quinta-feira, 24 de maio de 2012

Tirinhas de Sabedoria...

Estou tentando, mas às vezes penso que não o suficiente...

Charles Schulz

Me perdoem pela ausência. Assim que eu aprender a viver o presente, eu prometo que volto.

Beijo procês!

terça-feira, 8 de maio de 2012

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Falhas - Martha Medeiros

Imagem daqui
Eu falho, tu falhas, ele falha. Nós somos humanos... E essa é a graça de poder mudar sempre, pra melhorar sempre.

Falha

Uma das coisas que fascinam na cidade de San Francisco é ela estar localizada sobre a falha de San Andreas, que é um desnível no terreno que provoca pequenos abalos sísmicos de vez em quando e grandes terremotos de tempos em tempos. Você está muy faceiro caminhando pela cidade, apreciando a arquitetura vitoriana, a baía, a Golden Gate, e de uma hora pra outra, pode perder o chão, ver tudo sair do lugar, ficar tontinho, tontinho. É pouco provável que vá acontecer justo quando você estiver lá, mas existe a possibilidade, e isso amedronta mas ao mesmo tempo excita, vai dizer que não?

Assim são também as pessoas interessantes: têm falhas. Pessoas perfeitas são como Viena, uma cidade linda, limpa, sem fraturas geológicas, onde tudo funciona e você quase morre de tédio.

Pessoas, como cidades, não precisam ser excessivamente bonitas. É fundamental que tenham sinais de expressão no rosto, um nariz com personalidade, um vinco na testa que as caracterize.

Pessoas, como cidades, precisam ser limpas, mas não a ponto de não possuírem máculas. É preciso suar na hra do cansaço, é preciso ter cheiro próprio, uma camiseta velha pra dormir, um jeans quase transparente de tanto que foi usado, um batom que escapou dos lábios depois de um beijo, um rímel que borrou um pouquinho quando você chorou.

Pessoas, como cidades, têm que funcionar, mas não podem ser previsíveis. De vez em quando, sem abusar muito da licença, devem ser insensatas, ligeiramente passionais, demonstrar  um certo desatino, ir contra alguns prognósticos, cometer erros de julgamento e pedir desculpas depois, pedir desculpas sempre, pra poder ter crédito e errar outra vez.

Pessoas, como cidades, devem dar vontade de visitar, devem satisfazer nossa necessidade de viver momentos sublimes, devem ser calorosas, generosas e abrir suas portas, devem nos querer fazer voltar, porém não devem nos deixar 100% seguros, nunca. Uma pequena dose de apreensão e cuidado devem provocar, nunca devem deixar os outros esquecerem que pessoas, assim como cidades, têm rachaduras internas, portanto, podem surpreender.

Falhas. Agradeça as suas, que é o que humaniza você, e nos fascina.

Ficha técnica: MEDEIROS, Martha. Montanha Russa. Porto Alegre: L&PM, 2009 p. 58-59.

Beijo procês!
Tenham todos uma excelente semana!

domingo, 6 de maio de 2012

Post Its #9

Ao contrário do último Post Its - no qual eu comemorava a marca de 6 posts seguidos -, no de hoje eu tenho que pedir desculpas pelo sumiço de um mês.

Pois é... Um mês passa rápido. Principalmente um mês em que o fim do bimestre me toma todas as forças do mundo.

Mas... Nada de desculpas e reclamações! Brindemos a minha volta, a chegada de novos amigos [porque aqui no Ainda MininaMá eu não tenho leitores, tenho amigos] e a querida companhia dos velhos amigos.

'Bora pra mais um Post Its, estrupicinhos?

Companhia Musical [Porque hoje é dia de Philip Phillips, aquela delícia!]
1. Somebody that I used to know - dueto com a Elise


Descobri esse Tumblr graças a fofa da Luara, do Isaac Sabe, que me mandou o link por e-mail. Pra quem gosta de Neil Gaiman, é um prato cheio!


Tudo o que vem acontecendo na Nobody's land da internet tem me incomodado bastante. Mas hoje eu não vou falar sobre isso não. Hoje eu vou convidar você pra ler esse post da Ju, lá n'O batom de Clarice. Assino embaixo e bato palmas!


A Raquel, dona fofa do Da Editora, fez um post bem bacana falando sobre como podemos considerar um clássico como sendo um clássico. Gostei muito da forma como ela abordou esse assunto que, convenhamos, é pra lá de espinhoso.

Complementando a discussão levantada pela Raquel, a Ju Gervason fez um vídeo lá na delícia do canal dela no Youtube falando sobre Preconceito Literário.


Aline Aimée, Little Doll House, é uma das pessoas mais fofas desse mundo virtual, e a Bonita vive dando dicas de coisinhas fofas que ela compra por aí. Sempre que tem um post desses eu fico me corroendo de vontade de ter também.

Mas dessas vez ela passou dos limites! Veja se não dá vontade de ter dois, três de cada um desses bloquinhos fofos?! E o melhor! Dá pra comprá-los aqui no Brasil mesmo!

Corre lá pra ver!


Acho que já elogiei por diversas vezes a escrita da dona Gabriela Ventura, Quinas e Cantos, por aqui, né? Ela escreve sempre muito bem, e dessa vez essa quebrou a banca!

Adorei o texto, e me identifiquei mais do que deveria....


Eu ando viciada em seriados. Mais do que deveria, na verdade. E um dos que mais tem chamado minha atenção é essa produção linda do "Once Upon a Time".

A querida da Lia, Quero morar em uma livraria, fez um post bem bacana sobre a série, cheio de imagens lindas. 'Bora lá conferir?


Já falei que acho uma graça tudo o que a Samanta Flôor desenha, né? Então, pra encerrar o Post Its de hoje, 'bora de mais uma fofura feita por ela.

Imagem daqui


Beijo procês!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...