreira apresentando-se em bares e eventos em Campo Grande e interior de Mato Grosso do Sul. Em fevereiro de 1997, acontece primeira mudança na composição: Fábio Brum é substituído por Fábio Terra. Em junho, outra mudança, mas que deixou marcas tristes: o vocalista e guitarrista, Alex Batata, é assassinado enquanto estava à espera da esposa na saída de seu  trabalho.


Demorou um tempo para que o grupo voltasse à ativa. Com o apoio dos fãs, iniciam uma nova fase, com a entrada dos músicos Rodrigo Tozzette (guitarra e vocal) e Gilson Júnior (teclados). Em 2000, Gilson deixa o grupo e é substituído por Alex Cavalheri. 


Desde então, O Bando do Velho Jack é composto por: Rodrigo Tozzette, Fábio Terra, Marcos Yallouz, João Bosco e Alex Cavalheri. Sob a influência de grupos como Grand Funk Railroad, Doobie Brothers, Free, Allman Brothers, Lynyrd Skynyrd, Black Oak Arkansas ou os brasileiros Mutantes, Peso, Casa das Máquinas, Tutti Fruti, Made in Brazil, o grupo reúne estilos diferentes e um trabalho de qualidade traduzido pelos inúmeros shows realizados em Mato Grosso do Sul e outros estados como Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso, e pelos cinco CDs produzidos ao longo de sua carreira.


Uma das coisas que mais gosto é que, nos shows, além das músicas próprias, eles também tocam versões de músicas de outras bandas. Muitas vezes, eu acabo preferindo a versão do Bando que a original, mas dizem as más línguas que é porque eu sou fã demais. ;)

Agora deixo vocês com meu Top 5 [É só clicar no nome da música pra ser direcionado ao Youtube]. Impossível escolher só cinco, mas, 'bora deixar assim... Lá no site, dá pra baixar/comprar os cds da banda e conhecer um pouco mais da história.


Beijo procês!

3 comentários:

  1. Gostei do post, quando tiver mais tempo vou ler com mais atenção. De cara já te adicionei.

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Adorei seu blog e estou seguindo ele já! Se gostar siga o meu tb^^
    @AngelKiller_
    http://anime-daiki.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Menina minha familia e dai ne´, e sao muito fãs deles hehhehe

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...