terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Fins, começos e meios (não necessariamente nessa ordem).

Fonte: Toda Mafalda - Quino

E então 2013 chegou ao fim. Um ano que eu jurei que nunca mais iria acabar. Houve momentos em que eu pedi para que os deuses acabassem comigo [silly, I know!], pois já não suportava mais viver em um ano tão difícil.

E foi exatamente essa a palavra que eu havia escolhido para 2013, até hoje, até a hora da minha faxina física e mental.

Eu adoro fazer faxina! Jogar as coisas fora, mudar objetos de lugar, limpar, acender um incenso... Tudo isso faz bem pra minha alma, porque enquanto eu jogo fora aquele envelope velho sem utilidade, aproveito pra jogar fora aquele ódio que senti num Sábado qualquer de Novembro.

A faxina física me ajuda a fazer a fazer a faxina espiritual. E como eu estava precisando de uma faxina hoje! Como eu estava precisando limpar meus óculos para enxergar que 2013 não foi apenas difícil, mas maravilhoso!

Agora, a poucas horas de dar adeus para esse ano que, tantas vezes, eu quis que acabasse, consigo compreender que as dificuldades pelas quais passei não foram maiores do que as alegrias que tive.

Perdi amigos queridos, mas também ganhei muitos amigos. Perdi paixões, mas ganhei amores eternos [enquanto durem, é claro!]. Perdi dinheiro, mas ganhei livros. No fim das contas, ganhei muito mais do que perdi. Foram difíceis as perdas? Muito. Chorei mais do que suportava? Muito. Fiquei mais triste do que alegre? Não. E é aí que o prato da balança pesa mais pro lado dos agradecimentos que das lamentações.

Vou compartilhar com vocês só algumas das minhas realizações em 2013. Espia:
  • Meu humilde canal ultrapassou os 8 mil inscritos;
  • Ganhei parceria com 6 editoras incríveis!;
  • Fui à Bienal do Rio de Janeiro, conheci o mar e, mais especial ainda, conheci pessoalmente duas das minhas amigas mais queridas, Juliana Gervason e Tatiana Feltrin;
  • Uma das pessoas mais queridas da minha vida lançou seu primeiro livro de poesias, e eu pude estar ao lado dela e da minha outra querida amiga, no mesmo livro, juntas eternamente;
  • Soube, enfim, o que é ser valorizada como professora;
  • Ganhei muitos livros;
  • Ganhei muitos amigos;
  • Assisti a shows excepcionais;
  • Entreguei, enfim!, minha dissertação de mestrado encadernada;
  • Comecei as aulas pra carteira de motorista [Vinha adiando isso há anos!];
  • Entrei para o Pilates, e descobri que é o esporte da minha vida;
  • Fiquei ruiva [que é a cor de cabelo que minha alma escolheu];
  • Viajei pra Curitiba, a cidade do meu coração;
  • Fiquei mais próxima de pessoas que já eram minhas amigas, e que agora são praticamente irmãs;
  • Li alguns dos melhores livros da minha vida;
  • Comecei a escrever meus Tweetcontos, nos quais eu quero investir em 2014;
  • Comecei a tomar coragem para, enfim!, lançar um livro;
  • Percebi que ao compartilhar meu amor pelos livros no Youtube eu recebia um carinho tão grande, mas tão grande, que valia qualquer outra coisa ruim no mundo da internet;
  • Descobri o Instagram [e depois faço um post explicando sobre o porquê disso ser importante pra mim];
  • Ganhei presentes espirituais, físicos, virtuais tão especiais que havia horas em que eu tinha a plena certeza de que não merecia aquilo;
  • Comprei coisas das quais eu, efetivamente, precisava e as quais eu realmente queria;
  • Visitei meu avô e passei horas ouvindo suas histórias;
  • Tive momentos incríveis ao lado dos meus pais;
  • Aprendi mais sobre mim mesma;
  • Retomei a caminhada pela minha espiritualidade;
  • Dei risada até a barriga doer.
E eu poderia continuar falando de tantas e tantas coisas boas que me aconteceram, por incrível que pareça! Agora me diga, como eu posso dizer que um ano no qual eu vivi tudo isso que está nessa lista foi um ano difícil?

