quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Sêneca, ou o filósofo da minha vida.

Morte de Sêneca - Peter Paul Rubens
Fonte: Uol
Lúcio Anneo Sêneca [Sêneca, o Jovem ou o Moço, pois seu pai, grande orador, era chamado de Sêneca, o Velho] nasceu em Córdoba, Espanha, no ano 4 A.C. e morreu em Roma, em 65 D.C. Sêneca era advogado, e sua competência e grande conhecimento de Oratória e Retórica o levaram a fazer parte do Senado Romano.

Sim, eu sei, você está querendo saber o que diabos [e por que demônios] eu trouxe um cara que, além de ter escrito sobre Filosofia, morreu a long, long time ago. E eu lhe peço: dá cá a mão e confie em mim! Se Sêneca não fizer você se apaixonar como fez comigo, me dou por vencida e deixo você ir embora.

Mas antes, que tal saber um pouco mais sobre o seu Moço?

Por ser um homem honesto e competente, Sêneca logo passou a despertar a inveja dos coleguinhas, e Calígula, um dos mais encardidos do Império Romano, fez a cortesia de desterrar Sêneca para Córsega, sob acusação de adultério.

Imagino que tenha sido durante essa época que Sêneca desenvolveu suas teorias sobre o estoicismo, além de ter se dedicado também ao epicurismo. Essa dualidade Estoicismo/Epicurismo é bastante pronunciada nos textos de Sêneca, o que confere a eles uma brisa leve de frescor perto das tantas antigas teorias que se propunham verdades universais.

Depois de um tempo, Sêneca voltou para Roma a pedido do Imperador Cláudio, para ser pretor de seu filho com Agripina. E quem é esse filho? Quem? O mais olho junto da história de Roma: Nero. Sim, aquele mesmo que botou fogo em tudo depois de se entediar com a brincadeira. E que quis matar a própria mãe, pra ver o quão coração gelado era o cidadão.

Pois muito bem, coube a Sêneca a missão de tentar enfiar alguma coisa que prestasse na cabeça daquela criatura do inferno, mas, infelizmente, mesmo com toda a sua sabedoria, Sêneca não deu conta de converter o tranqueira do Nero.

Ao acusar Sêneca de ter participado da Conjuração de Pisão, Nero ordenou que ele se suicidasse. Sobre isso, vou compartilhar um trecho do texto introdutório das edições das obras de Sêneca publicadas pela Editora L&PM.

"[...] Sêneca recebeu de Nero a ordem de suicidar-se, que executou com o mesmo ânimo sereno que pregava em sua filosofia. Conta-se que sua morte foi uma lenta agonia. Abriu as veias do braço, mas o sangue correu muito lentamente; assim, cortou as veias das pernas. Porém, como a morte demorava, pediu a seu médico que lhe desse uma dose de veneno. Como este não surtiu efeito, enquanto ditava um texto a um dos discípulos, tomava banho quente para ampliar o sangramento. Por fim, fez com que o transportassem para um banho a vapor e, ali, morreu sufocado." [p. 9]

Pois é... O homem foi praticamente um santo até na hora de morrer. E sua obra reflete essa serenidade, essa busca pela harmonia entre viver e ser feliz.

E então você me pergunta como foi que eu comecei meu flerte com este senhor...

Ano passado, eu estava passeando lado a lado com uma daquelas tristezas que nos acompanham debaixo de sol e chuva, sabe? Ela estava lá, me deixando casmurra e cinzenta, quando me deparei com o título "Aprendendo a viver". Pensei comigo: Mal não vai fazer, afinal de contas, é Filosofia. O máximo que pode acontecer é eu resolver tomar sicuta. E foi então que este traquininhas estoico mudou minha vida.

A cada linha que eu lia de Sêneca, parecia que eu estava saindo de um sono eterno de ignorância sobre mim mesma. E então, como uma viciada, eu queria mais e mais... Li três livros dele, um atrás do outro, e então pude sentir o gostinho do bem estar bem comigo mesma.

É isso mesmo, filhote! Que Auto Ajuda que nada! Vá ler filosofia! Especialmente uma Filosofia como essa, em que o autor não quer mostrar quantos milhões de livros da Biblioteca de Alexandria ele leu, mas tão somente compartilhar com seu leitor aquilo que descobriu durante seu caminho pelos espinhos da vida.

Ler Sêneca é como se encarar no espelho e ouvir o Capitão Nascimento berrando no seu ouvido: "Pede pra sair! Pede pra sair!". Porque é como se ele nos colocasse nus diante de nossos defeitos, medos e dúvidas, e nos fizesse ver que os únicos capazes de mudar tudo ao nosso redor somos nós mesmos.

É, responsabilidade dói... É pesado isso de sermos responsáveis por nós. É difícil não poder colocar a culpa em ninguém, nem atribuir a um deus, um elfo [não os domésticos, porque eles são fofos e queridos!], um gnomo ou qualquer outra entidade à qual damos o leme de nossas vidas.

Eu fiquei tão empolgada com a leitura de Sêneca, que saí falando dele aos quatro ventos. Fiz vídeo [Sêneca - Leituras de MininaMá], milhares de posts, tweets... Enfim, eu queria mesmo que Sêneca ganhasse o mundo, porque seria o mundo que sairia ganhando com Sêneca.

Quanto a você, querido leitor, peço que leia os excertos abaixo, retirados do livro Aprendendo a Viver [L&PM, 2012], e depois me diga se vale ou não vale a pena sair pelos campos elísios imaginários sendo discípulo do Jovem que morreu assim como viveu: aprendendo - serenamente - a existir.

"Interroga a ti mesmo, pressupondo que um deus te permita escolher se preferes viver em um mercado ou em um acampamento. Viver, Lucílio, é ser soldado. É por isso que aqueles que se arriscam em missões mais perigosas, através de penhascos e desfiladeiros, são os mais valentes, a elite da tropa. Já aqueles que se ocupam apenas com leves tarefas, enquanto os outros dão o máximo de si, esses não passam e mocinhos delicados, no abrigo, mas sem honras. Passa bem!" [p. 98]

"Podes me indicar alguém que dê valor ao seu tempo, valorize o seu dia, entenda que se morre diariamente? Nisso, pois, falhamos: pensamos que a morte é coisa do futuro, mas parte dela já é coisa do passado. Qualquer tempo que já passou pertence à morte." [p. 15]

E eu poderia passar horas e horas citando Sêneca, mas prefiro que você se aventure a encontrá-lo. Leve consigo apenas um pouco de humildade, pois quando achamos que sabemos tudo, não nos preocupamos em aprender mais nada. ;)

E você, já leu Sêneca? Compartilha com a gente!

Um beijo procês!

2 comentários:

  1. Amei o post...vou sair a procura de Sêneca...
    Obrigada por me apresentá-lo de forma tão atual e clara..

    ResponderExcluir
  2. Ainda não li Sêneca (e depois desse post me envergonho disso :X)

    Beijo

    ResponderExcluir

Entre e fique à vontade!
'Bora prosear, porque esse blog também é seu.
Obrigada por sua visita, e por sua opinião.
Seu comentário será respondido aqui, nesse espacinho, assim que possível.
Um beijo procê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...