É claro que, nesse meio tempo, tive problemas seríssimos no trabalho, momentos intensos de fúria, perdi um amigo muito querido, perdi um tio muito querido, vi uma paixão, que mal havia nascido, morrer, me senti feia, incompetente, incapaz, sozinha, triste, com medo... Chorei, chorei e chorei até cansar de chorar tantas e tantas vezes que parecia que a qualquer hora iria, como Alice, ser levada por um mar de lágrimas.

Só que hoje, na última faxina e no último dia do ano, eu consegui enxergar as alegrias no meio da sujeira.

E eu convido você a também fazer uma lista com as melhores coisas que lhe aconteceram em 2013. Que tal? 'Bora lá terminar o ano focando em coisas boas, pra que 2014 possa começar bem?

Pra alguns, essa simbologia de começo e fim pode até parecer boba, mas pra mim é muito significativa. Não, a gente não vai mudar nossa vida só porque um ano acaba de começar. Não, nossas resoluções de começo de ano não serão magicamente realizadas. Só que nada nesse mundo começa do meio. Há que se dar o primeiro passo, e se esse passo for dado com boas energias e a crença de que vai dar certo, tanto melhor, 'cês não acham?

Desejo que em 2014 vocês tenham mais alegrias do que seus braços sejam capazes de carregar, e que, pra cada lágrima derramada, haja um abraço que a enxugue.

Muito obrigada pelo carinho e pela presença em 2013! Que em 2014 possamos continuar juntos, compartilhando nossa paixão pela vida.

Um beijo enorme procês!

domingo, 8 de dezembro de 2013

Perdoe-me tanto laquê, Juliana Gervason.

Eis que minha querida amiga, Juliana Gervason, do O batom de Clarice, enfim presenteou o mundo com sua poesia impressa no papel. Perdoe-me tanto laquê reúne alguns dos poemas que Ju escreveu. Ela sempre foi poeta, e seu livro só vem nos mostrar que essa poeta é das boas, e nos dar a chance de compartilhar de suas lágrimas e seus sorrisos em forma de palavras.

Essa não é uma resenha ou qualquer coisa que valha sobre o livro. Esse é apenas um post para convidar você, leitor querido, a conhecer a poesia de Juliana. Nesse link ela dá informações sobre como adquirir o livro. Logo mais falarei sobre ele, se é que serei capaz de falar de algo feito por alguém a quem tenho tanto amor, em vídeo.

Enquanto isso, deixo aqui a foto do livro de Ju, e uma foto que tirei, num dia chuvoso, de um de seus poemas. E é melhor correr, viu! Porque a primeira edição já está esgotada, e eles estão disponibilizando a segunda. ;)



quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Sobre sumiços e Caixa Postal. ;)

Quem frequenta este muquifo há mais tempo, já conhece meu péssimo hábito de desaparecer. Não é de hoje que eu abandono o blog, e sempre há algo por trás. Normalmente esse "algo por trás" é meu trabalho, e este bendito me consumiu mais do que eu deveria ter deixado durante o ano infinito de 2013.

Vim aqui pra modo de deixar um abraço pra meia dúzia de pessoas que frequenta meu cafofo, e agradecer pela paciência. Eu ando distante do meu blog e do meu canal no Youtube, eu e eles não andamos nos entendendo, e espero que vocês possam compreender nossa quietude.

Por outro lado, eu e o Sr. Facebook temos conversado diariamente. Assim como bato ponto no Twitter e no Instagram. Ou seja, estou por aí, em outros cantos, falando pelos cotovelos. Se quiser, vá lá me fazer uma visita. Vou gostar muito da sua presença. ;)

Em Janeiro, estaremos eu, blog e vlog repaginados, descansados e prontos pra compartilhar com vocês o mundo. Espero que vocês mantenham a paciência, porque estamos em obras, mas terminaremos antes das obras da Copa, eu prometo.

Além disso, vim aqui contar procês que agora eu tenho uma Caixa Postal. Espia que estou chique, menino! Então, quem quiser me mandar cartinhas ou abraços via correio, fique à vontade. Editores e autores que quiserem me mandar seus livros, também sintam-se em casa.


E por hoje é só, minha gente. Fim de bimestre, fim de ano, fim de paciência e fim de coragem. Tudo anda no fim pras bandas de cá, só meu amor por isso aqui e por vocês que não.

Um beijo procês!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...